.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

José Cardoso dos Reis, Furriel Mil.º de Infantaria, da CCac1560/BCac1891: Cruz de Guerra de 3.ª classe

 

  "Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo V, pág. 225, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo III, Livro 1, págs 126 a 129 da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 140, pág. 65, de Agosto d 1971

Imagens dos distintivos cedidas por Carlos Cordeiro

 

 

José Cardoso dos Reis

 

Furriel Mil.º de Infantaria

 

Companhia de Caçadores 1560 «LEOPARDOS»

 

Batalhão de Caçadores 1891 «LEAIS E VALOROSOS»

 

Moçambique: 21Mai1966 a 13Ago1968

 

Cruz de Guerra, de 3.ª classe

 

José Cardoso dos Reis, Furriel Mil.º Atirador de Infantaria, nascido na freguesia de Cortegaça, concelho de Ovar, distrito de Aveiro.


Mobilizado pelo Regimento de Infantaria 16 (RI 16 – Évora) para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique integrado na Companhia de Caçadores 1560 (CCac1560) «LEOPARDOS» do Batalhão de Caçadores 1891 (BCac1891) «LEIAS E VALOROSOS», no período de 21 de Maio de 1966 a 19 de Agosto de 1968.


Louvado e agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 3.ª classe, por relevantes actos em combate, publicado na Ordem de Serviço n.º 25, de 27 de Maio de 1968, do Quartel General da Região Militar de Moçambique (QG/RMM), e na Ordem do Exército n.º 23, 3.ª série, de 1968.
 

Cruz de Guerra, de 3.ª classe

(Título póstumo)

 

 

 

Furriel Miliciano de Infantaria
JOSÉ CARDOSO DOS REIS
 

CCac1560/BCac1891 - RI16
MOÇAMBIQUE
 

3.ª CLASSE


Transcrição da Portaria publicada na Ordem do Exército n.º 23 – 3.ª série, de 1968.
 

Por Portaria de 25 de Junho de 1968:


Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro do Exército, condecorar com a Cruz de Guerra de 3.ª classe, ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província de Moçambique, o Furriel Miliciano de Infantaria, José Cardoso dos Reis, da Companhia de Caçadores n.º 1560 do Batalhão de Caçadores n.º 1891 - Regimento de Infantaria n.º 16.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado na Ordem de Serviço n.º 25, de 27 de Maio de 1968, do Quartel General da Região Militar de Moçambique (QG/RMM):


Louvado o Furriel Mil.º de Infantaria, José Cardoso dos Reis, da Companhia de Caçadores n.º 1560 do Batalhão de Caçadores n.º 1891 - Regimento de Infantaria n.º 16, pelas invulgares qualidades de comando, coragem, sangue frio, lucidez e espírito de sacrifício debaixo de fogo, amplamente demonstradas nas inúmeras acções de combate em que tomou parte - quase todas as que foram levadas a efeito pela Companhia de Caçadores 1560 (CCac1560) - nomeadamente na Operação "Quatro Camaradas" em que, voluntariamente, se lançou com a sua Secção na primeira linha das Nossas Tropas, ao assalto das fortemente defendidas posições inimigas, embora tal lhe não competisse, tendo-se havido com extraordinária bravura. Com sério risco da própria vida debaixo de intenso fogo inimigo, que varria toda a zona descoberta que teve de atravessar, tomou ainda parte na exploração do sucesso sendo voluntariamente o último a regressar às posições de emboscada, depois de cobrir a retirada dos seus camaradas.


Na Operação "Sobe-Sobe", em que comandou uma das equipas de assalto, atacou com a sua equipa, a peito descoberto e debaixo de fogo inimigo, com sério risco da própria vida, uma posição inimiga onde se encontravam 2 Lança-Granadas Foguete (LGFog), tomando-a de assalto e pondo os elementos que a guarneciam em debandada, apesar de já ter visto o Comandante do seu Grupo de Combate cair mortalmente atingido [Alferes de Cavalaria Luís António Andrade Âmbar (Cruz de Guerra de 1.ª classe)]


Este Furriel é muito justamente considerado o melhor da Companhia de Caçadores 1560 (CCac1560) e é ainda possuidor, em elevado grau, de um espírito de missão, lealdade, camaradagem e disciplina que muito justamente são de realçar.
 

----------------------------------------------------------------

 

Jornal do Exército, ed. 140, pág. 65, de Agosto de 1971

 

FURRIEL MILICIANO DE INFANTARIA JOSÉ CARDOSO DOS REIS
MEDALHA DA CRUZ DE GUERRA DE 3.ª CLASSE

O Furriel Miliciano de Infantaria José Cardoso dos Reis foi condecorado com a medalha da Cruz de Guerra de 3.ª classe «pelas invulgares qualidades de comando amplamente demonstradas nas inúmeras acções de combate em que tomou parte em MOÇAMBIQUE.


Numa operação, com a sua secção na primeira linha das Nossas Tropas, lançou-se voluntariamente ao assalto das posições inimigas fortemente defendidas, embora não lhe competisse. Tendo-se havido com extraordinária bravura, com sério risco da própria vida, debaixo do intenso fogo inimigo que varria toda a zona descoberta que teve de atravessar. Tomou ainda parte na exploração do sucesso e foi voluntariamente o último a regressar, o que muito facilitou a manobra dos seus camaradas
».

 


 

 

----------------------------------------------------------------

 

 

 

Batalhão de Caçadores N.º 1891
 

Identificação:
BCac1891


Unidade Mobilizadora:
Regimento de Infantaria 16 (RI16 – Évora)


Comandante:
Tenente Coronel de Infantaria José Rodrigues Maria da Mata


2.° Comandante:
Major de Infantaria Carlos Caetano Guerreiro Alves Viana


Oficial de Informações e Operações /Adjunto:
Capitão de Infantaria José da Câmara Vaz Serra


Comandantes de Companhia:


Companhia de Comando e Serviços (CCS):
Capitão do Serviço Geral do Exército Marcolino Duarte


Companhia de Caçadores 1558 (CCac1558):
Capitão Mil.º Daniel P. Delgado


Companhia de Caçadores 1559 (CCac1559):
Capitão Mil.º Aires J. S. Veiga


Companhia de Caçadores 1560 (CCac1560):
Capitão Mil.º António Augusto da Costa Campinas


Teve sob o seu comando:
Companhia de Caçadores 689 (CCac689),
Companhia de Caçadores 1475 do Batalhão de Caçadores 1871 (CCac1475/BCac1871),
Companhia de Cavalaria 1505 do Batalhão de Cavalaria 1879 (CCav1505/BCav1879),
Companhia de Caçadores 73 (CCac73),
Companhia de Caçadores 1472 do batalhão de Caçadores 1870 (CCac1472/BCac1870),
1.ª Companhia do Batalhão de Caçadores 16 (1ªCCac/BCac16),
Companhia de Caçadores 1552 do Batalhão de Caçadores 1889 (CCac1552/BCac1889),
Companhia de Artilharia 1626 (CArt1626) e
Companhia de Engenharia 1531 (CEng1531).
 

Divisa:
«LEAIS E VALOROSOS»
 

Partida:
Embarque, no NTT “Pátria”, no dia 30 de Abril de 1966; Desembarque em Nacala no dia 21 de Maio de 1966.
 

Regresso:
Embarque, em navio, no dia 19 de Agosto de 1968.


Síntese da Actividade Operacional
Desembarcou, em Nacala.
Foi colocado no Alto Molocué, no distrito da Zambézia, onde assumiu a 11 de Junho de 1966 a responsabilidade de novo subsector, com sede naquela localidade, criado na zona norte do distrito, o qual, a partir de Janeiro de 1967, passou a designar-se DAM.
As companhias de Caçadores 1558, 1559 e 1560, foram colocadas respectivamente em Errego, Molumbo e Gilé, integradas no dispositivo do batalhão [BCac1891].
Ficaram, sob o seu comando, a Companhia de Caçadores 689 (CCac689), rendida a 7 de Março de 1967, pela Companhia de Caçadores 1475 do Batalhão de Caçadores 1871 (CCac1475/BCac1871), em Vila Junqueiro e a Companhia de Cavalaria 1505 do Batalhão de Cavalaria 1879 (CCav1505/BCav1879), de 10 de Janeiro a 19 de Março de 1967.
A actividade do inimigo, no subsector, era reduzida, consistindo em tentativas de infiltração de material de guerra e de controlo de populações, principalmente nas regiões de Molumbo e Milange.
De Maio de 1966 a Março de 1967, a actividade operacional, caracterizou-se pela execução de escoltas, patrulhamentos, contacto com as populações, colaboração com as autoridades administrativas, assistência médico-sanitária e acção psicológica.
Em Março de 1967, foi transferido, por troca com o Batalhão de Cavalaria 1879 (BCav1879), do Alto Molocué para Metangula, no distrito do Niassa, tendo assumido a responsabilidade do subsector de Metangula (AME).
As companhias de Caçadores 1558, 1559 e 1560 foram colocadas respectivamente em Nova Coimbra, Cobué e Maniamba, integradas no dispositivo do batalhão [BCac1891].
Teve sob o seu comando:
CCaç 73 em Olivença, a
Companhia de Caçadores 1472 do Batalhão de Caçadores 1870 (CCac1472/BCac1870, rendida em Maniamba a 9 de Junho de 1967 pela 1.ª Companhia do Batalhão de Caçadores 16 (1ª/BCac16) e a
Companhia de Engenharia 1531 (CEng1531) em Nova Coimbra (de Março a Outubro de 1967).
A actividade inimiga, no subsector de Metangula, como em toda a zona do lago Niassa, caracterizada por elevada violência, manifestava-se através de implantação de grande quantidade de engenhos explosivos nos itinerários, armadilhas, emboscadas e flagelações a instalações militares.
De Março de 1967 a Fevereiro de 1968, a actividade operacional, consistia em abertura de itinerários, pejados de minas ACar (anti-carro) e APess (anti-pessoal) (causando baixas às Nossas Tropas), escoltas a colunas logísticas, nomadizações, patrulhamentos, emboscadas e golpes de mão, numa vasta área, junto ao lago Niassa (de Maniamba à fronteira com a Tanzânia), designadamente nas regiões de Lunho, Maniamba, Metangula, Nova Coimbra, Cobué, Olivença, Bandece e Miandica, efectuando entre outras, as operações
"Marretada",
"4 Camaradas",
"Novo Rumo",
"Caravana",
"Longa-rinas",
"Experiência",
"Pente Fino",
"Limpeza I e II",
"Maconde",
"Novamente",
"Segunda Vez",
"Lisboa",
"Bisbilhotice",
"Rumo Velho" e
"Crepúsculo".
Participou nas operações "Safari" e "Alferes Capote" na zona do rio Messinge, planeadas e coordenadas pelo Comando do Sector (Vila Cabral).
Teve a missão de garantir a segurança aos trabalhos da Companhia de Engenharia 1531 (CEng1531) (sedeada em Nova Coimbra de Março a Outubro de 1967), na construção da estrada Nova Coimbra - Miandica.
Em Fevereiro de 1968, rendido em Metangula, pelo Batalhão de Artilharia 2838 (BArt2838), regressou ao distrito da Zambézia.
Rendeu em Vila Junqueiro, o Batalhão de Cavalaria 1879 (BCav1879) (Subsector DGR).
As companhias de Caçadores 1558, 1559 e 1560, foram colocadas respectivamente em Alto Molocué, Molumbo e Gilé, integradas no dispositivo do batalhão [BCac1891].
A Companhia de Comando e Serviços (CCS/BCac1891), recebeu o reforço de 2 pelotões da Companhia de Caçadores 1558 (CCac1558).
Teve sob o seu comando a Companhia de Caçadores 1552 do Batalhão de Caçadores 1889 (Ccac1552/BCac1889) em Errego, rendida a 18 de Junho de 1968 pela Companhia de Artilharia 1626 (CArt1626).
A actividade inimiga, mantinha-se idêntica à do período de Maio de 1966 a Março de 1967.
De Fevereiro de 1968, até final da comissão, a actividade operacional do batalhão [BCac1891], não sofreu alteração em relação à da 1.ª situação (Maio de 1966 a Março de 1967).
Foi rendido em Vila Junqueiro (Agosto de 1968), pelo Batalhão de Caçadores 1934 (BCac1934)

----------------------------------------------
A Companhia de Caçadores 1558 (CCac1558), desembarcou em Nacala.
Colocada em Errego, rendeu a Companhia de Caçadores 1503 do Batalhão de Caçadores 1878 (CCac1503/BCac1878). Destacou 1 pelotão para Namarrói.
Durante o mês de Maio de 1966, reforçou a Companhia de Comando e Serviços (CCS/BCac1891) com 1 pelotão.
De Maio de 1966 a Março de 1967, a actividade operacional, consistiu principalmente em patrulhamentos e contacto com a população em acção educativa e assistência medicamentosa.
Em Março de 1967, permutando com a Companhia de Cavalaria 1506 do Batalhão de Cavalaria 1879 (CCav1506/BCav1879), foi transferida de Errego para Nova Coimbra.
Guarneceu com 1 pelotão os destacamentos de Messuba e Estremoz-a-Nova (Miandica).
Recebeu o reforço de 1 pelotão da Compania de Caçadores 1559 (CCac1559).
De Março de 1967 a Fevereiro de 1968, efectuou entre outras, as operações
"Experiência" (região a N de Messumba),
"Pente Fino"(entre Nova Coimbra e Maniamba),
"Limpeza I" e "II" e "Mãos Dadas" (vale do rio Lunho),
"Segundo Leão" (entre os rios Lunho, Namango e Lutiche),
"Maconde" (região da "Base Lijombos") e
"Rumo Velho" (região da "Base Namatumba").
Participou nas operações "Marretada", "Caravana I" e "Caravana II".
Em Fevereiro de 1968, foi rendida em Nova Coimbra, pela Companhia de Artilharia 2324 do Batalhão de Artilharia 2838 (CArt2324/BArt2838) e transferida para Alto Molocué, onde rendeu a Companhia de Cavalaria 1507 do Batalhão de Cavalaria 1879 (CCav1507/BCav1879).
Cedeu 2 pelotões de reforço à Companhia de Comando e Serviços (CCS/BCac1891).
De 11 de Maio a 29 de Julho de 1968, actuou como força de intervenção, do comando do Sector A (Vila Cabral).
Foi rendida em Alto Molocué (Agosto de 1968), pela Companhia de Caçadores 1793 do Batalhão de Caçadores 1934 (CCac1793/BCac1934).
----------------------------------------------
A Companhia de Caçadores 1559 (CCac1559), desembarcou em Nacala, seguindo para Molumbo, onde substituiu um pelotão da Companhia de Caçadores 689 (CCac689).
De Maio de 1966 a Março de 1967, a actividade operacional, consistiu principalmente em patrulhamentos e contacto com a população em acção educativa e medicamentosa.
Em Março de 1967, foi transferida, por troca com a Companhia de Cavalaria 1507 do Batalhão de Cavalaria 1879 (CCav1507/BCav1879), do Molumbo para Cobué.
Cedeu 1 pelotão de reforço à Companhia de Caçadores 1558 (CCac1558).
De Março de 1967 a Fevereiro de 1968, executou as operações:
"Pato" e "Continuando" (entre os rios Luacambo e Licoé),
"Fernandes e Simões" (região da "Base Maniamba"),
"Bisbilhotice" (E de N'Gogo) e
"Novamente" (vale do rio Mecondece).
Tomou parte nas operações "Novo Rumo", "Caravana I" e "Caravana II".
Em Fevereiro de 1968, foi rendida em Cobué, pela Companhia de Artilharia 2325 do Batalhão de Artilharia 2838 (CArt2325/BArt2838), regressando ao Molumbo, onde rendeu a Companhia de Caçadores 1552 do Batalhão de Caçadores 1889 (CCac1552/BCac1889).
Foi rendida em Molumbo (Agosto de 1968), pela Companhia de Caçadores 1795 do Batalhão de Caçadores 1934 (CCac1795/BCac1934).
----------------------------------------------
A Companhia de Caçadores 1560 (CCac1560), desembarcou em Nacala.
Foi colocada em Gilé, onde substituiu uma secção da Companhia de Caçadores 689 (CCac689)
De Maio de 1966 a Janeiro de 1967, a actividade operacional, consistiu principalmente em patrulhamentos e acção educativa e medicamentosa junto da população.
Em Janeiro de 1967, foi transferida, por troca com a Companhia de Cavalaria 1505 do Batalhão de Cavalaria 1879 (CCav1505/BCav1879), de Gilé para Maniamba.
Destacou 1 pelotão para Bandece.
De Janeiro de 1967 a Fevereiro de 1968, efectuou entre outras, as operações:
"Alcides" (vale do rio Messinge),
"Segunda Vez" (região da "Base Liconhire"),
"Lisboa" (serra Macuti),
"Marretada II" (região da "Base Maniamba),
"Sobe-Sobe" (serra Juzagombe),
"Alferes Ambar" (região da "Base Liconchire") e
"Crepúsculo" (entre os rios Messinge, Nossi e Luavize).
Tomou parte nas operações "Marretada", "Caravana I" e "Caravana II".
Em Fevereiro de 1968, foi rendida em Maniamba, pela Companhia de Artilharia 2326 do batalhão de Artilharia 2838 (CArt2326/BArt2838), regressando a Gilé, onde rendeu a Companhia de Cavalaria 1505 do Batalhão de Cavalaria 1879 (CCav1505/BCav1879).
Foi rendida em Gilé (Agosro de 1968), pela Companhia de Caçadores 1794 do Batalhão de Caçadores 1934 (CCac1794/BCac1934).
-----------------------------------------------------------------------------
Dos resultados obtidos, decorrentes da actividade operacional do batalhão [BCac1891], salienta-se, entre o diverso material capturado:
2 metralhadoras ligeiras,
3 pistolas metralhadoras,
20 espingardas,
15 granadas de lança granada-foguete,
45 granadas de mão,
grande quantidade de munições de armas ligeiras e
variada documentação.
 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo