.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Livros

Trabalhos, textos sobre a Guerra do Ultramar ou livros

Elementos cedidos por um Veterano

 

 

Filipe Morais

1.º Sargento Pára-Quedista

 

 

 

 

 

 

"Escola de Tropas Páraquedistas - 50 Anos (1956-2006)"

 

Um projecto do 1.º Sargento Pára-Quedista Filipe Morais

 

Introduzir dois milhões e duzentos mil caracteres num ficheiro informático não é tarefa fácil. Mais difícil quando se trata de copiar do papel para o computador os dados relativos aos cerca de quarenta e quatro mil pára-quedistas militares que receberam um número de brevet e que pertenceram a um determinado número de curso de pára-quedismo.
Uma vez que 50 anos de história de pára-quedismo em Portugal ficarão para sempre gravados na história futura, assim eu quero perpetuar o modo como os dados passaram do papel para o computador. Para que todos saibam.

Quando me foi dada a tarefa de passar os 44000 mil nomes dos livros de registo para formato digital, com o intuito futuro de serem incluídos no livro dos 50 anos da ETP, fiz um cálculo estimado do tempo, do trabalho e das dificuldades que iria encontrar.

Antes de começar
A ferramenta principal, além dos computadores – que já tinha disponíveis – era o pessoal para introduzir os dados. Não poderiam ser os recrutas ou pessoal pouco habituado a escrever no teclado (para minimizar os erros de introdução).
Foram cedidos para este trabalho 30 pára-quedistas já formados. Dispunha deles, numa primeira fase, durante uma semana inteira e a tempo inteiro. Decidi logo que a introdução dos dados seria feita por binómio: um militar ditava enquanto o outro introduzia os dados. Podiam trocar de posição sempre que quisessem.

A sensibilização
O trabalho mais moroso seria com certeza, a introdução dos dados nos computadores. E seria também a tarefa onde a probabilidade de erros de introdução seria maior. Sensibilizei os 30 militares para a responsabilidade de introduzir os dados correctamente. Disse-lhes que o trabalho era “para ir fazendo”, sem limites ou objectivos. Preferia que trabalhassem com calma e acertadamente do que à pressa dando erros. E assim foi.

A preparação do material
Os 15 computadores estavam prontos. Certifiquei-me que todos eles continham o Excel (o programa que elegi para introduzir os dados), que estavam optimizados e estáveis, prontos para serem “puxados”…

 

-------------------------

Para aquisição:

Veja o sítio - http://www.paraquedistas.com.pt/livro.html

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo