.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Artur Pereira Pires, Furriel Mil.º de Cavalaria 'Comando', n.º 1546/62

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

 

 

 

 

Artur-Pereira-Pires-350Artur Pereira Pires

 

Furriel Mil.º de Cavalaria 'Comando', n.º 1543/62

 

Companhia de Cavalaria 488

 

Batalhão de Cavalaria 490

«SEMPRE EM FRENTE»

 

Chefe de Equipa do

 

Grupo de Comandos 'FANTASMAS'

«AUDACES FORTUNA JUVAT»

 

Guiné: 22Jul1963 a 28Nov1964 (data do falecimento)

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

Louvor Colectivo

 

 

 

 

Artur Pereira Pires, Furriel Mil.º de Cavalaria ‘Comando’, n.º 1546/62, nascido no dia 7 de Setembro de 1941, na freguesia de São Sebastião da Pedreira, concelho de Lisboa, filho de Carlos José Pires e de Rosalina Pereira Vaz Pires, solteiro;


Mobilizado pelo Regimento de Cavalaria 3 (RC3 – Estremoz) «DRAGÕES DE OLIVENÇA» - «…NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE» para servir Portugal na Província Ultramarina da Guiné;


CCav488-280
No dia 17 de Julho de 1963, na Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos, em Lisboa, embarcou no NTT ‘Niassa’, integrado na Companhia de Cavalaria 488 (CCav488) do Batalhão de Cavalaria 490 (BCav490) «SEMPRE EM FRENTE», rumo ao estuário do Geba (Bissau), onde desembarcou no dia 22 de Julho de 1963;

 

A sua subunidade de cavalaria, enquanto na função de intervenção, foi empregada em diversas operações nas regiões de Mansoa, Cutia, Bissorã e Morés, em reforço do Batalhão de Caçadores 512 (BCac512) «HONRA E GLÓRIA»;


No dia 23 de Outubro de 1963, embarcou em Bissau, integrado num grupo de militares da Guiné, com
destino a Luanda, na Província Ultramarina de Angola, a fim de receber instrução de Comandos;


Em 6 de Dezembro de 1963, terminou a instrução e regressou a Bissau, antes do embarque, o Capitão ‘Comando’ Júlio Faria Ribeiro de Oliveira, numa singela mas simbólica cerimónia, entregou a cada um dos militares que constituíam o grupo da Guiné, o Crachá da especialidade COMANDO;


De 14 de Janeiro a 24 de Março de 1964, participou
na operação "Tridente", integrado no Grupo de Comandos, o qual tinha frequentado o Estágio Operacional em Angola;

CTIG-280
Em 29 de Junho de 1964, iniciou a instrução e
preparação para monitor no Centro de Instrução de Comandos do Comando Territorial Independente da Guiné;


Em 24 de Agosto de 1964, no Centro de Instrução de Comandos, teve início o 1.º Curso de Comandos da Guiné com vista à formação de três Grupos de Comandos («FANTASMAS», «CAMALEÕES» e «PANTERAS»), no qual foi monitor, tendo aquele curso terminado no dia 17 de Outubro de 1964;


Após a conclusão do 1.º Curso de Comandos, foi integrado no Grupo de Comandos 'FANTASMAS' «AUDACES FORTUNA JUVAT», como chefe de equipa;

 

Fotos extraídas do 14.º Volume - Tomo 1, da CECA/EME:

 

Encerramento do 1.º Curso de Comandos da Guiné - Outubro de 1964

 

Fim da cerimónia: Os 3 Grupos preaparam-se para desfilar ostentando as insígnias recebidas

 

Por ordem vêem-se os «CAMALEÕES», sob o comando do Alferes Godinho [Justino Coelho Godinho], os «PANTERAS» e os «FANTASMAS»

 

 

      

 

Grupo de Comandos «FANTASMAS»

 

Comandante:

- Alferes Mil.º 'Comando' Maurício Leonel Sousa Saraiva

 

Chefe de Equipa:

- Furriel Mil,º 'Comando' Artur Pereira Pires

- Furriel Mil,º 'Comando' Joaquim Carlos Ferreira Morais

- Furriel Mil,º 'Comando' João Carlos Gomes Alves de Matos (1)

- Furriel Mil,º 'Comando' João Severo Parreira (2)

 

Praças

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 23/RD, Braima Seidi

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 60/E, Tomaz Camará

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 1510/62, António Joaquim Vieira Ferreira

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 457/63, Ramiro de Jesus Silva

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 320/63, Alfredo Augusto da Cruz

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 1490/62, Fernando Paula Pinto

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 506/62, Manuel Fernandes Alves Rodrigues

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 2357/62, António Carlos Carreira Gomes

- 1.º Cabo 'Comando' n.º 625/63, António Carvalho Mendes

- Soldado 'Comando n.º 1553/62, Manuel Coito Narcis

- Soldado 'Comando n.º 1560/62, José da Rocha Moreira

- Soldado 'Comando n.º 1660/62, João Ramos Godinho

- Soldado 'Comando n.º 1579/62, Artur Mendes Martins

- Soldado 'Comando n.º 659/63, Joaquim Lima Coutinho

- Soldado 'Comando n.º 155/62, António Kássimo

- Soldado 'Comando n.º 120/62, Amadú Bailo Djaló

- Soldado 'Comando n.º 1/63, António João Paulista Solda

- Soldado 'Comando n.º 1561/62, António de Jesus Carreira

- Soldado 'Comando n.º 514/62, António Aquino de Sousa

- Soldado 'Comando n.º 1564/62, Luís Lopes Jorge

- Soldado 'Comando n.º 122/63, Joaquim Pedro Quã

- Soldado 'Comando n.º 207/63, Joaquim Ricardo Gonçalves

- Soldado 'Comando n.º 598/63, Manuel Martins da Cunha

- Soldado 'Comando n.º 704/63, José Saraiva Barbedo

- Soldado 'Comando n.º 69/62, Sani Infamará

- Soldado 'Comando n.º 12/63, António Jacinto Moreira

 

Recompletados em Fevereiro de 1965:

- Soldado 'Comando n.º 19/64, do 2.º Curso

- Soldado 'Comando n.º 797/64, Vitalino de Jesus Feijão, do 2.º Curso

- Soldado 'Comando n.º 783/64, José Guerreiro Emílio, do 2.º Curso

 

O pessoal remanescente dos «FANTASMAS» integrou-se, em meados de 1965, no novo grupo os «CNTURIÕES»

 

(1) - Fez parte do Grupo desde o início, mas o Curso de Comandos foi-lhr averbado com os do 2.º Curso.

 

(2) - Substituiu o Furriel Pires em 12 de Fevereiro de 1965 - Averbado no 2.º Curso de Comandos.  

 

 

 Encerramento-do-1-Curso-de-Comandos-da-Guin-2

Centro de Instrução de Comandos em Brá - Outubro de 1964

Cerimónia de imposição das insígnias «COMANDO» após 4 meses de instrução.

Em 1.º plano os «FANTASMAS» sob o comando do Alferes Saraiva [Maurício Leonel de Sousa Saraiva]

Comanda os Grupos o Tenente Abreu Cardoso [Jaime Rodolfo de Abreu Cardoso] que tinha comandado o grupo «FANTASMAS» de Angola

 

 

Encerramento-do-1-Curso-de-Comandos-da-Guin-3

O Comandante Militar da Guiné - Brigadeiro Sá Carneiro,

na cerimónia de encerramento do 1.º Curso de Comandos da

Guiné - Outubro de 1964

 

 

 Encerramento-do-1-Curso-de-Comandos-da-Guin-5

Encerramento do 1.º Curso de Comandos - 17 de Outubro de 1964

O Comandante do Centro de Instrução de Comandos (CIC):

Major 'Comando' Correia Dinis, profere uma alucução

 

 

 Desfile-e-render-da-Guarda-6

Desfile e Render da Guarda do Palácio do Governo

Entrada na Avenida da República - em 1.º plano o Alferes Saraiva

[Maurício Leonel de Sousa Saraiva]

 

 

 Desfile-em-Bissau-7

Desfile dos Grupos de Comandos em Bissau

Em 1.º plano o Tenente 'Comando' Abreu Cardoso [Jaime Rodolfo de Abreu Cardoso]

 

 

 Fim-do-Desfile-Quartel-da-Amura-8

Fim do desfile - Quartel da Amura

 

 

Equipa-do-Furriel-Gr-Cmds-Fantasmas

Crupo de Comandos «FANTASMAS» - Equipa do Furriel Pires (ao centro)

 

 

Actividade operacional mais significativa, levada a cabo pelo Grupo de Comandos «FANTASMAS», até ao falecimento do Furriel Mil.º de Cavalaria 'Comando' Artur Pereira Pires:

 

 

  DESIGNAÇÃO PERÍODO ZONA DE ACÇÃO FORÇAS QUE TOMARAM PARTE NA ZONA DO:

 

Golpe de mão

24Out1964

Mata Cufar Nalu

 

BCac619

 

Golpe de mão

28Out1964

Mata Cufar

Com: CCac617, reforçada com nativos

 

 

Operação "Confiança"

25Out a 04Nov1964

Óio

Reabertura itinerário Mansabá- Farim. Com: os GrCmds «CAMALEÕES» e «PANTERAS»

BCav705

 

Assalto a acampamentos

03Nov1964

Madina - Mandinga

 

BArt645

 

Operação "Vai à Toca"

11Nov1964

Gundague, Beafada, Darsalame e Baio

Com: GrCombate/CCac526

BCac697

 

Patrulhamento Emboscada

27Nov1964

Madina de Boé Contabane

Levantamento de mina anticarro tipo desconhecido

 

 

Deslocamento Auto

28Nov1964

Madina de Boé Contabane

Accionamento de engenho explosivo

BCac506

 

 

Louvado por feitos em combate, publicado na Ordem de Serviço n.º 39, de 12 de Maio de 1964, do Comando Territorial Independente da Guiné;


Agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 4.ª classe, pela Portaria de 5 de Junho de 1964, publicado na Ordem do Exército n.º 18 – 3.ª série, de 1964 e na Revista da Cavalaria do ano de 1964, páginas 68 e 69;


Faleceu no dia 28 de Novembro de 1964, em Madina do Boé, em consequência de ferimentos em combate;


Tinha 23 anos de idade;


Está inumado no cemitério no cemitério da Ajuda, em Lisboa.


A sua Alma descansa em Paz


Louvor colectivo - Batalhão de Cavalaria 490 - publicado na Ordem de Serviço n.º 14, do Comando Militar da Guiné, de 16 de Fevereiro de 1965 e na Revista da Cavalaria do ano de 1965, pág. 150.
 

-------------------------------------
 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

 

Furriel Miliciano de Cavalaria ‘Comando’
ARTUR PEREIRA PIRES
 

CCav488/BCav490 - RC3
GUINÉ


4.ª CLASSE


Transcrição da Portaria publicada na Ordem do Exército n.º 18 - 3.ª série, de 1964.


Por Portaria de 05 de Junho de 1964:


Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro do Exército, condecorar com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província da Guiné:


O Furriel Miliciano de Cavalaria ‘Comando’, Artur Pereira Pires, da Companhia de Cavalaria n.º 488 do Batalhão de Cavalaria n.º 490 - Regimento de Cavalaria 3.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado na Ordem de Serviço n.º 39, de 12 de Maio de 1964, do Cmando Territorial Independente da Guiné):


Louvado, o Furriel Miliciano, Artur Pereira Pires, da Companhia de Cavalaria n.º 488 do Batalhão de Cavalaria n.º 490, porque prestando serviço no Grupo de Comandos, na operação "Tridente", apesar do seu precário estado de saúde, demonstrou nas acções em que tornou parte, entusiasmo, abnegação, espírito de sacrifício e coragem invulgares. Designadamente numa acção em 07 de Fevereiro de 1964, teve comportamento de destaque numa equipa de cinco elementos que, debaixo de intenso fogo inimigo e em campo aberto, se deslocou para uma posição donde protegeu o avanço das nossas tropas, evitando assim baixas e contribuindo eficazmente para o êxito obtido.


Pelas qualidades citadas, aliadas a uma perfeita educação militar e cívica, é merecedor da maior confiança e apreço por parte das Forças Armadas.

 

-------------------------------------
 

Louvor Colectivo

 

BATALHÃO DE CAVALARIA N.º 490


Ordem de Serviço n.º 14 do Comando Militar da Guiné,

de 16 de Fevereiro de 1965


CmdAgr16
Que, por despacho de 12 do corrente e por proposta do Excelentíssimo Comandante do Agrupamento n.º 16, louva:


Batalhão de Cavalaria n.º 490 porque, encontrando-se na Província há mais de 18 meses e tendo iniciado a sua missão de quadrícula após um período de intervenção nas regiões mais afectadas pelo inimigo (Ilha do Como e Morés), tem mantido uma actividade operacional profícua a custo dos próprios efectivos em quadrícula, enfileirando sempre ao lado de outras Unidades mais modernas na Província.


Não obstante as alterações que tem havido nos principais colaboradores do Comando e no Comando das suas Companhias orgânicas, tudo por força de promoções ocorridas após o início da sua Comissão de Serviço, e apesar do elevado número de elementos inoperacionais como consequência de factores vários a que não são estranhos os períodos vividos em verdadeiro ambiente de contra-guerrilha, tem o Batalhão de Cavalaria n.º 490 sabido manter um elevado espírito combativo que honra a Arma de Cavalaria e o Exército.


Unidade dotada de elevado moral, tem-no fortificado nos duros momentos de luta já vividos e que ficam a atestar o alto valor militar de todos os seus componentes, Oficiais, Sargentos e Praças, irmanados como estão no mesmo sentimento do Dever que os trouxe à Guiné Portuguesa.


(in Revista da Cavalaria do ano de 1965, pág. 150)

-------------------------------------
 

Notícia da despedida e partida para o Ultramar do Batalhão de Cavalaria 490

 

 Partida

 

Artur-Pereira-Pires-920
 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo