.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Gonçalo Nuno Duarte de Sampaio Fevereiro, Capitão Mil.º Graduado ‘Comando’

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

Elementos cedidos por um colaborador do portal UTW

 

 

Gonçalo Nuno Duarte de Sampaio Fevereiro

 

Capitão Mil.º Graduado 'Comando

 

Moçambique: Nov1966 a Ago1968

 

Comandante de pelotão da

4.ª Companhia de Comandos

«A SORTE PROTEGE OS AUDAZES»

 

Cruz-de-Guerra-1-classe-colectiva-Cruz-de-Guerra-de-3-classe-red

 

Moçambique: Ago a Nov1968

 

Comandante da

4.ª Companhia de Comandos

«A SORTE PROTEGE OS AUDAZES»

 

Moçambique: Abr1972 a Jul1974

 

Comandante da

6.ª Companhia de Comandos de Moçambique

«SOMBRAS»

Batalhão de Comandos de Moçambique

«A SORTE PROTEGE OS AUDAZES»

 

 

Cruz de Guerra, colectiva, de 1.ª classe

 

Cruz de Guerra de 3.ª classe

 

 

Nota: Clique nos sublinhados que se seguem para visualização dos conteúdos:

 

Gonçalo Nuno Duarte de Sampaio Fevereiro, Capitão Mil.º Graduado ‘Comando’, nasceu EPCno dia 25 de Maio de 1944, em Lisboa.


Em Lourenço Marques conclui os estudos no Liceu Salazar.


RC7-vmEm 3 de Abril de 1966 Soldado-Cadete, com número mecanográfico 06442565 da Escola Prática de Cavalaria (EPC – Santarém) «MENS AGITAT MOLEM», promovido a Aspirante-a-Oficial Miliciano Atirador de Cavalaria e colocado no Regimento de Cavalaria 7 (RC7 – Ajuda) «QUO TOTA VOGANT» - «REGIMENTO DO CAIS»;


15-RAL1Em 1 de Novembro de 1966 promovido a Alferes Miliciano;


Em 9 de Novembro de 1966, tendo-se voluntariado para frequentar um curso de comandos e sido mobilizado pelo Regimento de Artilharia Ligeira 1 (RAL1 – Sacavém) «EM PERIGOS E GUERRAS ESFORÇADOS» para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique, embarca em Lisboa no NTT 'Império' rumo ao porto de Lourenço Marques, integrado na 4.ª Companhia de Comandos «A SORTE PROTEGE OS AUDAZES»;


Em 30 de Janeiro de 1968 agraciado com a Cruz de Guerra de 3.ª classe, por distintos feitos em combate;


Em 10 de Junho de 1968 recebe em Lourenço Marques, perante tropas formadas em parada na Praça Mouzinho de Albuquerque, a Cruz de Guerra de 3ª classe:

 


CG-3-Classe-vmAlferes Miliciano de Cavalaria ‘Comando’
GONÇALO NUNO DUARTE DE SAMPAIO FEVEREIRO


4.ªCCmds – RAL1
MOÇAMBIQUE


3.ª CLASSE


Transcrição da Portaria publicada na Ordem do Exército n.º 4 – 2.ª série, de 1968.


Por Portaria de 30 de Janeiro de 1968:


Condecorado com a Cruz de Guerra de 3.ª classe, ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província de Moçambique, o Alferes Miliciano de Cavalaria ‘Comando’, Gonçalo Nuno Duarte de Sampaio Fevereiro, da 4.ª Companhia de Comandos - Regimento de Artilharia Ligeira n.º 1.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado na Ordem de Serviço n.º 87, de 1 de Novembro de 1967, do Quartel General da Região Militar de Moçambique):


Louvado o Alferes Mil.º de Cavalaria, da 4.ª Companhia de Comandos, Gonçalo Nuno Duarte Sampaio Fevereiro, porque, no comando do seu grupo, tem exercido sempre uma extraordinária e eficiente actividade na condução dos seus homens em combate.


O Alferes Fevereiro é um oficial dotado de uma elevada técnica de combate e de uma enorme vontade no cumprimento integral das missões de que é incumbido.


Em diversas operações, o Alferes Fevereiro tem conseguido assinalados êxitos, nomeadamente na operação "Pamplona" onde, com firme determinação, serena e consciente energia debaixo de fogo, entrou à frente do seu grupo num aquartelamento inimigo, onde este resistia e em arrojado corpo a corpo abateu vários elementos armados, capturando-lhes as armas.


A actuação dos seus homens reflecte as extraordinárias qualidades do Alferes Fevereiro, que têm por ele uma enorme estima e profunda admiração, seguindo-o sem a mais pequena hesitação por mais árdua e arriscada que seja a missão.


4-CCmds-450Em finais de Agosto de 1968 assume o comando da 4.ª Companhia de Comandos (4ªCCmds) «A SORTE PROTEGE OS AUDAZES»;


Em 19 de Novembro de 1968, devido ao termo da missão daquela unidade na Região Militar de Moçambique (RMM), considerado desligado da 4.ª Companhia de Comandos (4ªCCmds) «A SORTE PROTEGE OS AUDAZES», regressa a Lourenço Marques e 6CCmdsdepois assume a gerência de uma agência bancária;


Em 12 de Abril de 1969 considerado, pela Região Militar de Moçambique, na situação de disponibilidade;


BCmdsMEm 24 de Abril de 1972, entretanto casado e pai de uma menina, tendo sido chamado de novo às fileiras, apresenta-se em Montepuez no Batalhão de Comandos de 6-CCmds-M-1Moçambique (BCmdsM), sendo graduado Capitão Miliciano 'Comando' e nomeado comandante da 6.ª Companhia de Comandos (6ªCCmds) «SOMBRAS» do Batalhão de Comandos de Moçambique (BCmdsM) «A SORTE PROTEGE OS AUDAZES» (cujo curso decorre no período 1 de Maio a 9 de Agosto de 1972);


Em 30 de Julho de 1974 cessa todas as funções militares, regressando à sua vida civil em Lourenço Marques.

 

--------------------------------

 

15-RAL14.ª Companhia de Comandos
 

Identificação:
4ªCCmds


Unidade Mobilizadora:
Regimento de Artilharia Ligeira 1 (RAL1 – Sacavém)


Comandantes:
Capitão Mil.º ‘Comando’ Horácio Francisco Martins Valente
Capitão Mil.º ‘Comando’ José Manuel da Glória Belchior
Alferes Mil.º ‘Comando’ Gonçalo Nuno Duarte Sampaio Fevereiro
 

4-CCmds-450Divisa:
«A SORTE PROTEGE OS AUDAZES»
 

Partida:
Embarque no dia 9 de Novembro de 1966; Desembarque no dia 26 de Novembro de 1966
 

Regresso:
Embarque no dia 19 de Novembro de 1968
 

Síntese da Actividade Operacional
Desembarcou em Lourenço Marques, a 26 de Novembro de 1966, seguindo para Vila Cabral, onde decorreu a 2.ª fase da instrução de 2 de Dezembro de 1966 a 22 de Março de 1967.


Na situação de intervenção do Sector A (ali sedeado), desenvolveu intensa actividade operacional em várias regiões, nomeadamente:

Bandece,
Maniamba,
Cantina Dias,
Unango,
Metangula,
Lunho,
Muembe,
Massangulo, do rio Lucheringo, confluência dos rios Litcheze e Luangua e
Monte Chissindo, efectuando entre outras, as operações:
"Aleluia",
"Bendo",
"Bicada",
"Condor",
"Falcão 1 e 3",
"Corvo 1 e 3",
"Marte",
"Demonstração",
"Luar Novo",
"Alferes Abreu",
"Raio de Luz" e
"Gungunhana" (no regresso desta, a Vila Cabral, integrada numa coluna auto em Nova Coimbra, percorridos poucos quilómetros, a viatura da frente, onde seguia o Comandante da Companhia [Capitão Mil.º ‘Comando’ Horácio Francisco Martins Valente] e um oficial subalterno, accionou uma mina Anti-Carro, em 11 de Agosto de 1968, causando a morte do 1.º e ferimentos graves no 2.º.


De salientar a operação "Marte", efectuada com o reforço de um grupo de milícias e apoiada pela Força Aérea, na zona do monte Chissindo (Lunho), que resultou em 1 de Abril de 1968, a destruição da base Provincial Gungunhana, muitas baixas inimigas e a captura de grande quantidade de material de guerra e documentos e a destruição de depósito com quantidade considerável de fardamento e calçado.


Participou nas operações
"Pamplona" (nascentes do rio Lucambo),
"Cá Estamos" (NE de Muembe),
"Bom Começo" (zona entre os rios Luangua e Luambala e localidades de Cantina de Matucuta e Jambone),
"Pois é" (zona do rio Lugola) e
"Filho Prodigo" (Unango).

 

 

--------------------------------

 

6.ª Companhia de Comandos de Moçambique

 

Identificação:
6ªCCmdsMOC


Unidade Mobilizadora:
Centro de Instrução de Comandos (CICmds – Montepuez)


Comandante:
Capitão Mil.º ‘Comando’ Gonçalo Nuno Duarte Sampaio Fevereiro


Divisa:
"Sombras"


Síntese da Actividade Operacional
Constituída quase totalmente por pessoal do recrutamento de Moçambique, foi formada no Centro de Instrução de Comandos de Montepuez, onde decorreu o respectivo curso de 1 de Maio a 9 de Agosto de 1972.


Com intervalos para descanso do pessoal em Montepuez e Ilha de Moçambique, desenvolveu a actividade operacional nos distritos de Tete, Cabo Delgado e Beira.

 

 

  Local / Base Período Operações Região / Zona
TETE Catipo 23 a 28Ago1972 Papoila Sul do monte Metonvo
Nuxito Margens do rio Nuanaomb
Mavuse 28Ago a 20Out1972 Falcão Beta Confluência dos rios Mavuzi e Nhamicoco
Fragata Beta e Fragata Gama Confluência dos rios Nuanaombe e Changarese
Musgo Marquem esquerda do rio Nuanaombe
Museu Foz do rio Nuanaombe
Munique a) Chiúta
Mazoé 19Nov1972 a 06Jan1973 Ferroada 2 Entre os rios Messá e Luenha
Marta Delta 2 Este do aldeamento Pacassa
Medula 6 Entre o rio Messáua e a picada de Matondo
Marosca b) Wiriyamu a sul de Tete
CABO DELGADO Ancuabe 10Fev a 29Abr1973 Orca 1 Entre os rios Montepuez e Sitate
Orca 3 Margem direita do rio Sitata
Tosquia c) Entre os rios Messalo e Licuatedo
Triunfo Serra do Mapé
TETE Estima 19Mai a 16Jul1973 Patrulhamentos de efectivo reduzido na estrada Tete - Songo e imediações
CABO DELGADO Macomia 14Ago a 21Out1973 Tigre 1.ª e 2.ª fase Chai
Tigre 3.ª fase Esporão norte da serra do Mapé
Leopardo 2.ª fase Margem direita do rio Messalo a norte do Chai
Surpreza 25 d) Nascente do rio Litinguinha
Surpreza 29 Vale do rio Muera
TETE Maroeira 20Nov a 16Dez1973 Protecção aos trabalhos da TLC (Transmition Lines Construction) na montagem de cabos de alta tensão para Cabora Bassa
Matundo 16Dez1973 a 01Jan1974 Destruir 6 Entre os rios Mufa e Covene e estrada Tete - Songo
Capirinjanje 02Jan a 19Jan1974 Furão 2 Nascentes do rio Condedzi
BEIRA Inhamitanga e) 27Fev a 28Abr1974 Sombra 1 Entre os rios Chirimadzi e Nhangué
Sombra 2 Rio Condué
Sombra 5 Inhamitanga e Chirimadzi
Sombra 7 Matondo
Sombra 10 Longo do rio Chissadze
Baba 02 Longo do rio Sungué
Baba 03 Picada de Santove
Baba 08 e 09 Nhango
Sussundenga 06Jun a 30Jul1974 Patrulhamentos de efectivo reduzido e curta duração, designadamente em Senguize, Mavita, Quedas, Viagem, Rotanda e Revué 

 

a) Destruída base Mauma.


b) Destruído aldeamento de Wiriyamu em 16 de Dezembro de 1972; Na sequência da operação "Marosca", que causou vários mortos civis.


c) Destruída base Gaza.


d) Destruída base Beira.


e) Missão prioritária de reconhecimento, recolha e controlo da população, acção psicológica e protecção aos trabalhos agrícolas.

 

 

 


 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo