.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Alfredo João dos Santos, Soldado Mecânico, da CCav1535/BCav1883

 

  "Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA  

 

 

CG-4-Classe-350Alfredo-Jo-o-dos-Santos-350Alfredo João dos Santos

 

Soldado Mecânico Desempanador, n.º 02127365

 

Companhia de Cavalaria 1535

 

 Batalhão de Cavalaria 1883

«PRONTOS PARA TUDO»

«…NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE»

 

Angola: 26Abr1966 a 14Jan1967 (data do falecimento)

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

Louvor Individual

 

 

Alfredo João dos Santos, Soldado Mecânico Desempanador, n.º 02127365, nasceu no ano de 1945, no lugar de Miguel Choco, na freguesia de Santa Maria, concelho de Trancoso, filho de António Maria e de Maria da Previdência, solteiro;


RC3-esMobilizado pelo Regimento de Cavalaria 3 (RC3 – Estremoz) «DRAGÕES DE OLIVENÇA» - «…NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE» para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola;


CCav1535No dia 15 de Abril de 1966, na Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos, em Lisboa, embarcou no NTT ‘Niassa’, integrado na Companhia de Cavalaria 1535 (CCav1535) do Batalhão de Cavalaria 1883 (BCav1883) BCav1883-1«PRONTOS PARA TUDO» - «… NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE», rumo ao porto de Luanda, onde desembarcou no dia 26 de Abril de 1966;


BCav1883A sua subunidade de cavalaria foi colocada em Quicabo; em Novembro de 1966 foi transferida para a Fazenda Maria Fernanda;


Faleceu no dia 14 de Janeiro de 1967, na picada Margarido - Balacende, a cerca de 1000 m da ponte, em consequência de ferimentos em combate;


Tinha 22 anos de idade;


Está inumado no cemitério dos Olivais, em Lisboa;

 

A sua Alma descansa em Paz


Louvado a título póstumo por feitos em combate no Teatro de Operações de Angola, publicado na Ordem de Serviço n.º 46, de 9 de Junho de 1967, do Quartel General da Região Militar de Angola;


Agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 4.ª classe, a título póstumo, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 6 de Julho de 1967, publicado na Ordem do Exército n.º 24 – 3.ª série, de 30 de Agosto de 1967 e na Revista da Cavalaria do ano de 1967, página 1967.

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

CG-4-Classe-700Soldado Mecânico Desempanador, n.º 02127365
ALFREDO JOÃO SANTOS
 

CCav1535/BCac1883 – RC3
ANGOLA


4.ª CLASSE (Título póstumo)


Transcrição do Despacho publicado na Ordem do Exército n.º 24 – 3.ª série, de 1967.


Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, nos termos do artigo 12.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 06 de Julho de 1967:


O Soldado mecânico, n.º 2069/65, Alfredo João Santos, da Companhia de Cavalaria n.º 1535 do Batalhão de Cavalaria n.º 1883 - Regimento de Cavalaria n.º 3, a título póstumo.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado na Ordem de Serviço n.º 46, de 09 de Junho de 1967, do Quartel General da Região Militar de Angola):

 
Louvado a título póstumo, o Soldado mecânico, n.º 02127365, Alfredo João dos Santos, da Companhia de Cavalaria n.º 1535 do Batalhão de Cavalaria n.º 1883 - Regimento de Cavalaria n.º 3, porque, em 14 de Janeiro de 1967, quando o seu Grupo de Combate sofreu uma violenta emboscada e constatando que os condutores das viaturas haviam sido atingidos, se prontificou, por ser mecânico e saber conduzir, a manobrar as referidas viaturas, acabando ele próprio por ser atingido mortalmente pelo inimigo.


Demonstrou com a sua atitude, total espírito de sacrifício e a mais serena coragem que o tornaram merecedor do testemunho público da nossa admiração.


 

Alfredo-Jo-o-dos-Santos-920
 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo