.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Falecimento

Henrique Augusto Teixeira de Sousa Sanches, Coronel de Cavalaria

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

e

nota de óbito

Fontes:

Elementos cedidos por um

colaborador do portal UTW

 

Ordem do Exército n.º 24 - 2.ª série, de 1970,

pág.s 3177, 3188 e 3189

 

Faleceu, no dia 3 de Dezembro de 2009, o veterano

 

 

Henrique Augusto Teixeira de Sousa Sanches

 

Coronel de Cavalaria na situação de reforma

 

Estado da Índia Portuguesa: 1959 a 1962

 

Angola: 1964 a 1966

Comandante da

Companhia de Comando e Serviços

Oficial de Informações e Operações

Batalhão de Cavalaria 631

«QUO TOTA VOCANT»

 

Moçambique: 1968 a 1970

Chefia da 1.ª secção - Pessoal e Reabastecimento do

Comando de Agrupamento 1985

«PELA PÁTRIA LUTAR»

 

Comando de Agrupamento 2962

«EM PERIGOS E GUEFRRAS ESFORÇADOS»

 

Guiné: 1971 a 1973

2.º Comandante do

Batalhão de Cavalaria 3864

«...NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE»

 

Comandante do

Batalhão de Caçadores 3884

«VELOSOS E AGRESSIVOS»

 

Medalha de Prata de Serviços Distintos com palma

 

Ordem Militar de Avis grau oficial

 

Medalha de Mérito Militar de 2.ª classe

 

Medalha de Mérito Militar de 3.ª classe

 

 

 

Henrique Augusto Teixeira de Sousa Sanches, Coronel de Cavalaria na situação de reforma.


Em 1959 Capitão de Cavalaria (n/m 51467511), nomeado para servir Portugal no Estado da Índia Portuguesa;


Em 19 de Dezembro de 1960 agraciado com o oficialato da Ordem Militar de Avis;


Em 23 de Setembro de 1961 nomeado pelo Ministério do Ultramar para comandar, em comissão civil, a Guarda Fiscal do Estado da Índia Portuguesa;


Em 8 de Junho de 1962 regressa à Metrópole e ao Regimento de Cavalaria 3 (RC3 – Estremoz) «CONDUTA BRILHANTE NA GUERRA»;


Em 13 de Outubro de 1962 transferido para o Batalhão de Caçadores 1 (BC1 – Portalegre) «EM PERIGOS E GUERRAS ESFORÇADOS»;


De 5 a 31 de Agosto de 1963 frequenta no Centro de Instrução de Operações Especiais (CIOE – Lamego) «QUE OS MUITOS POR SEREM POUCOS NAM TEMAMOS» o estágio E3 de contra-insurreição;


Em 10 de Fevereiro de 1964, tendo sido mobilizado pelo Regimento de Cavalaria 7 (RC7 – Ajuda) «QUO TOTA VOCANT» para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola, embarca em Lisboa com destino a Luanda, a fim de assumir o cargo de comandante da Companhia de Comando e Serviços do Batalhão de Cavalaria 631 (CCS/BCav631) «QUO TOTA VOCANT»;


Em Agosto de 1965 cessa funções na Companhia de Comando e Serviços do Batalhão de Cavalaria 631 (CCS/BCav631) e passa a desempenhar o cargo de Oficial de Informações e Operações daquele mesmo batalhão [BCav631];


Em 15 de Fevereiro de 1966 agraciado com a Medalha de Mérito Militar de 3ª classe;


Em 9 de Junho de 1966 regressa à Metrópole;


Em 22 de Junho de 1966 colocado no Regimento de Cavalaria 6 (RC6 – Porto) «AVANTE PARA A GLÓRIA»;


Em 17 de Maio de 1967 promovido a major;


Em 6 de Abril de 1968 conclui no Instituto dos Altos Estudos Militares (IAEM – Pedrouços) «NÃO HOUVE FORTE CAPITÃO, QUE NÃO FOSSE TAMBÉM DOUTO E CIENTE» o curso de promoção a oficial superior;


Em 23 de Maio de 1968, tendo sido mobilizado pelo Regimento de Artilharia Ligeira 1 (RAL1 – Sacavém) «EM PERIGOS E GUERRAS ESFORÇADOS» para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique, embarca em Lisboa com destino a Quelimane, a fim de assumir a chefia da 1ª secção (pessoal e reabastecimentos) do Comando de Agrupamento 1985 (CmdAgr1985) «PELA PÁTRIA LUTAR»;


Em Maio de 1969 transferido para o Comando de Agrupamento 2962 (CmdAgr2962) «EM PERIGOS E GUERRAS ESFORÇADOS», onde mantém idênticas funções;


Em 27 de Julho de 1970 regressa à Metrópole, ficando colocado no Centro Militar de Educação Física, Equitação e Desportos (CMEFED-Mafra) «CORPUS MENTIS SERVUS»;


Em 3 de Dezembro de 1970 agraciado com a Medalha de Prata de Serviços Distintos com palma (Ordem do Exército n.º 24, 2.ª série, de 1970, pág. 3177);


Louvado o Major de Cavalaria Henrique Augusto Teixeira de Sousa Sanches pela forma distintíssima como durante dois anos ininterruptos desempenhou as funções de chefe da 1.ª Secção (Pessoal e Reabastecimentos) dos Comandos de Agrupamentos n.ºs 1985 e 2962, funções estas em que evidenciou capacidade técnica adequiada às mesmas em grau de eficiência impossível de superar.


Ao desenvolver a sua acção num comando de sector que abarcava uma extensíssima área geográfica, guarnecida pelo maior volume de tropas de toda a Região Militar de Moçambique e na qual o inimigo se evidenciou sempre como mais numeroso, activo e aguerrido, mostrou-se digno da confiança que os seus comandantes nele depositaram, pois os complexos e difíceis problemas resultantes de uma reduzida rede rodoviária, carência de meios de transporte e situações difíceis que surgiam inopinadamente, eram objecto do seu ponderado e rápido estudo, do qual surgiam propostas para decisões acertadas e que, postas em prática, se revelavam como as melhores.


O seu trabalho intelectual foi sempre igualado pelos esforços físicos que lhe eram pedidos, especialmente quando se tratava de acompanhar pessoalmente a execução dos embarques nos portos do sector, durante a rendição de unidades, operações estas que, pela sua concepção e realização prática com frequência, mereceram a apreciação elogiosa do Comando da Região Militar.


Oficial calmo, sóbrio de atitudes e de palavras, ponderado, mas também dinâmico e enérgico, integrou-se sempre com dedicação e devotadamente no pensamento dos comandantes que serviu, cujas directivas e ordens soube traduzir correctamente em medidas de pormenor e documentos orientadores que fizeram com que todos os problemas relativos ao pessoal e a reabastecimentos tivessem as melhores soluções compatíveis com as possibilidades.


O major Sousa Sanches evidenciou assim qualidades por todos reconhecidas, mostrou-se um auxiliar valioso dos seus comandantes de sector, revelou-se como elemento de mérito na sua arma e no Exército, e merece que os seus importantes serviços para a manutenção do esforço operacional das tropas, prestados na província de Moçambique, em situação de campanha, sejam firmados publicamente como extraordinárias, relevantes e muito distintos.
(Ordem do Exército n.º 24, 2.ª série, de 1970, pág.s 3188 e 3189)


Em 27 de Abril de 1971, a seu pedido volta a seu colocado no Regimento de Cavalaria 6 (RC6 – Porto) «AVANTE PARA A GLÓRIA»;


Em 25 de Setembro de 1971, tendo sido nomeado pelo Regimento de Cavalaria 3 (RC3 – Estremoz) «… NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE» para servir na Província Ultramarina da Guiné, embarca em Lisboa com destino a Bissau, a fim de assumir funções de 2º comandante do Batalhão de Cavalaria 3864 (BCav3864) «… NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE»;


Em 1 de Junho de 1972 promovido a tenente-coronel, passa a comandar o mencionado batalhão [BCav3864];


Em 19Jan1973 transferido pelo Comando-Chefe das Forças Armadas da Guiné (CCFAG) para o comando do Batalhão de Caçadores 3884 (BCac3884/BC10) «VELOSOS E AGRESSIVOS»;


Em 16 de Dezembro de 1973 regressa à Metrópole e fica colocado na Escola Prática de Cavalaria (EPC – Santarém) «MENS AGITAT MOLEM»;


Em 2 de Abril de 1974 assume funções de 2º comandante da mencionada unidade [EPC – Santarém] «MENS AGITAT MOLEM»;


Em 22 de Maio de 1974 transferido para a Região Militar do Porto;


Em 3 de Junho de 1975 agraciado com a Medalha de Mérito Militar de 2ª classe.


Faleceu no dia 3 de Dezembro de 2009, como Coronel de Cavalaria na situação de reforma.


Paz à sua Alma.

 

 

 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo