.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

General de Infantaria Aurélio Manuel Trindade

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo I, pág.s 258 e 259, da RHMCA / CECA / EME

5.º Volume, Tomo IV, pág.s 116 e 117, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo III, Livro 2, pág. 39, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo II, pág.s 625 e 626, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo II, pág. 630, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo I, pág.s 314 e 315, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 88, pág. 23, de Abril de 1967

Apoio de um colaborador do portal UTW

Imagens dos distintivos cedidas pelo veterano Carlos Coutinho

 

Aurélio Manuel Trindade

 

General (oriundo da Arma de Infantaria)

 

Comandou em Moçambique, então Capitão de Infantaria, a

 

Companhia de Caçadores Especiais 312 (CCE312)

«SEMPRE EXCELENTES E VALOROSOS»

 

Comandou na Guiné, então Capitão de Infantaria, a

 

4.ª Companhia de Caçadores Indígenas / 6.ª Companhia de Caçadores

«AUT VINCERE AUT MORI»
 

2.º Comandante em Angola, então Major de Infantaria, do

 

Batalhão de Caçadores 3856 «DIGNOS LEAIS JUSTOS»

 

Medalha de Prata de Valor Militar com palma

 

Cruz de Guerra de 2.ª classe

 

Ordem Militar de Avis, grau Cavaleiro

 

Medalha de Mérito Militar de 3.ª classe

 

Prémio 'Governador'

 

Brevíssima Resenha Castrense

 

Aurélio Manuel Trindade, General (oriundo da Arma de Infantaria);

Em 1959/60, tenente de infantaria, frequenta o curso de transmissões de infantaria sucessivamente na Escola Prática de Engenharia (EPE - Tancos) e na Escola Prática de Infantaria (EPI - Mafra);

 

Em 17Julho de 1961, encontrando-se colocado no Regimento de Infantaria 14 (RI14 - Viseu), promovido a capitão;
 

Em 12 de Agosto de 1961 conclui no Centro de Instrução de Operações Especiais (CIOE - Lamego) o estágio de caçadores;
 

Em 17 de Julho de 1962, tendo sido mobilizado pelo Batalhão de Caçadores 10 (BC10 - Chaves) para servir na Portugal na Província Ultramarina de Moçambique, embarca em Lisboa no NTT 'Niassa, como comandante da Companhia de Caçadores Especiais 312 (CCE312) (nota1) destinada a actividades nas imediações da fronteira com a Rodésia;


Em 13 de Agosto de 1964 regressa à Metrópole e fica colocado no Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes);

Em 20 de Março de 1965 transferido para o Regimento de Infantaria 14 (RI14 - Viseu);

Em 18 de Agosto de 1965, tendo sido nomeado para servir Portugal na Província Ultramarina da Guiné, embarca no Aeródromo Base n.º 1 (AB1 - Figo Maduro) rumo à Base Aérea n.º 12 (BA12 - Bissalanca), a fim de comandar a 4.ª Companhia de Caçadores Indígena do Comando Territorial Independente da Guiné (4ªCCacI / CTIG) (nota2) aquartelada em Bedanda;


Em 21 de Dezembro de 1965 agraciado com a Medalha de Mérito Militar de 3ª classe;
 

Em 31 de Janeiro de 1967 agraciado com a Cruz de Guerra de 2ª classe;

Em 27 de Julho de 1967, após cessar em Bedanda o comando da Companhia de Caçadores 6 do Comando Territorial Independente da Guiné (CCac6 / CTIG) (nota3), embarca em Bissau no NTT 'Uíge' de regresso à Metrópole e ao Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes);


Em 3 de Outubro de 1967 agraciado com a Medalha de Prata de Valor Militar com palma;

Em 1 de Maio de 1969 promovido por distinção ao posto de major, com antiguidade a 3 de Novembro de 1968;


Em 22 de Abril de 1970 agraciado com o grau de Cavaleiro da Ordem Militar de Avis;

 

Em 25 de Setembro de 1971, tendo sido mobilizado pelo Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes) para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola, embarca em Lisboa no NTT 'Vera Cruz' rumo a Luanda, como 2º comandante do Batalhão de Caçadores 3856 (BCac3856) (nota4);

Em 8 de Dezembro de 1973 regressa definitivamente à Metrópole e fica colocado na Escola Prática de Infantaria (EPI - Mafra);

Em 1 de Dezembro de 1974 promovido a tenente-coronel;
 

Em 1976 - 1977 coronel comandante da Escola Prática de Infantaria (EPI - Mafra).

 

 

 

 

 

 

----------------------------------------------------------------

 

(nota1)

 

Companhia de Caçadores [Especiais] N.º 312
 

Identificação:
CCac312 [CCE312]
 

Unidade Mobilizadora:
Batalhão de Caçadores 10 (BC10 - Chaves)
 

Comandante:
Capitão de Infantaria Aurélio Manuel Trindade
 

Divisa:
"Sempre Excelentes e Valorosos"
 

Partida:

Embarque em 17 de Julho de 1962; Desembarque em 6 de Agosto de 1962
 

Regresso:
Embarque em 13 de Agosto 1964


Síntese da Actividade Operacional
Desembarcou na Beira, a 6 de Agosto de 1962.


Permaneceu 4 meses nas instalações da empresa de cervejas da Manga (cerca de 8 Km da Beira).


Teve a seu cargo a segurança dos paióis do Dondo, com 1 pelotão ali destacado.


Em Dezembro de 1962, seguiu para Chibabava, ficando, sob o comando operacional do Batalhão de Cavalaria 163 (BCav163), sedeado em Vila Pery. Guarneceu Machaze, Espungabera e Gógoi com um pelotão.


Rendido em Outubro de 1963, o Batalhão de Cavalaria 163 (BCav163) pelo Batalhão de Caçadores 596 (BCac596) passou a depender deste.


A actividade da Companhia, consistia em treino operacional, patrulhamentos e contacto com autoridades tradicionais e com a população, prestando-lhes assistência educativa e medicamentosa.


Foi rendida em Chibabava (Agosto de 1964), pela Companhia de Caçadores 695 (CCac695).


Observações:
Não tem História da Unidade. Os elementos foram fornecidos por Vasco F. Garcês Atougueira (ex-alferes da Companhia)
 

----------------------------------------------------------------

 

(nota2)

 

4.ª Companhia de Caçadores
 

Identificação:
4.ªCCac
 

Comandantes (a)
Capitão de Infantaria Manuel Dias Freixo
Capitão de Infantaria António Ferreira Rodrigues Areia
Capitão de Infantaria António Lopes Figueiredo
Capitão de Infantaria Renato Jorge Cardoso Matias Freire
Capitão de Infantaria Nelson João dos Santos
Capitão Mil.º de Infantaria João Henriques de Almeida
Capitão de Infantaria Alcides José Sacramento Marques
Capitão de Infantaria João José Louro Rodrigues de Passos
Capitão de Infantaria António Feliciano Mota da Câmara Soares Tavares
Capitão de Infantaria Aurélio Manuel Trindade
 

(a) Os Comandantes de Companhia são apenas indicados a partir de 1 de Janeiro de 1961
 

Divisa:
"Aut Vincere Aut Mori"
 

Início:
Anterior a 1 de Janeiro de 1961
 

Extinção:

1 de Abril de 1967 (passou a designar-se Companhia de Caçadores 6)
 

Síntese da Actividade Operacional
Era uma subunidade da guarnição normal, com existência anterior a 1 de Janeiro de 1961 e foi constituída por quadros metropolitanos e praças indígenas do recrutamento local, estando enquadrada nas forças do CTIG (Comando Territorial Independente da Guiné) então existentes.
Em 1 de Janeiro de 1961, estava instalada em Bolama, com um pelotão destacado em Bedanda.


Em 8 de Abril de 1961, iniciou o deslocamento para Buba, onde foi colocada temporariamente, a partir de 6 de Maio de 1961.

Em 3 de Julho de 1961, foi transferida para Bedanda, mantendo um pelotão em Buba, até à chegada da Companhia de Caçadores 152 (CCac152), em 28 de Julho de 1961.


Entretanto, iniciou a instalação de forças em várias localidades da zona Sul, nomeadamente em Bolama, Bedanda, Cacine, Aldeia Formosa, Gadamael e Tite, as quais foram recolhendo à sede após substituição por outras forças, ou sendo deslocadas, para outras localidades, como Catió, Chugué e Caboxanque.


A partir de 25 de Julho de 1961, foi integrada no dispositivo e manobra do Batalhão de Caçadores 237 (BCac237) e depois sucessivamente no dispositivo dos batalhões e comandos instalados no sector. Tomou ainda parte em diversas operações realizadas nas regiões de Caboxanque, Chugué, Bochenan, entre outras.


Em 1 de Abril de 1967, passou a designar-se por Companhia de Caçadores 6 (CCac6).

 

----------------------------------------------------------------

 

(nota3)

 

Companhia de Caçadores N.º 6
 

Identificação:
CCac6
 

Comandantes:
Capitão de Infantaria Aurélio Manuel Trindade

Capitão de Infantaria Renato Vieira de Sousa
Capitão de Infantaria Rui Manuel Gomes de Mendonça
Capitão de Artilharia Ricardo António Tavares Antunes Rei
Capitão de Infantaria António Bernardino Fontes Monteiro
Capitão de Cavalaria Carlos Domingos de Oliveira Ayala Botto
Capitão de Infantaria Gastão Manuel Santos Correia e Silva
Capitão de Infantaria Jorge Alberto Ferreira Manarte
Capitão do Quadro Especial de Oficiais Elísio José Brandão Alves Pimenta
Capitão Mil.º de Infantaria António Manuel Rodrigues
 

Início:
1 de Abril de 1967 (por alteração da anterior designação de 4.ªCCac)
 

Extinção:
20 de Agosto de 1974
 

Síntese da Actividade Operacional
Em 1 de Abril de 1967, foi criada por alteração da designação anterior de 4.ª Companhia de Caçadores (4.ªCCac).


Era uma companhia da guarnição normal do CTIG (Comando Territorial Independente da Guiné), constituída por quadros metropolitanos e praças indígenas do recrutamento local.


Continuou instalada em Bedanda, onde detinha a responsabilidade do respectivo subsector e se integrava no dispositivo e manobra do sector do Batalhão de Caçadores 1858 (BCac1858), ficando sucessivamente na dependência dos batalhões e comandos ali instalados.


Por períodos variáveis, destacou temporariamente pelotões para reforço de outras guarnições, sendo especialmente orientada para a realização de acções nas regiões de Bantael Silá, Nhai, Bochenan e Flaque Injã, entre outras.


Em 20 de Agosto de 1974, sendo substituída na responsabilidade do subsector de Bedanda por forças do Batalhão de Artilharia 6520/73 (BArt6520/73), foi desactivada e extinta.

 

----------------------------------------------------------------

 

(nota4)

 

Batalhão de Caçadores N.º 3856
 

Identificação:
BCac3856
 

Unidade Mobilizadora:
Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes)
 

Comandante:
Tenente-Coronel de Infantaria Carlos Alexandre dos Ramos
 

2.º Comandante:
Major de Infantaria Aurélio Manuel Trindade
 

Oficial de Informações e Operações / Adjunto:
Major de Infantaria José Olavo Correia Ramos
 

Comandantes de Companhia:
 

Companhia de Comando e Serviços (CCS):
Capitão do Serviço Geral do Exército Octávio Barbosa de Oliveira
 

Companhia de Caçadores 3438:
Capitão Mil.º de Infantaria Firmo Manuel Baptista Jorge
 

Companhia de Caçadores 3439:
Capitão Mil.º de Infantaria Ernesto do Carmo Pereira Bruno
 

Companhia de Caçadores 3440:
Capitão de Infantaria Azuil Dias de Carvalho
Capitão Graduado de Infantaria José de Sousa Carvalho Valadares
Capitão Mil.º de Artilharia Alexandre Luís Huet Furtado Mendonça
Capitão Mil.º de Cavalaria Manuel Duarte dos Santos
 

Divisa:
«Dignos Leais Justos»
 

Partida:
Embarque em 25 de Setembro de 1971; desembarque em 4 de Outubro de 1971
 

Regresso:
Embarque em 8, 11, 12 e 14 de Dezembro de 1973
 

Síntese da Actividade Operacional
O Batalhão de Caçadores foi destinado ao subsector de Dala, na ZML (Zona Militar Leste), onde rendeu o Batalhão de Artilharia 2916 (BArt2916), tendo assumido a responsabilidade da zona de acção em 1 de Novembro de 1971.


O dispositivo foi o seguinte:


Comando e Companhia de Comando e Serviços (CCS) em Dala, a
Companhia de Caçadores 3438 (CCac3438) em Cazage; a
Companhia de Caçadores 3439 (CCac3439) em Luma-Cassai e a
Companhia de Caçadores (Ccac3440) em Chimbila.


Como subunidades de reforço tinha em Nova Chaves a Companhia de Caçadores 2696 (CCac2696) e a Companhia de Caçadores 206 do Regimento de Infantaria de Nova Lisboa da Guarnição Normal (CCaç 206/RINL - GN) sucessivamente; a Companhia de Caçadores 2697 (CCac2697) e depois a Companhia de Caçadores 3485 (CCac3485) no Alto Chicapa, e ainda os Grupos Especiais (GE) 305, 306, 318, 326, 327, 328, 341 e 342.


O Pelotão de Morteiros 2449 (PelMort2449) assegurava o apoio de fogos.


Durante este período desenvolveu uma aturada actividade operacional no sentido de neutralizar as acções do In (inimigo), desalojá-lo dos seus locais de refúgio e capturar material, objectivo que concretizou, sobretudo nas operações "Pressão 5/QH", "Pressão 6/IH", "Pato 94", "Pato 152", "Pato166 e 306", "Rojão 2/IH", "Palhota 303", "Picar 711H", "Pedreiro 85" e sobretudo "Pressão 811H", apreendendo, entre outro material, 205 armas automáticas e individuais e ainda metralhadoras ligeiras e LGF (Lança Granadas-Foguete), bem como cerca de 6.000 cartuchos, 48 granadas de mão e 29 minas. Colaboraram nas operações com o Batalhão de Caçadores [BCac3856], Flechas, Organização Provincial de Voluntários de Defesa Civil de Angola (OPVDCA), Polícia de Segurança Pública de Angola (PSPA), Grupos Especiais (GEs) e outras tropas do recrutamento local, as 30.ª, 31.ª, 33.ª e 37.ª Companhias de Comandos (30.ªCCmds, 31.ªCCmds, 33.ªCCmds e 37.ªCCmds) e as 1.ª e 3.ª Companhias de Caçadores Pára-Quedistas do Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 21 (1.ª e 3.ªCCacParas/BCP 21).


Em 29 de Janeiro de 1973, iniciou o deslocamento por escalões para o subsector de Catete, na ZMN (Zona Militar Norte), a fim de render o Batalhão de Cavalaria 3836 (BCav3836), tendo sido substituído no sub-sector de Dala pelo Batalhão de Caçadores 4911/72 (BCac4911/72) em 10 de Fevereiro de 1973. Entretanto, assumiu a responsabilidade do subsector de Catete em 5 de Fevereiro de 1973, com o seguinte dispositivo:


Comando e Companhia de Comando e Serviços (CCS) em Catete, a
Companhia de Caçadores 3438 n(CCac3438) no Farol das Lagostas, a
Companhia de Caçadores 3439 (Ccac3439) em Calomboloca, a
Companhia de Caçadores 3440 (CCac3440) em Barraca e, em reforço, a
Companhia de Caçadores 103 do Regimento de Infantaria 20 da Guarnição Normal (CCac103/RI 20 - GN) em Muxima e o
Pelotão de Morteiros 3060 (PelMort3060) em Catete. Nesta acção manteve uma actividade operacional especialmente orientada para a garantia da segurança do CFB (Caminhos de Ferro de Benguela), controlo e apoio das populações e patrulhamento da respectiva área.


Em 3 de Dezembro de 1973 o Batalhão de Caçadores [BCac3856] foi substituído no subsector de Catete pelo Batalhão de Cavalaria 3882 (BCav 3882).

 


 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo