Guerra do Ultramar: Angola, Guiné e Moçambique Automobilia Ibérica - Histórico Automóvel Clube de Entre Tejo e Sado (HACETS)

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

 TRABALHOS, TEXTOS SOBRE OPERAÇÕES MILITARES ou LIVROS

 

Nogueira Baptista

Nasceu em Paços da Serra, concelho de Gouveia.

Reside actualmente no concelho de Cascais.

Combatente em Angola de 1971 a 1974.

Licenciado em Gestão de Empresas.

Professor do Ensino Superior.

Presentemente é um empresário que tem paixão pela escrita e reflexão.

As sua Obras apenas servem para se abrir às pessoas num sorriso ...

in: http://www.nogueirabaptista.com/

 

"Contagem Decrescente"

(1.ª e 2.ª edição)

1.ª Edição:

"Contagem Decrescente" - 1.ª Edição
autor: Nogueira Baptista

editor: Paz - Editora de Multimédia, Lda.
1ªed. Maio de 2004
dep.legal: 211 853/04
ISBN: 972-8416-17-2

Aos

FALCÕES

"Bravos e sempre leais"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

     

Imagem cedida por Carlos Coutinho

 

"Começara a contagem decrescente. Toda a Companhia respondeu a chamada. Não faltou ninguém. Desvaneceu-se a dúvida sobre a hipótese de aparecerem desertores, o que parece ter deixado todos muito mais confiantes e aliviados. E sempre bom saber que estamos unidos e solidários, sentimento tão fantástico que provoca uma convulsão. A ideia de Portugal e dos Portugueses tomara conta de todos e mantinha-nos unidos na missão que nos tinha sido atribuída."

"Marcha lenta, madrugada inacabada, suspensa de um capacete de cacimbo, mais companheiro do que o descomprometido sol.

Depois do Caxito a passagem por cada povoação era assinalada pela população com entusiasmo, crianças a saltar, levantamento de braços em saudação, soldados a erguerem-se e a retribuir com gestos de abraços e apertos de mão.

Ucua, Santa Filomena, Piri, a ponte do rio Dange, Quissala, Vista Alegre, Aldeia Viçosa, Quitexe, um itinerário de terror em Marco de 1961, onde a população branca e sipaios foram chacinados ou escorraçados. Em cada uma delas levantei-me e de braço armado quase jurei que isso não se voltaria a repetir enquanto ali estivéssemos. Quase senti um resfriamento. Não devemos fazer promessas que não temos capacidade para cumprir. Não é honesto fazer uma promessa cuja probabilidade de incumprimento é muito grande."

---------------------------------------------

2.ª Edição

in: http://www.nogueirabaptista.com/

 

 

 

 

 

Voltar ao topo