.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Domingos Antunes Correia, Soldado Condutor Auto, da CCS/BCac2889: Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo VI, pág. 551, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo I, pág. 277 e 278, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 141, pág. 28, de Set1971

 

Domingos Antunes Correia

 

Soldado Condutor Auto, n.º 03303369

 

Companhia de Comando e Serviços

 

Batalhão de Caçadores 2889

 

«OS CROCODILOS - MAIS ALTO E MAIS ALÉM»

 

Angola:

01Nov1969 a 28Nov1971

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

Prémio 'Governador'

 

 

Domingos Antunes Correia, Soldado Condutor Auto, n.º 03303369, natural da freguesia de Mindelo, concelho de Vila do Conde, distrito do Porto.

 

Mobilizado pelo Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes) para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola integrado na Companhia de Comando e Serviços  do Batalhão de  Caçadores 2889 (nota) «OS CROCODILOS - MAIS ALTO E MAIS ALÉM», no período de 1 de Novembro de 1969 a 28 de Novembro de 1971.

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

 

Soldado, condutor auto, n.º 03303369
DOMINGOS ANTUNES CORREIA
 

CCS/BCac2889 - RI 2
ANGOLA
 

4.ª CLASSE
 

Transcrição do Despacho publicado na OE n.º 35 - 3.ª série, de 1971.


Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, nos termos do artigo 12.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 07 de Setembro de 1971, o Soldado n.º 03303369, Domingos Antunes Correia, da Companhia de Comando e Serviços do Batalhão de Caçadores n.º 2889 - Regimento de Infantaria n.º 2.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.
(Publicado na OS n.º 21, de 17 de Março de 1971, do QG/RMA):


Louvado o Soldado, condutor auto, n.º 03303369, Domingos Antunes Correia, da Companhia de Comando e Serviços do Batalhão de Caçadores 2889 (CCS/BCac2889) - Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes), porque, sendo condutor de uma viatura de reabastecimento e tendo a mesma sido fortemente emboscado pelo inimigo, com fogos de armas automáticas e lançamentos de granadas de mão, que provocaram imediatamente baixas nas NT (Nossas Tropas), ter continuado, com grande sangue-frio, a condução da sua viatura, procurando tirá-la da zona de morte e só a desligando quando sentiu os pneus furados pela acção do inimigo.


Em seguida, com total desprezo pela sua segurança, deslocou-se para junto de um camarada ferido que se encontrava exposto, trazendo-o para um local seguro e, posteriormente, ainda debaixo de fogo, deslocou-se novamente ao local onde ficaram os outros seus camaradas mortos, tendo conseguido recuperar não só as armas destes, como as dos feridos.


De imediato voltou a entregá-las àqueles que ainda as podiam utilizar, para fazerem fogo sobre o inimigo, juntamente com os dois militares ilesos, muito contribuindo com a sua atitude para que o inimigo se pusesse em fuga.


Revelando coragem, serena energia debaixo de fogo e valentia, o Soldado Correia constitui um exemplo a apontar, devendo a sua actuação ser considerada de elevado mérito.

----------------------------------------------------------------

Jornal do Exército, ed. 141, pág. 28, de Set1971

 

----------------------------------------------------------------

(nota)
 

Batalhão de Caçadores N.º 2889
 

Identificação:
BCac2889
 

Unidade Mobilizadora:
Regimento de Infantaria 2 (RI 2 - Abrantes)
 

Comandante:
Tenente-Coronel de Infantaria José Manuel Fradinho da Costa
Tenente-Coronel de Infantaria António Miguel Rodrigues
 

2.º Comandante:
Major de Infantaria António Miguel Rodrigues
Major de Infantaria Américo da Costa Varino
 

Oficial de Informações e Operações / Adjunto:
Major de Infantaria Américo da Costa Varino
 

Comandantes de Companhia:
 

Companhia de Comando e Serviços (CCS):
Capitão de Infantaria Manuel da Silva São Maninho Júnior
Capitão Mil.º de Infantaria Olavo Augusto da Cruz Rocha
Alferes Mil.º de Infantaria Franklin Alves Pereira Baptista
 

Companhia de Caçadores 2605 (CCac2605):
Capitão Mil.º de Infantaria José Joaquim Marques da Rosa
Alferes Mil.º de Infantaria João Ângelo Correia de Vasconcelos
 

Companhia de Caçadores 2606 (CCac2606):
Capitão Mil.º de Infantaria Abílio Batista
Capitão Mil.º de Artilharia Adriano do Carmo Oliveira
 

Companhia de Caçadores 2607 (CCac2607):
Capitão de Infantaria Carlos Alberto Vieira Monteiro
Capitão Mil.º de Infantaria João Bernardino da Cruz Machado
Capitão Mil.º de Infantaria Álvaro da Conceição Rodrigues Cavaleiro
 

Divisa:
"Os Crocodilos" - "Mais Alto e Mais Além"
 

Partida:
Embarque em 20 de Outubro de 1969, no NTT «Niassa»; desembarque em 1 de Novembro de 1969.
 

Regresso:
Embarque em 28 de Novembro de 1971, no NTT «Niassa».
 

Síntese da Actividade Operacional
O Batalhão de Caçadores 2889 foi destinado ao subsector de Sanza Pombo, no sector do Uíge, na ZMN (Zona Militar Norte), onde rendeu o Batalhão de Artilharia 1926 (BArt1926) e assumiu a responsabilidade da ZA (Zona de Acção) em 18 de Novembro de 1969.


O dispositivo foi o seguinte:


Comando, Companhia de Comando e Serviços (CCS) e Pelotão de Morteiros 1239 (PelMort1239) em Sanza Pombo, a


Companhia de Caçadores 2605 (CCac2605) em Massau, a


Companhia de Caçadores 2606 (CCac2606) em Quicua, a


Companhia de Caçadores 2607 (CCac2607) em Quimbele e a


Companhia de Caçadores 1305 do Regimento de Infantaria de Sá da Bandeira (CCaç 1305/RISB -GN) em Nova Esperança.


O Pelotão de Morteiros fraccionou-se por Cabaca, Massau, Quicua e Foz do Massanza.


Havia destacamentos de um a dois pelotões em Quimariamba, Quimusseco, Santa Cruz, Cuango, Cabaca, Cuilo Pombo, Macocola.


Os Grupos Especiais 201, 202 e 203 (GE 201, 202 e 203) estavam instalados em Cabaca, Quimariamba e Massau.


Em 15 de Março de 1971, a Companhia de Artilharia 2573 (CArt2573) passou a reforçar o Batalhão de Caçadores (BCac2889) em Santa Cruz, em substituição da Companhia de Caçadores 2606 (CCac2606), cedida ao Batalhão de Caçadores 2902 (BCac2902).


Na ZA (Zona de Acção), o inimigo, aproveitando a transposição do rio Cuango (fronteira), emboscava colunas auto e apeadas, fazia largo uso de engenhos ACar (anti-carro) e APes (anti-pessoal) e pretendia raptar e aliciar populações, acções essas que tiveram mais relevo na zona de Santa Cruz e que motivaram reacções das NT (Nossas Tropas), com reforço das Companhias de Caçadores 106, 212, 213 do Batalhão de Caçadores 12 (CCac106, 212, 213/BC12 - GN), da Companhia de Cavalaria 2650 (CCav2650), esta de 9 de Julho de 1970 a 3 de Setembro de 1970, da 22.ª Companhia de Comandos (22ªCCmds), esta de 24 de Agosto de 1970 a 22 de Setembro de 1970 e da Companhia de Caçadores 2569 (CCac2569).


Das operações efectuadas obtiveram êxito "Ver Tudo", "Dragão Negro", "Urso Branco", "Raposa Velha", "Raposa Dourada".


O Batalhão de Caçadores (BCac2889) desenvolveu na ZA (Zona de Acção) intenso e profícuo trabalho de acção sanitária, educativa e habitacional, junto das populações.


Em 12 de Maio de 1971, o Batalhão de Caçadores (BCac2889) foi rendido na ZA (Zona de Acção) pelo Batalhão de Caçadores 3839 (BCac3839), rodando para o subsector de Quibaxe, cuja responsabilidade assumiu em 15 de Maio de 1971, em substituição do Batalhão de Caçadores 2871 (BCac2871).


O dispositivo inicial foi:


Comando, Companhia de Comando e Serviços (CCS) e Companhia de Caçadores 2606 (CCac2606) em Quibaxe, a


Companhia de Caçadores 2605 (CCac2605) no Píri, a


Companhia de Caçadores 2607 (CCac2607) em Mussenga, a


Companhia de Caçadores 1203 do Regimento de Infantaria de Nova Lisboa (CCac1203/RINL - GN) em Pango Alúquem, a


Bateria 2522 (Btr2522) e Grupo Especial 216 (GE216) no Úcua e a


Companhia de Caçadores 2675 (CCac2675) em Bom Jesus.


O Pelotão de Morteiros 2170 (PelMort2170) ficou em Pango Alúquem e destacou duas secções para as roças Santo António e Gateira; cada uma das Companhias de Caçadores (CCac) tinha cedido um pelotão para outra ZA (Zona de Acção).


Havia destacamentos nas roças Boa Fé e Santa Filomena, Fortim do Dange e Mussenga, roças Santo António, Santa Clara, Rainha Santa, Pinto da Cruz, Maria Paulo, Pango, Gateira e Muando; posteriormente, por rendições, a Companhia de Artilharia 2374 (CArt2374), a Companhia de Caçadores 1204 do Regimento de Infantaria de Nova Lisboa (CCac1204/RINL - GN) e a Companhia de Caçadores 2778 (CCac2778) viriam a reforçar o Batalhão de Caçadores (BCac2889). Nesta zona, onde existiam 50 fazendas em laboração, eram estas o alvo preferencial do inimigo, que previamente minava as picadas de acesso de socorros, emboscando, embora com pequeno volume de fogo, as NT (Nossas Tropas).


Da actividade levada a cabo pelo o Batalhão de Caçadores (BCac2889), obtiveram resultados, em baixas e armas capturadas as operações "Chica Pemba", "Engrácia", "Mutenda", "Rainha Santa" e "Braga 7".


Em 16 de Novembro de 1971 o Batalhão de Caçadores (BCac2889) foi rendido na ZA (Zona de Acção) pelo Batalhão de Caçadores 3858 (BCac3858).

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo