.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Livros

Trabalhos, textos sobre operações militares ou livros

 

HONRA E GLÓRIA

Elementos cedidos por um

colaborador do portal UTW

 

 

Coronel Pára-Quedista

Orlando Caetano Rodrigues Pires

(coordenador)

 

Medalha de Mérito Militar de 2ª classe

 

 

 

Brevíssima resenha castrense:

 

Orlando Caetano Rodrigues Pires, Coronel Pára-Quedista, nascido a 18 de Abril de 1945, na Carregosa, sede de freguesia do concelho de Bragança.

 

Em Outubro de 1963 ingressa na Academia Militar.

 

Em 21 de Março de 1966 cadete-aluno da Academia Militar, promovido a aspirante-a-oficial de infantaria (n/m 09723963) e colocado na Escola Prática de Infantaria (EPI - Mafra) para efeitos de tirocínio.


Em 28 de Agosto de 1966 promovido a alferes e colocado no Batalhão de Caçadores 3 (BC3 - Bragança).


Em 3 de Fevereiro de 1967 conclui no Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas (BCP - Tancos) o 39º curso de pára-quedismo e obtém o brevet 4510.


Em 28 de Agosto de 1967 promovido a tenente (com antiguidade a 1 de Dezembro de 1968).


Em 28 de Agosto de 1969, mantendo-se adido ao Regimento de Caçadores Pára-Quedistas (RCP - Tancos), promovido a capitão.

 

Serviu Portugal na Província Ultramarina de Moçambique, em duas comissões, uma como comandante de pelotão e outra como comandante de companhia, ambas pertencentes ao Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 32 (BCP32).


Agraciado com a Medalha de Mérito Militar de 2ª classe.
 

 

O livro:

Elementos cedidos por

Pedro Castanheira

 

"História das Tropas Pára-quedistas Portuguesas - vol.V (BCP32-Moçambique/Nacala)"

 

NOTA PRÉVIA


A proposta inicial para a elaboração da História das Unidades das Tropas Pára-Quedistas da autoria do Brig. Páraq. Raul François Ribeiro Carneiro Martins, oficial coordenador do Grupo de Trabalho, engloba, de entre outras, as seguintes finalidades:


- Permitir a salvaguarda do rico e glorioso passado das Tropas Pára-Quedistas, fixando-o e sistematizando-o num documento ou série de documentos de fácil utilização.


- Através de uma visão de conjunto, só possível após a elaboração desta obra, permitir fundamentar e tornar claros os vectores de identidade colectiva das Tropas Pára-Quedistas Portuguesas, e os factores que legitimam o orgulho de a elas pertencer.


Estas motivações iniciais da elaboração da História das T.Pqs. constituíram referenciais orientadores, ao longo de todo o trabalho.


Também como referenciais orientadores de toda a acção de pesquisa e análise efectuadas se consideraram os Objectivos Gerais da História: o primeiro que respeita ao dar a conhecer os factos concretos, e que será o campo narrativo da realidade passada, e um segundo objectivo que será aquele que lançando mão do conhecimento dos factos concretos procura compreender a realidade passada e o sentido da sua evolução, quer com a finalidade da sua explicação, quer com a finalidade de utilização da experiência passada para melhor organizar e orientar as actividades no presente.


O segundo objectivo anteriormente focado é importante, pois permitirá apreciar a justeza dos princípios da guerra, e em que medida os mesmos foram respeitados; analisar a presença dos elementos essenciais de combate, e qual a sua utilização; colher ensinamentos no âmbito das técnicas e das tácticas, dos materiais e do apoio logístico, da organização, e mesmo da estratégia.


Dois outros aspectos a merecerem uma permanente atenção serão obrigatoriamente a correspondência entre os objectivos e os meios empenhados, e bem assim, a interligação entre a componente militar e as componentes política, social, económica, e geográfica.


Ao longo de todo o trabalho ter-se-ão igualmente presentes os três grandes domínios da actividade militar — a técnica, as doutrinas (estratégicas, tácticas e logísticas) e a organização —, e a grande determinante desta mesma actividade — a politica.


No âmbito da especificidade das Tropas Pára-Quedistas, sendo o alto grau de flexibilidade e a elevada capacidade de mobilidade (tanto táctica, como estratégica) duas características fundamentais destas mesmas Tropas, será igualmente oportuno constatar em que medida estes dois factores estiveram presentes ao longo da existência e actuação dos Pára-quedistas na guerra do Ultramar, e em que medida estas características foram influenciadoras senão mesmo determinantes dos acontecimentos.

 

 

 

título: "História das Tropas Pára-quedistas Portuguesas - vol.V (BCP32-Moçambique/Nacala)"
coord. Cor PQ Orlando Caetano Rodrigues Pires
editor: Corpo de Tropas Pára-quedistas
3ªed. Tancos, Fev1993
349 págs (ilustrado)
30x20 cm
dep.leg: PT-63524/93

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo