.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

General Aurélio Manuel Trindade

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo I, pág.s 258 e 259, da RHMCA / CECA / EME

5.º Volume, Tomo IV, pág.s 116 e 117, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo III, Livro 2, pág. 39, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo II, pág.s 625 e 626, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo II, pág. 630, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo I, pág.s 314 e 315, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 88, pág. 23, de Abril de 1967

Apoio de um colaborador do portal UTW

Imagens dos distintivos cedidas pelo veterano Carlos Coutinho

 

Aurélio Manuel Trindade

 

General (oriundo da Arma de Infantaria)

 

Comandou em Moçambique, então Capitão de Infantaria, a

 

Companhia de Caçadores Especiais 312 (CCE312)

«SEMPRE EXCELENTES E VALOROSOS»

 

Comandou na Guiné, então Capitão de Infantaria, a

 

4.ª Companhia de Caçadores Indígenas / 6.ª Companhia de Caçadores

«AUT VINCERE AUT MORI»
 

2.º Comandante em Angola, então Major de Infantaria, do

 

Batalhão de Caçadores 3856 «DIGNOS LEAIS JUSTOS»

 

Medalha de Prata de Valor Militar com palma

 

Cruz de Guerra de 2.ª classe

 

Ordem Militar de Avis, grau Cavaleiro

 

Medalha de Mérito Militar de 3.ª classe

 

Prémio 'Governador'

 

Medalha de Prata de Valor Militar com palma

 

 

 

Capitão de Infantaria
AURÉLIO MANUEL TRINDADE
 

CCac6 [4ªCCacI] - CTIG
GUINÉ
 

Grau: Prata, com palma


Transcrição da Portaria publicada na OE n.º 21 — 2.ª série, de 1967:
 

Por Portaria de 3 de Outubro de 1967:


Condecorado com a Medalha de Prata de Valor Militar, com palma, nos termos do artigo 7.º, com referência ao § 1.º do artigo 51.º, do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, o Capitão de Infantaria, Aurélio Manuel Trindade, pela forma altamente eficiente e extraordinariamente brilhante como, durante mais de 23 meses, em zona isolada e muito difícil do Sector Sul da Guiné, comandou a Companhia de Caçadores n.º 6 (antiga 4.ª Companhia de Caçadores), constituída por pessoal do recrutamento da Província.


Tendo participado em cerca de 50 operações, em todas cumpriu integralmente a missão, alcançando êxitos consideráveis à custa de ligeiríssimas perdas, e, actuando sempre com determinação e decisão inquebrantáveis, ocupando no dispositivo os lugares de maior perigo, comparecendo onde mais necessário se tornava fazer sentir a sua acção e não raro, à frente de um punhado de soldados, arrancando heroicamente sobre o inimigo, o obrigou a aliviar a pressão, desalojando-o de posições que lhe conferiam vantagens.


Merecem especial relevo as últimas actuações deste oficial nas operações "Pronta" e "Penetrante", em que, mais uma vez, conseguiu resultados valiosos, mercê das hábeis e ousadas manobras que pôs em execução e dos conhecimentos especiais que possui do tipo de guerra que se trava na Guiné.


Dotado de extraordinárias qualidades de Chefe, reconhecidas, aliás, pelos seus subordinados, que, em todas as circunstâncias, o seguiram cegamente e com total confiança, o Capitão Trindade conseguiu evidenciar exuberantemente, no comando da sua Companhia, em operações, a prática de actos de rara abnegação, arrojo, audácia, valentia, coragem moral e física, sempre com grave risco de vida frente ao inimigo.


Militar de excepção, muito leal, inteligente, de forte carácter e vincada personalidade, disciplinado e disciplinador, enérgico, decidido e voluntarioso e com excepcionais qualidades de comando, a par da sua invulgar actuação no campo operacional, conduziu com muita proficiência, em todos os aspectos, a Companhia de Caçadores n.º 6, que conseguiu transformar numa unidade combatente de real valor.


O Capitão Trindade prestou, no exercício das suas funções no Comando Territorial Independente da Guiné, valorosos e distintos feitos de armas, de que resultaram brilho e honra para as Forças Armadas e para a Nação.


Ministério do Exército, 3 de Outubro de 1967. O Ministro do Exército, Joaquim da Luz Cunha.


Promovido por distinção a Major, por Portaria de 1 de Maio de 1969, publicada na OE n.º 12 - 2.ª série, de 1969:


Estado-Maior do Exército
 

Major de Infantaria, por distinção, supranumerário, o Capitão de Infantaria, do Estado-Maior do Exército, Aurélio Manuel Trindade.

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo