.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Falecimento

Alfredo Pinheiro Marques Aparício, Tenente Mil.º 'Comando' na situação de reforma

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

e

nota de óbito

Elementos cedidos pelo veterano

J C Abreu dos Santos

 

Faleceu no dia 14 de Agosto de 2002 o veterano

 

Alfredo Pinheiro Marques Aparício

 

Tenente Mil.º 'Comando' na situação de reforma

 

Angola: 1964 a 1966

 

Comandante de Pelotão da

 

6.ª Companhia de Caçadores

«FORTE E GLORIOSA»

Regimento de Infantaria de Sá da Bandeira

«DO SUL É SENTINELA»

 

Medalha-de-M-rito-Militar-350Centro de Instrução de Comandos

(4.º curso de comandos)

 

Comandante de Grupo de Combate da

1.ª Companhia de Comandos

«AUDACES FORTUNA JUVAT»

 

 Medalha de Mérito Militar de 3.ª classe

 

 

 

Alfredo Pinheiro Marques Aparício, Tenente Mil.º ‘Comando’ na situação de reforma.


Nasceu no dia 11 de Dezembro de 1941.


EPIEm 6 de Janeiro de 1964 Soldado-Cadete nº 909/63 da Escola Prática de Infantaria (EPI – Mafra) «AD UNUM», RI8promovido a Aspirante-a-Oficial Miliciano Atirador de Infantaria e colocado no Regimento de Infantaria 8 (RI8 – Braga) «SENTINELA DO MINHO – BRAÇO ÀS ARMAS FEITO»;


Em 1 de Setembro de 1964, tendo sido mobilizado para servir Portugal na RMAProvíncia Ultramarina de Angola, embarca em Lisboa rumo a Luanda;


6-CCac-RISBAumentado à guarnição normal da Região Militar de Angola (RMA) «AO DURO SACRIFÍCIO SE OFERECE», colocado no Buenga Norte como comandante de pelotão da 6.ª Companhia de RISB-vmCaçadores (6ªCCac) «FORTE E GLORIOSA» do Regimento de Infantaria de Sá da Bandeira (RISB) «DO SUL É SENTINELA» - «O ÚLTIMO SERÁ O PRIMEIRO»;


Cmds-Cracha-vmEm 9 de Junho de 1965 inicia no Centro de Instrução de Comandos (CIC – Luanda) «AUDACES FORTUNA JUVAT» a frequência do 4.º curso de comandos;


1-CCmds-280Em 29 de Novembro de 1965, qualificado com a especialidade 959-Comandos, fica colocado na 1.ª Companhia de Comandos (1ªCCmds) «AUDACES FORTUNA JUVAT» como comandante de grupo de combate;


Em 8 de Outubro de 1966 embarca no NTT 'Quanza' de regresso à Metrópole;


Medalha-de-M-rito-Militar-550Em 19 de Novembro de 1966 passa à situação de disponibilidade como tenente miliciano;


Em 11 de Março de 1967 agraciado com a
Medalha de Mérito Militar de 3ª classe;


No Colégio Militar, desempenha funções de instrutor.


Em 10 de Junho de 1974 participa na celebração do "Dia de Portugal", levada a efeito defronte à Estátua de Camões (sita em Lisboa no largo homónimo).


Em 16 de Julho de 1974, casado e com duas filhas de tenra idade, voluntaria-se para regressar de urgência a Angola e embarca no Aeródromo Base n.º 1 (AB1 - Figo Maduro) em vôo 'TAM' 'Boeing-707' rumo à Base Aérea n.º 9 (BA9 -Luanda, junto com outros dois oficiais, em missão naquele mesmo dia sancionada pelo general Spínola, a fim de apoiar localmente aCCFAAs acções do gabinete do governador-geral general Silvino Silvério Marques.


No dia 24 de Julho de 1974, véspera da chegada a Luanda do indigitado presidente da Junta Governativa de Angola e novo Comandante Chefe das Forças Armadas de Angola (CCFAA), Almirante Rosa Coutinho, precavidamente sai de Luanda com outros dois oficiais, em viagem para a capital distrital do Cuanza Norte.


Ao final da noite de 5 de Agosto de 1974, perante ameaças de prisão lançadas pelo comité local do MFA (Movimento das Forças Armadas), embarca no aeroporto Craveiro Lopes de regresso a Lisboa em vôo TAP, com os demais militares que haviam sido enviados em missão a Luanda pelo general Spínola.


Em 9 de Setembro de 1974 voluntaria-se novamente para regressar a Angola e embarca em vôo civil com destino a Luanda, "a fim de reactivar a ligação com 'comandos' lá residentes".


No dia 30 de Setembro de 1974, alvo de mandado de captura emitido pela JGA (Junta Governativa de Angola), é forçado a fugir para o Sudoeste Africano.


SADFNo final de Setembro de 1975 surge no Chitado, fronteira sul de Angola, integrado numa coluna para-militar apoiada pelas SADF (South African Defence Force) [Força de Defesa Sul-Africana]


RI22No final de Outubro de 1975, à frente de meia centena de antigos 'comandos', ocupa, na baixa da cidade de Sá da Bandeira, as instalações do antigo batalhão do Regimento de Infantaria 22 (RI22).


Durante o dia 4 de Novembro de 1975 segue do aeroporto da Mucanca em avioneta civil com destino ao aeródromo do Ambriz, a fim de contactar o coronel 'comando' Santos e Castro, comandante da frente norte do ELNA (Exército de Libertação Nacional de Angola).


Antes de 10 de Novembro de 1975, perante o insucesso das acções do ELNA (Exército de Libertação Nacional de Angola) contra as FAPLA (Forças Armadas Populares de Libertação de Angola) e as tropas cubanas, volta para o sul de Angola.


Durante a 1ª semana de Dezembro de 1975 ruma a Windhoek, saindo definitivamente de Angola.


ASS-CmdsMantém-se exilado na África do Sul.


Em 1984 regressa a Portugal, sendo aceite na Associação de Comandos como sócio nº 407.


No dia 10 de Junho de 1996 integra a Comissão Executiva do III Encontro Nacional dos Combatentes do Ultramar.


Em 18 de Maio de 1997 é um dos co-fundadores do "Movimento 10 de Junho", participando em Belém até ao ano 2000, nos Encontros Nacionais de Combatentes.


Faleceu no dia 14 de Agosto de 2002, na sua residência em Vale de Madeira (concelho de Pinhel), como Tenente Miliciano 'Comando' na situação de reforma.


Está sepultado no cemitério municipal de Pinhel.


A sua Alma repousa em Paz.

   
 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo