.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Ângelo Ribeiro, Soldado de Infantaria, da CCac1797/BCac1935: Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo V, pág. 333, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo III, Livro 1, pág.s 153 a 156, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 114, pág. 58, de Junho de 1969

Imagens dos distintivos cedidas por Carlos Coutinho

 

 

Ângelo Ribeiro

 

Soldado de Infantaria, n.º 06977667

 

Companhia de Caçadores 1797

 

Batalhão de Caçadores 1935

 

«OS GALGOS - SEMPRE EXCELENTES E VALOROSOS»

 

Moçambique: 01Nov1967 a 27Nov1969

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

Prémio Governador-Geral de Moçambique

 

 

 

Ângelo Ribeiro, Soldado de Infantaria, n.º 06977667.


Mobilizado pelo Batalhão de Caçadores 10 (BC10 - Chaves) para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique integrado na Companhia de Caçadores 1797 do Batalhão de Caçadores 1935 «OS GALGOS - SEMPRE EXCELENTES E VALOROSOS».

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

 

Soldado de Infantaria, n.º 06977667
ÂNGELO RIBEIRO
 

CCac1797/BCac1935 - BC10
MOÇAMBIQUE
 

4.ª CLASSE


Transcrição do Despacho publicado na OE n.º 36 - 3.ª série, de 1968.


Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª Classe, nos termos do art.º 12.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Moçambique, de 21 de Novembro de 1968:


O Soldado n.º 06977667, Ângelo Ribeiro, da Companhia de Caçadores n.º 1797 do Batalhão de Caçadores n.º 1935 - Batalhão de Caçadores n.º 10.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.
(Publicado na OS n.º 85, de 23 de Outubro de 1968, do Quartel General da Região Militar de Moçambique (QG/RMM):

 

Que, por seu despacho de 3 de Outubro de 1968, louvou o Soldado n.º 06977667, Ângelo Ribeiro, da CCac Companhia de Caçadores n.º 1797 do Batalhão de Caçadores n.º 1935, porque nas operações em que tomou parte tem demonstrado possuir espírito de iniciativa e ser um combatente destemido.


De salientar o seu comportamento no assalto a um acampamento ilegal, no decorrer da operação "Os Galgos Ultrapassam", em que, como componente dum grupo de apoio, ao ver um elemento terrorista que, fazendo fogo, tentava a fuga conjuntamente com um camarada, alheio ao perigo e com risco da própria vida, denotando serenidade debaixo de fogo, encetou a perseguição, que se prolongou por algumas centenas de metros, conseguindo abatê-lo, não sem que antes o elemento inimigo, já ferido e numa derradeira tentativa de salvação, se dispusesse a disparar sobre o seu camarada.


Demonstrou, com a sua atitude, decisão, sangue-frio e coragem, o que valeu às nossas tropas a eliminação daquele que se soube posteriormente ser o chefe da base, e a captura de uma arma, o que, de outra forma, não seria possível.


Pelas suas qualidades, é o Soldado Ribeiro digno de ser apontado como um elemento que tem prestigiado a Unidade e o Exército a que pertence.


---------------------------------------------------------------

Jornal do Exército, ed. 114, pág. 58, de Junho de 1969

 

Prémio Governador-Geral de Moçambique

 

Soldado de Infantaria Ângelo Ribeiro
da CCac1797/BCac1935

«Pelo espirito de iniciativa, decisão e coragem revelados no decorrer duma acção de fogo, ao perseguir o inimigo que pretendia escapar-se à acção das Nossas Tropas, conseguindo abater um deles após porfiada corrida debaixo de fogo que se prolongou por algumas centenas de metros.

 

É condecorado com a Cruz de Guerra de 4.ª Classe.»
 


 

---------------------------------------------------------------

 

Batalhão de Caçadores N.º 1935
 

Identificação:
BCac1935


Unidade Mobilizadora:
Batalhão de Caçadores 10 (BC10 - Chaves)


Comandante:
Tenente-Coronel de Infantaria Joaquim Custódio da Costa Gouveia


2.º comandante:
Major de Infantaria Abeilard Borges Teixeira Martins


Oficial de Informações e Operações/Adjunto:
Major de Infantaria Carlos Elmano Rocha


Comandantes de Companhia:


Companhia de Comando e Serviços (CCS):
Capitão do Serviço Geral do Exército Fernando de Almeida
Capitão do Quadro do Serviço Geral do Exército Álvaro Fernandes Nogueira


Companhia de Caçadores 1796 (CCac1796):
Capitão Mil.º Álvaro Carinhas Camilo


Companhia de Caçadores 1797 (CCac1797):
Capitão de Infantaria Fernando Augusto Gomes


Companhia de Caçadores 1798 (CCac1798):
Capitão de Infantaria Álvaro Teixeira Soares


Teve sob o seu comando:
Companhia de Artilharia 1626 (CArt1626),
Companhia de Artilharia 1597 do Batalhão de Artilharia 1893 (CArt1597/BArt1893),
Companhia de Caçadores 1583 (CCac1583),
1.ª Companhia do Batalhão de Caçadores 18 (1ª/BCac18),
Companhia de Caçadores 1669 do Batalhão de Caçadores 1907 (CCac1669/BCac1907),
Companhia de Artilharia 2388 (CArt2388),
Companhia de Caçadores 1619 (CCac1619),
Companhia de Artilharia (CArt2327),
Companhia de Caladores 2450 (CCac2450),
Companhia de Caladores 2467 (CCac2467),
Companhia de Caladores 2468 (CCac2468),
Companhia de Caladores 2469 (CCac2469),
Companhia de Caçadores de Vila Manica (CCacVilaManica),
Companhia de Caçadores de Vila Gouveia (CCacVila Gouveia) e
Esquadrão de Cavalaria 3 (ECav3).


Divisa:
"Os Galgos - Sempre Excelentes e Valorosos".


Partida:
Embarque, em navio, no dia 10 de Outubro de 1967; Desembarque no dia 1 de Novembro de 1967.


Regresso:
Embarque, em navio, no dia 27 de Novembro de 1969.


Síntese da Actividade Operacional
Desembarcou em Nacala e foi colocado em Maúa, no distrito do Niassa, onde rendeu o Batalhão de Artilharia 1893 (BArt1893), no subsector EUA.


As Companhia de Caçadores 1796, 1797 e 1798, foram colocadas respectivamente, em Rapala, Révia e Muôco, integradas no dispositivo do batalhão [BCac1935] até 5 de Fevereiro de 1969, data em que foram transferidas e retiradas definitivamente.


Ficaram sob o seu comando:


Companhia de Artilharia 1626 (CArt1626) em Nipepe (de Novembro a Dezembro de 1967),
Companhia de Artilharia 1597 do Batalhão de Artilharia 1893 (CArt1597/BArt1893) em Maúa (de Novembro de 1967 a Junho de 1968) e América (de Junho a Julho de 1968),
Companhia de Caçadores 1583 (CCac1583) em América (intervenção, de Abril a Juno de 1968),
1.ª Companhia do Batalhão de Caçadores 18 (1ª/BCaç 18) em Nipepe (de Março a Outubro de 1968) e Muôco (a partir de Outubro de 1968),
Companhia de Caçadores 1669 do Batalhão de Caçadores 1907 (CCac1669/BCac1907) em América (de Novembro de 1967 a Junho de 1968),
Companhia de Artilharia 2388 (CArt2388) em América (De Junho a Setembro de 1968), Ilha de Metarica (de Setembro de 1968 a Fevereiro de 1969) e em Révia (a partir de Fevereiro de 1969),
Companhia de Caçadores 1619 (CCac1619) e Companhia de Artilharia 2327 (CArt2327) ambas em Révia (situação de intervenção, a 1.ª de 15 de Junho a 1 de Outubro de 1968 e a 2.ª de 1 de Outubro a 6 de Dezembro de 1968 e de 18 de Janeiro a 4 de Março de 1969),
Companhia de Caçadores 2450 (CCac2450) em Metarica e Nicoco (de Novembro a Dezembro de 1968),
Companhia de Caçadores 2467 (CCac2467) em Murama (de Fevereiro a Março de 1969),
Companhia de Caçadores 2468 (CCac2468) em Galgolíua (de Fevereiro a Março de 1969) e
Companhia de Caçadores 2469 (CCac2469) em Ilha de Metarica (de Fevereiro a Março de 1969).


A 1 de Abril de 1969, devido a alteração do dispositivo, as localidades de Murama, Galgolíua e Ilha de Metarica, passaram para o subsector de Marrupa (Batalhão de Artilharia 2839 - BArt2839).


A actividade inimiga, consistia na implantação de engenhos explosivos nos itinerários, armadilhas, emboscadas e flagelações a aquartelamentos.


De Novembro de 1967 a Maio de 1969, numa zona de subversão violenta intensa, o batalhão [BCac1935] planeou e efectuou dezenas de operações, que consistiam em abertura de itinerários, escoltas a colunas de reabastecimento, patrulhamentos, nomadizações, emboscadas, batidas e golpes de mão, designadamente:


"Galgos em Casa Alheia" (vale do rio Nanhupo),
"Galgos Empurram", "Aniversários dos Galgos", "Cão Fareja" e "Cão Morde" (regiões entre os rios Luatize e Lugenda),
"Galgos Cambam" (vale do rio Lugenda),
"Galgos Ladram" e "Vassourada dos Galgos" (Nordeste (NE) de Cassero - na 1.ª, destruída base Fornalha Ardente, baixas inimigas, capturado material de guerra e outro),
"Ferroada dos Galgos" (entre os rios Lugenda e Meteringué)
"Galgos de Barrete" (zona do rio Levele a Noroeste (NW) de Cassero),
"Galgos Consolidam I e H" (nascentes do rio Namparica) e
"Galgos Persistem" (ilha do rio Lugenda).


Em Maio de 1969, foi rendido [BCac1935] em Maúa, pelo Batalhão de Artilharia 2838 (BArt 2838) e transferido para Vila Pery, no distrito de Manica e Sofala, onde rendeu o Batalhão de Caçadores 1916 (BCac1916) no subsector de Vila Pery.


Ficaram sob o seu comando [BCac1935], a Companhia de Caçadores de Vila Gouveia (CCacVilaGouveia), a Companhia de Caçadores de Vila Manica (CCacVilaManica) e o Esquadrão de Cavalaria 3 (ECav3), em Vila Pery, este último até fins de Agosto de 1969.


Não existiam indícios da presença do inimigo, havia contudo informações da infiltração de pequenos grupos bem como tentativas de aliciamento das populações.


De Maio a Novembro de 1969, a actividade operacional constava de escoltas, nomadizações, patrulhamentos, contactos com as populações, colaboração com as autoridades administrativas, assistência médico-sanitária e acção psicológica.


Não foi rendido [BCac1935]. As instalações ficaram a cargo de um pelotão do Grupo de Artilharia de Campanha 6 (GAC6).


-----------------------------------------------------

 

A Companhia de Caçadores 1796 (CCac1796), desembarcou em Nacala e foi colocada em Iapala onde rendeu a Companhia de Artilharia 1597 do Batalhão de Artilharia 1893 (CArt1597/BArt1893).


A 23 de Dezembro de 1967, extinto o aquartelamento de lapala, instalou-se em Nipepe, onde rendeu a Companhia de Artilharia 1626 (CArt1626).


Guarneceu com 1 pelotão o destacamento de Muapula.


A 1 de Maio de 1968, foi rendida em Nipepe, pela 1.ª Companhia do batalhão de Caçadores 18 (1ª/BCac18), e transferida para Maúa, na situação de intervenção do comando do Sector E (Marrupa).


A 4 de Julho de 1968, terminada a situação de intervenção, foi transferida para Galgolíua, (subsector do batalhão -[BCac1935]), onde construiu o aquartelamento.


Estabeleceu 1 destacamento de pelotão em Murama, até 21 de Outubro de 1968. (Substituído pela Companhia de Caçadores 1798 - CCac1798).


De Novembro de 1967 a Fevereiro de 1969, além da actividade de intervenção, em que tomou parte nas operações:

 

"Galgos Pintam a Manta",
"Galgos Cambam",
"Ferroada dos Galgos" e
"Galgos Saltam a Fogueira",


executou, entre outras, as operações:

 
"Galgos Farejam" (região de Chiba),
"Palavi" (entre os rios Lúrio e Namarepo),
"Onça", (vale do rio Ecopobil),
"Galinha" (monte Xavera) e
"Galgos Disparam" (entre os rios Lutiva e Luanga).


A 5 de Fevereiro de 1969, foi rendida em Galgolíua, pela Companhia de Caçadores 2468 (CCac2468) e transferida para o Chire, no distrito da Zambézia, onde rendeu a Companhia de Caçadores 1633 do Batalhão de Caçadores 1899 (CCac1633/BCac1899), sendo retirada definitivamente ao batalhão [BCac1935]. Ficou sob o comando do Batalhão de Caçadores 1937 (BCac1937), no subsector de Mocuba (DMO), do sector D.


Guarneceu com 1 pelotão o destacamento de Metoloca.


De 10 de Junho a 28 de Julho de 1969, esteve na situação de intervenção do comando do Sector A (Vila Cabral).


A 29 de Julho de 1969, terminada a situação de intervenção, seguiu para Milange, no distrito da Zambézia, onde rendeu a Companhia de Caçadores de Milange (CCacMilange). Continuou sob o comando do Batalhão de Caçadores 1937 (BCac1937), no subsector de Mocuba (DMO), do sector D.


De Agosto de 1969, até final da comissão, executou patrulhamentos na sua zona de acção.


Foi rendida em Milange (Novembro de 1969), pela Companhia de Artilharia 2373 do Batalhão de Artilharia 2847 (CArt2373/BArt2847).
 

-----------------------------------------------------

 

A Companhia de Caçadores 1797 (CCac1797) desembarcou em Nacala e foi colocada em Révia onde rendeu a Companhia de Artilharia 1595 do Batalhão de Artilharia 1893 (CArt1595/BArt1893).


De Novembro de 1967 a Fevereiro de 1969, efectuou entre outras, as operações::


"Gago Coutinho" (região de Cassero),
"Galgos na Mata" (foz do rio Chameze),
"Galgos na Machamba" e "Galgos Ultrapassam" (monte Xizeze),
"Galgos no Rio" (vale do rio Lugenda) e
"Perseguição dos Galgos" (entre os rios Lugenda e Namacare).


Participou nas operações:


"Galgos em Casa Alheia",
"Galgos Pintam a Manta",
"Aniversário dos Galgos"
"Galgos Cambam" e
"Galgos Ladram".


Em Fevereiro de 1969, rendida em Révia, pela Companhia de Artilharia 2388 (CArt2388) foi transferida para Mabo-Tacuane, no distrito da Zambézia, onde rendeu a Companhia de Caçadores 1634 do Batalhão de Caçadores 1899 (CCac1634/BCac1899), sendo retirada definitivamente ao batalhão [BCac1935].


Ficou sob o comando do Batalhão de Caçadores 1937 (BCac1937) no subsector de Mocuba (DMO), do sector D.


Guarneceu, com 1 secção, os destacamentos da represa da "Companhia de Chá Nadal" e as instalações da "Companhia de Chá Tacuane".


De 22 de Agosto a 14 de Outubro de 1969, esteve na situação de intervenção do comando do Sector F (Tete).


De Fevereiro de 1969, até final da comissão, além da actividade de intervenção, a actividade operacional, consistia em patrulhamentos na sua zona de acção.


Foi rendida em Mabo Tacuane (Novembro de 1969), pela Companhia de Artilharia 2372 do Batalhão de Artilharia 2847 (CArt2372/BArt847.
 

-----------------------------------------------------

 

A Companhia de Caçadores 1798 (CCac1798) desembarcou em Nacala e foi colocada em Muôco onde rendeu a Companhia de Artilharia 1626 (CArt1626).


Guarneceu, com 1 pelotão, os destacamentos de Napumuruma e Namarica; este até 13 de Junho de 1968.


A 21 de Outubro de 1968 foi transferida de Muôco para Murama, onde substituiu 1 pelotão da Companhia de Caçadores 1796 (CCac1796).

 
De Novembro de 1967 a Fevereiro de 1969, efectuou entre outras, as operações:

 
"António Enes"(entre os rios Uriate e Messruce),
"Galgos Alerta" (região de Natuco);
"Galgos na Verdura" (vale do rio Manamonamo) e
"Teimosia dos Galgos" (vale do rio Nampumgo).


Tomou parte nas operações:

 
"Galgos em Casa Alheia",
"Galgos Pintam a Manta",
"Galgos Cambam",
"Ferroada de Galgos" e
"Galgos Saltam a Fogueira"


Em Fevereiro de 1969, foi rendida em Murama, pela Companhia de Caçadores 2467 (CCac2467) e transferida para Morrumbala, no distrito da Zambézia, onde rendeu a Companhia de Caçadores 1632 do Batalhão de Caçadores 1899 (CCac1632/BCac1899), sendo retirada definitivamente ao batalhão [BCac1935].


Ficou sob o comando do Batalhão de Caçadores 1937 (BCac1937) no subsector de Mocuba (DMO) do sector D.


Guarneceu, com 1 pelotão, os destacamentos de Derre e Mopeia.


De 10 de Abril a 31 de Maio de 1969 actuou como força de intervenção do comando do Sector A (Vila Cabral).


De Fevereiro de 1969, até final da comissão, além da actividade de intervenção, executou patrulhamentos na sua zona de acção.


Foi rendida em Morrumbala (Novembro de 1969), pela Companhia de Artilharia 2374 do Batalhão de Artilharia 2847 (CArt2374/BArt2847).
 

-----------------------------------------------------

 

Dos resultados obtidos, decorrentes da actividade operacional do batalhão [BCac1935], salienta-se, entre o diverso material capturado: 1 pistola, 7 pistolas-metralhadoras, 79 espingardas, 50 granadas de mão, 2 granadas de lança granadas-foguete, grande quantidade de munições de armas ligeiras e variada documentação.
 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo