.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Livros

Trabalhos, textos sobre a Guerra do Ultramar ou livros

Elementos cedidos por um colaborador do portal UTW

 

Fernando Reis Lima

 

Fernando Eduardo Fernandes Reis Lima, nascido a 03Mai1935 na freguesia urbana portuense da Vitória, fez o curso liceal no Colégio Almeida Garrett.

 

Quando estudante na Faculdade de Medicina do Porto, organizou e dirigiu o jornal universitário o "Orfeão" e foi director do Orfeão Universitário do Porto, com o qual em 1959 viajou de barco até Moçambique. Naquele ano frequentou o curso de perito médico-legal e em 22Jun60 concluiu na Universidade do Porto, a sua Licenciatura em Medicina e Cirurgia.

 

Desde 13Jul60 inscrito na Ordem dos Médicos, pouco depois foi contratado como médico eventual do serviço de clínica cirúrgica geral no Hospital de São João.

Ainda naquele ano de 1960 veio a ser incorporado no Exército e, após prestar serviço como médico no RI6-Porto, foi mobilizado para Angola como alferes miliciano médico e integrado na CCS/BCac114.

 

Para visualização do conteúdo clique no sublinhado que se segue:

 

«Ninguém queria ir, mas a Pátria estava – e está – em primeiro lugar.»

 

Em 28Mai61 embarcou em Lisboa no NTT 'Niassa' com o seu batalhão e em 09Jun61 desembarcou em Luanda.

 

Após a actividade operacional desenvolvida pelo BCac114 nos Dembos (noroeste de Angola), com ele seguiu em meados de Mai62 para o Luso (capital distrital do Moxico), onde até final de Jun63 dirigiu e coordenou os Serviços de Saúde Militar e os de Enfermarias Civis, tendo durante aquele período efectuado no Hospital Regional do Luso, um total de 262 intervenções cirúrgicas de grande cirurgia.
 

No decurso do seu serviço militar em Angola, o alferes miliciano médico Fernando Reis Lima foi agraciado com uma condecoração e três louvores:

- Condecorado por sua Ex.ª o Ministro do Exército, com a Medalha de Mérito Militar de 3ª Classe, pelos serviços prestados aos militares e civis em Angola:


«Condecorado com a Medalha de Mérito Militar de 3ª Classe (OS nº11 de 06Fev63 do Comando da RMA e OS nº506 de 16Fev63 do BCac114). Que o louvor concedido na OS nº106, do Batalhão de Caçadores 114, de 19/6/962, seja considerado como dado por Sua Excelência o Ministro do Exército, com a seguinte redacção:


"Louvado por Sua Excelência o Ministro do Exército, por Portaria de 2 de Novembro de 1962, porque durante o período operacional em que o Batalhão actuou de Julho de 1961 a Março de 1962 na área de Nambuangongo, ao longo das situações difíceis que surgiram, sempre que foram necessários os seus serviços soube, a par da sua competência profissional demonstrada, insinuar-se no espírito dos que dele necessitaram, doentes e feridos, insuflando-lhes coragem e fé, que revelou possuir em alto grau. Oficial de carácter leal, sensato, dinâmico e enérgico, pugnou sempre, dentro das suas funções, pelo bem-estar físico e moral dos homens, sem o menor desfalecimento, combatendo a morte até ao fim. A ele ficaram devendo a vida, al­guns dos feridos que pelas suas mãos passaram. Para os que não necessitaram dos seus serviços, de igual modo a sua presença amiga era como que uma garantia de que se preciso fosse ele lá estava. Não há que apontar qualquer acção especial no decorrer de tantas acções. Sempre a eficiência dos Serviços de Saúde no Comando do Batalhão, por ele dirigido, foi notável. Assim, o Alferes Miliciano Médico Reis Lima, tornou-se credor do co­nhecimento, da consideração e da estima, de quantos com ele têm privado, e revelou-se um distinto, competente, activo Oficial, possuidor de excepcionais qualidades e virtudes militares, impondo-se ao respeito e à consideração pública".

(OE nº12 2ªSérie de 03Dez1962, e OS nº11 de 06Fev1963 do Comando da RMA).»

Louvores concedidos pela sua acção desenvolvida em Angola, na assistência médica a militares e a civis.

- «Louvado pelo Comandante do Sector 3, por proposta do Comandante do Batalhão de Caçadores 114, porque, durante o período operacional decorrido, ao longo das actividades difíceis que surgiram sempre que foram necessários os seus servi­ços soube, a par da competência profissional demonstrada, insinuar-se no espírito dos que dele necessitaram, doentes e feridos, insuflando-lhe coragem e fé, que re­velou possuir em alto grau. Oficial de carácter leal, sensato, dinâmico e enérgico, pugnou sempre, dentro das suas funções, pelo bem-estar físico e moral dos ho­mens, sem o menor desfalecimento, combatendo a morte, até ao fim. A ele ficaram, talvez devendo a vida alguns dos feridos que pelas suas mãos passaram. Para os que não necessitaram dos seus serviços de igual modo a sua presença amiga era como uma garantia de que se preciso fosse, ele lá estava. Não há que apontar qualquer acção especial no decorrer de tantas acções. Sempre, a eficiência do Serviço de Saúde no Comando do Batalhão, por ele dirigido, foi notável. Assim, o Alferes Miliciano Médico Reis Lima, tornou-se credor do reconhecimento, da consideração e da estima dos Oficiais, Sargentos e Praças do Batalhão de Caçadores nº 114, revelando-se oficial muito distinto, competente e activo, digno de ser apontado como exemplo.»
(OS nº106 de 19Jun62 do BCac114)

- «Louvado pelo Excelentíssimo Brigadeiro Comandante da ZIL, porque, como médico do Comando do BCac114, durante o período de actividade na Zona de Intervenção Leste, manifestou extraordinário interesse pelo serviço que tinha a seu cargo, merecendo especial relevo a sua actuação no campo da cirurgia, quer no âmbito militar quer no civil, muito contribuindo para a recuperação do pessoal mili­tar e para a acção do Exército junto das populações nativas. O Alferes Médico Reis Lima, com as suas excepcionais qualidades de trabalho, particularmente cuidadoso na sua acção no quadro da profilaxia das várias doenças e no seu tratamento, ampliou neste período a estima, consideração e confiança dos seus superiores, cama­radas e subordinados, confirmando mais uma vez o alto conceito em que já era tido por todos. Excelente camarada, dotado de espírito organizador e muito disciplinado, foi muito útil à sua Unidade a actividade que desempenhou durante os dois anos de permanência em Angola.»

(OS nº75 de 24Jun63 do CmdAgr3, e OS nº615 de 25Jun63 do BCac114)

- Louvado pelo Director do Serviço de Saúde da Região do Moxico e Director do Hospital do Luso em Angola, pela sua actuação como Cirurgião:


«O Alferes Miliciano Médico, Dr. Fernando Eduardo Fernandes Reis Lima, demonstrou durante o tempo em que prestou serviço no Hospital Regional do Luso, desde 26 de Junho de 1962 a 30 de Maio de 1963, qualidades de trabalho, zelo, competência, dedicação, lealdade e muito boa compreensão e colaboração no exercício das funções de médico cirurgião. E porque é de inteira justiça dar realce a estas qualidades que honram o funcionário, visto o disposto no nº9 do artº142 do Estatuto do Funcionalismo Ultramarino, determino: "Que seja louvado o Alferes Miliciano Médico Dr. Fernando Eduardo Fernandes Reis Lima, pelas qualidades de trabalho, zelo, competência, dedicação, lealdade e boa compreensão e colaboração que prestou nos Serviços de Saúde do Distrito de Moxico durante o tempo em que exerceu a sua actividade como Médico Cirurgião. Luso, 26 de Junho de 1963"; OS nº12 de 1963. a) Dr. José da Silva Barradas (Chefe da Repartição Distrital de Saúde e Higiene de Moxico). Vila Luso, Angola.»

- Foi ainda agraciado no final da sua comissão, com a Medalha Comemorativa das Campanhas de Angola:


«Agraciado com a Medalha Comemorativa das Campanhas em Angola, por actuação na Zona de Intervenção Norte em 1961/62, nos termos da Portaria 19683 de 4 de Fevereiro de 1963, por despacho de Sua Excelência o Subsecretário de Estado do Exército, de 22 de Maio de 1963.»

 

Colaborou também na organização e redacção do 'Bazuca', jornal do BCac114.

Em 03Jul63 iniciou a torna-viagem e no final de Ago63, após passar à disponibilidade, regressou aos serviços clínicos do Hospital de São João.

 

Fotos relativas ao embarque no NTT "Niassa" – largado de Alcântara (Cais da Rocha do Conde de Óbidos) no domingo 28Mai61 e acostado ao porto de Luanda às 08:00h da 6ªfeira 09Jun61 –, do terceiro grande contingente de tropas destinadas a reforço da guarnição normal da Região Militar de Angola:

 

- BCac114 (CCS/RI1-Amadora, CCac115/EPI-Mafra, CCac116/RI5-Caldas da Rainha, CCac117/RI6-Porto);

 

 

 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo