.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Joaquim Pereira Pinto, Soldado de Infantaria, da CCac1797/BCac1935: Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo V, pág. 368, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo III, pág.s 153 a 156, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 109, pág. 58, de Janeiro de 1969

Imagens dos distintivos cedidas pelo veterano Carlos Coutinho

 

 

Joaquim Pereira Pinto

 

Soldado de Infantaria, n.º 04645967

 

Companhia de Caçadores 1797

 

Batalhão de Caçadores 1935

 

«OS GALGOS - SEMPRE EXCELENTES E VALOROSOS»

 

Moçambique

 

01Nov1967 > 27Nov1969

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

Prémio 'Governador'

 

Joaquim Pereira Pinto, Soldado de Infantaria, n.º 04645967.

 

Mobilizado pelo Batalhão de Caçadores 10 (BC10 - Chaves) para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique integrado na Companhia de Caçadores 1797 (nota) do Batalhão de Caçadores 1797 «OS GALGOS - SEMPRE EXCELENTES E VALOROSOS», no período de 1 de Novembro de 1967 a 27 de Novembro de 1969.

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

 

Soldado de Infantaria, n.º 04645967
JOAQUIM PEREIRA PINTO
 

CCac1797/BCac1935 - BC 10
MOÇAMBIQUE
 

4.ª CLASSE
 

Transcrição do Despacho publicado na OE n.º 7 - 3.ª série, de 1969.
 

Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ªclasse, nos termos do art.º 12.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Moçambique, de 18 de Dezembro de 1968:


O Soldado n.º 04645967, Joaquim Pereira Pinto, da Companhia de Caçadores n.º 1797/Batalhão de Caçadores n.º 1935 — Batalhão de Caçadores n.º 10.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.
(Publicado na OS n.º 71, de 04 de Setembro de 1969, do QG/RMM):


Que, por seu despacho de 8 de Agosto de 1968, louvou o Soldado n.º 04645967, Joaquim Pereira Pinto, da Companhia de Caçadores n.º 1797 do Batalhão de Caçadores n.º 1935, pelo seu bom comportamento nas operações em que tem tomado parte.


Sempre aguerrido, face aos bandoleiros, e tomando atitudes de verdadeiro destemor, é de salientar a sua conduta no assalto a um acampamento terrorista no decorrer da operação "Galgos Filam", em que, alheio ao perigo e pondo em risco a sua própria segurança, abateu um elemento inimigo que, fazendo fogo, se dirigia para o grupo de que o soldado Pinto fazia parte.


Com a sua atitude, donde ressalta decisão, serenidade, sangue-frio e coragem, conseguiu impedir que camaradas seus fossem atingidos, ao mesmo tempo que contribuiu para o êxito da operação, sendo, assim, merecedor de ser citado como um exemplo digno de realce.

-----------------------------------------------------------------

Jornal do Exército, ed. 109, de Janeiro de 1969

 

 

    -----------------------------------------------------------------
 

(nota)

 

Companhia de Caçadores 1797 / Batalhão de Caçadores N.º 1935
 

Unidade Mobilizadora:
Batalhão de Caçadores 10 (BC 10 — Chaves)
 

Comandante:

Capitão de Infantaria Fernando Augusto Gomes
 

Partida:
Embarque, em navio, a 10 de Outubro de 1967; Desembarque a 1 de Novembro de 1967.
 

Regresso:
Embarque, em navio, a 27 de Novembro de 1969.
 

Síntese da Actividade Operacional
A Companhia de Caçadores 1797 (CCac1797) desembarcou em Nacala e foi colocada em Révia onde rendeu a Companhia de Artilharia 1595 do Batalhão de Artilharia 1893 (CArt1595/BArt1893).

De Novembro de 1967 a Fevereiro de 1969, efectuou entre outras, as operações:


"Gago Coutinho" (região de Cassero),
"Galgos na Mata" (foz do rio Chameze),
"Galgos na Machamba" e "Galgos Ultrapassam" (monte Xizeze),
"Galgos no Rio" (vale do rio Lugenda) e "Perseguição dos Galgos" (entre os rios Lugenda e Namacare).

Participou nas operações:

"Galgos em Casa Alheia",
"Galgos Pintam a Manta",
"Aniversário dos Galgos",
"Galgos Cambam" e
"Galgos Ladram".

Em Fevereiro de 1969, rendida em Révia, pela Companhia de Artilharia 2388 (CArt2388) foi transferida para Mabo-Tacuane, no distrito da Zambézia, onde rendeu a Companhia de Caçadores 1634 do Batalhão de Caçadores 1899 (CCac1634/BCac1899), sendo retirada definitivamente ao batalhão [BCac1935].

Ficou sob o comando do Batalhão de Caçadores 1937 (BCac1937) no subsector de Mocuba (DMO), do sector D.

Guarneceu, com 1 secção, os destacamentos da represa da "Companhia de Chá Nadal" e as instalações da "Companhia de Chá Tacuane".

De 22 de Agosto a 14 de Outubro de 1969, esteve na situação de intervenção do comando do Sector F (Tete).

De Fevereiro de 1969, até final da comissão, além da actividade de intervenção, a actividade operacional, consistia em patrulhamentos na sua zona de acção.

Foi rendida em Mabo Tacuane (Novembro de 1969), pela Companhia de Artilharia 2372 do Batalhão de Artilharia 2847 (CArt2372/BArt2847).

 




 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo