.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTW

Guiné

GUINÉ - IMAGENS - Cedidas por ex-Combatentes ou em sites próprios

 

Constantino Neves,

ex-1.º Cabo Escriturário

Companhia de Comando e Serviços

Batalhão de Caçadores 2893

Nova Lamego (Gabú), 1969/1971

 

Imagens em site próprio:

http://batalhaodecacadores2893.com/

 

Para aceder ao sítio do ex-2.º Sargento Mil.º Sérgio Faustino das Neves clique no seu nome

 

 

Uma história passada com o seu irmão, Sérgio Faustino das Neves, ex-2.º Sargento  Mil.º, em Mueda, Vila Cabral, Meponda e, neste caso, em Nampula, onde se passou a história, em 1970:

 

 

De: Tino Neves [mailto:cfneves@netcabo.pt]
Enviada: sexta-feira, 15 de Junho de 2007 14:45
Para: ultramar@terraweb.biz
Assunto: Filme: A Piscina

 

Vou contar mais uma história passada com o meu irmão, Sérgio Faustino das Neves, 2º. Sargento em Mueda, Vila Cabral, Meponda e neste caso em Nampula, que foi onde se passou esta história, em 1970.

 

Vou tratar por o Neves, em referência ao meu irmão

 

Numa coluna de reabastecimentos nos caminhos de Mocimboa da Praia a viatura em que o Neves ia, no lugar ao lado do condutor, como sabe nos Unimogs  as rodas ficam precisamente por baixo dos acentos, e por esse facto e a roda do lado dele ter passado por uma mina, ele foi projectado a mais de 30 metros da viatura, só vindo a acordar já em pleno voo de helicóptero para o hospital de Nampula.

 

Passados uns tempos aí no hospital, um determinado dia, aliás noite, ia ser exibido no cinema da cidade, um filme Drama/Thriller de 1969,  que toda a gente queria ver (homens claro), A Piscila com Alain Delon (Jean_Paul) e Romy Schneider (Marianne) em que ela aparecia toda nua numa piscina.

 

O Neves queria também ir ver, mas não podia, não porque estivesse incapacitado fisicamente para o fazer, mas sim porque havia no hospital um Tenente Médico, que embirrou com ele (não gostava), o impediu de sair para esse fim.

 

Mas o Tenente não conhecia bem o Neves (ou conhecia), que ele iria fazer tudo para ver aquele filme, então ele e um camarada Furriel Pára-quedista, que estaria nas mesmas condições (julgo eu), resolveram sair e se deliciarem com o filme.

 

No intervalo do filme, viram o Tenente Médico na plateia, e tentaram não serem vistos, mas mais tarde ainda no decorrer do filme, repararam estarem a entrar no salão vários elementos da PM ou PU (Policia da Unidade) e mostrarem estarem à procura de alguma coisa (ou alguém), desconfiaram logo que seriam eles, e por isso resolveram tentar sair ainda antes de acabar o filme.

 

Conseguiram sair, mas no caminho do hospital encontraram-se com um Cabo Enfermeiro, que os alertou. Meu Sargento o hospital está de prevenção, está todo o mundo à vossa procura, não deixam entrar ninguém.

 

Visto a situação estar complicada, o Neves pediu ao Cabo Enfermeiro, se lhe emprestava as suas divisas e a sua boina de Enfermeiro, que as cedeu prontamente.

 

Quando o meu irmão se prontificava a entrar na porta de armas do hospital, o Soldado (Nativo), que estava de guarda, manda-o parar.

 

O guarda -- Não pode entrar ninguém

O Neves  -- Isso é que era bom, eu tenho que entrar agora de serviço, e não me deixas entrar?

 

O guarda vendo a reacção dele, irritado, não com ele, mas sim por ter que ir trabalhar, resolve deixa-lo entrar.

 

Já lá dentro da área interna do hospital, encontra-se com o Furriel Pára-quedista, todo roto ao passar pelo arame farpado, e diz-lhe e agora falta entrar no edifício, mas já sei por onde, vamos lá saber se ele consegue?

 

Era então um militar ferido, que estava todo ligado e que se movia com uma certa dificuldade, mas que estava num quarto individual, com porta para fora (daquelas que se abrem pela metade, de cima ou de baixo), ele conseguiu abrir a parte de baixo, e eles entraram.

 

Quando o Tenente Médico chega ao hospital foi logo à procura deles, encontrando-os nos seus quartos. O Tenente ameaça-os de que iriam ser castigados (punidos) por terem saído e ido ao cinema, o que eles negaram categoricamente de que era mentira, mas o Tenente insistia, que sim porque os tinha visto lá.

 

No outro dia o Neves e o Furriel Pára, foram chamados ao Comandante Chefe do Hospital, para esclarecer tudo.

Este dizendo que perdoava o acontecido, só queria saber como conseguiram entrar, pois tinha dado ordens expressas para que montassem guarda e que não deixassem entrar ninguém sem seu conhecimento.

 

Então o Neves e o Furriel Pára, confessaram que tinham saído ao cinema, mas que não poderiam contar como entraram porque implicaria denunciar  3ºs. (o Cabo e o Soldado de guarda).

 

Se o Comandante Chefe do Hospital de Nampula em 1970, e também o Tenente Médico, do qual não sei o nome, lerem esta história, ficaram a saber finalmente como eles entraram no hospital.

 

NOTA:  Se por acaso isso venha a acontecer, eu Constantino Neves, irmão do Sérgio Neves, teria muito gosto de os conhecer, sem qualquer problema, pelo contrario imenso prazer, porque isto faz parte da História de todos nós.  

 

Eu também sou um Ex-Combatente na Guiné de 1969/71.

 

Um abraço

Constantino Neves

Almada

E-mail: cfneves@netcabo.pt

           Constantino.neves@gmail.com

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo