.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Fernando Manuel Dias Pereira, Furriel Mil.º de Cavalaria, da CCav2635/BCav2899

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

Elementos cedidos por um colaborador do portal UTW

 

 

CG-4-Classe-cz-350Fernando Manuel Dias Pereira


Furriel Mil.º de Cavalaria


Companhia de Cavalaria 2635


Batalhão de Cavalaria 2899


«O ÁS DE ESPADAS»


Angola: 15Dez1969 a 16Jan1972

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

 

Fernando Manuel Dias Pereira, Furriel Mil.º de Cavalaria


RC3Mobilizado pelo Regimento de Cavalaria 3 (RC3 – Estremoz) «…NA GUERRA CONDUTA MAIS CCav2635-280BRILHANTE» para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola, integrado na Companhia de Cavalaria 2635 (CCav2635) do Batalhão de Cavalaria 2899 (BCav2899) «O ÁS DE ESPADAS»


No dia 3 de Dezembro de 1969, embarca em Lisboa no NTT 'Niassa', rumo ao porto de Luanda, onde desembarcou no dia 15 de Dezembro de 1969;

BCav2899-280
Em 16 de Janeiro de 1972 regressa à Metrópole no NTT 'Vera Cruz', o qual, na sua derradeira viagem como transporte militar, arriba ao cais fluvial da Rocha Conde de Óbidos no dia 27 de Janeiro de 1972.


Em 3 de Fevereiro de 1973 agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª classe.

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 


 

 

CG-4-Classe-cz-620Furriel Miliciano de Cavalaria
FERNANDO MANUEL DIAS PEREIRA
 

CCav2635/BCav2899 - RC3
ANGOLA


4.ª CLASSE


Transcrição do Despacho publicado na Ordem do Exército n.º 28 – 3.ª série, de 1971.


Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, nos termos do artigo 12.ª do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 02 de Agosto findo, o Furriel Miliciano de Cavalaria, Fernando Manuel Dias Pereira, da Companhia de Cavalaria n.º 2635 da Batalhão de Cavalaria n.º 2899 - Regimento de Cavalaria n.º 3.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado na Ordem de Serviço n.º 23, de 24 de Março de 1971, do Quartel General da Região Militar de Angola):


Louvado, o Furriel Miliciano de Cavalaria, Fernando Manuel Dias Pereira, da Companhia de Cavalaria n.º 2635 da Batalhão de Cavalaria n.º 2899 - Regimento de Cavalaria n.º 3, porque, em todas as operações em que tem tomado parte, revelou sempre, vincadamente, extraordinárias qualidades de desembaraço, valentia e agressividade.


Permanentemente na vanguarda, junto do seu Comandante de Companhia [Capitão Mil.º Graduado de Cavalaria José Manuel Costa Martins], demonstrou em todas as ocasiões de perigo uma indomável vontade de vencer, contribuindo com a sua acção para galvanizar e arrastar através de si os soldados da sua Unidade.


A sua acção mais se fez realçar numa emboscada que a sua Companhia sofreu, no decorrer de determinada operação, pois tendo sido gravemente ferido, ao mesmo tempo que o seu Capitão e outros militares, devido ao intenso fogo do adversário desfechado à queima-roupa, jamais perdeu a coragem e fazendo frente ao inimigo, incitou e animou os seus camaradas, esperando serenamente que os outros feridos fossem tratados e vendo que o local oferecia poucas condições de segurança, pediu para os transportarem para melhor lugar aonde pudessem ser evacuados.


Esta acção constituiu um belo exemplo para todos os militares da sua Unidade, dignificando o nome do Exército Português, pois revelou a maior abnegação, espírito de sacrifício, coragem, decisão, sangue-frio, serena energia debaixo de fogo e capacidade de verdadeiro chefe.

 

---------------------

Batalhão de Cavalaria N.º 2899
RC3

Identificação:
BCav2899
 

Unidade Mobilizadora:
Regimento de Cavalaria 3 (RC3 – Estremoz)
 

Comandante:
Tenente-Coronel de Cavalaria Augusto da Fonseca Laje
 

2.º Comandante:
Major de Cavalaria António Francisco Martins Marquilhas
 

Oficial de Informações e Operações / Adjunto:
Major de Cavalaria Serafim da Cruz Duarte Pinto
Major de Cavalaria Rui Manuel Soares Pessoa de Amorim
 

BCav2899-280Comandantes de Companhia:
 

Companhia de Comando e Serviços (CCS):
Capitão de Cavalaria Jorge Manuel Morais da Silva Duarte
 

Companhia de Cavalaria 2633 (CCav2633):
Capitão de Cavalaria António Manuel Garcia Correia
 

Companhia de Cavalaria 2634 (CCav2634):
Capitão de Cavalaria António Tavares Martins
(oficial não identificado)
 

Companhia de Cavalaria 2635 (CCav2635):
Cap Mil.º de Cavalaria José Manuel Costa Martins
Capitão de Infantaria Amam Eugénio Grilo Frade
Capitão Mil.º de Artilharia José Manuel Cordeiro Nunes
Capitão do Quadro Especial de Oficiais António José de Carvalho Serrão
 

Divisa:
"O Ás de Espadas"


Partida:
Embarque no dia 3 de Dezembro de 1969 no NTT ‘Niassa’; desembarque em Luanda no dia 15 de Dezembro de 1969.

 
Regresso:
Embarque no dia 16 de Janeiro de 1972 no NTT ‘Vera Cruz’; desembarque em Lisboa no dia 27 de Janeiro de 1972.

 
BCav2899-CCSSíntese da Actividade Operacional
O Batalhão de Cavalaria [BCav2899] foi destinado ao subsector de Cangamba, no sector do Moxico, na zona militar do leste (ZML), onde rendeu o Batalhão de Caçadores 2858 (BCac2858), em 29 de Dezembro de 1969.


O Comando, a Companhia de Comando e Serviços (CCS), a Companhia de Cavalaria 2633 (CCav2633) e a Companhia de Artilharia 2574 (CArt2574), esta de reforço, aquartelaram em Cangamba, a Companhia de Cavalaria 2634 (CCav2634) no Alto Cuíto (Tempué) e a Companhia de Cavalaria 2635 (CCav2635) no Muié.


CCav2633O Batalhão de Cavalaria [BCav2899] dispôs ainda da Companhia de Caçadores 1321 (CCac1321) Do Regimento de Infantaria 21 (RI21) (da Guarnição Normal) em Cassamba e dos Grupos Especiais 307 e 323 em Cangamba, dos Grupos Especiais 308 e 345 no Alto Cuíto e do Grupo Especial 335 no Muié.


Com o precioso apoio dos últimos, e das Flechas de Cangamba, o Batalhão de Cavalaria [BCav2899] em centenas de operações e acções obteve assinalados êxitos, que se cifraram na captura de mais de uma centena de armas automáticas e de repetição, inúmeras granadas e munições, bem como a destruição de muitos quartéis do inimigo, ao qual foram causadas CCav2634centenas de baixas, incluindo dezoito chefes ou comandantes; todavia o resultado mais expressivo talvez, foi a recuperação de milhares de pessoas. Das operações levadas a efeito, destacam-se "Diagonal H", "Zumbo 3H", "Alvorada H", "Aniversário H", "Alerta H" e "Zagaia H". Foi ainda relevante a obra sanitária, educacional e promocional das populações e melhoramentos nos quartéis das Nossas Tropas, Grupos Especiais e povoados.


Em 10 de Junho de 1971, o Batalhão de Cavalaria [BCav2899] foi rendido pelo Batalhão de Caçadores 3841 (BCac3841) e rodou para Catete, onde ficou o
CCav2635-280Comando e a Companhia de Comando e Serviços (CCS); a Companhia de Cavalaria 2633 (CCav2633) aquartelou em Quifangondo, a Companhia de Cavalaria 2634 (CCav2634) em Barraca e a Companhia de Cavalaria 2635 (CCav2635) em Colomboloca.


O Batalhão de Cavalaria [BCav2899] assumiu a responsabilidade do subsector de Catete em 15 de Junho de 1971, em substituição do Batalhão de Caçadores 2873 (BCac2873).


Além de várias operações na região do rio Zenza, com alguns resultados, as Companhias de Cavalaria 2634 e 2635 intervieram na região de Sanza Pombo, Quicabo e Cuanza Norte, em reforço de outros sectores.


Em 9 de Janeiro de 1972, foi rendido no subsector de Catete pelo Batalhão de Cavalaria 3836 (BCav3836).

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo