.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

José Maria de Campos Mendes Sentieiro, Capitão de Cavalaria: Cruz de Guerra, de 1.ª classe

 

Elementos cedidos por um colaborador do portal UTW

 

HONRA E GLÓRIA

 

 

José Maria de Campos Mendes Sentieiro

 

Capitão de Cavalaria

 

Companhia de Cavalaria 2485

 

Batalhão de Cavalaria 2868 «NÃO TEMO»

 

Guiné: 01Mar1969 a 30Dez1970

 

Cruz de Guerra, de 1.ª classe

 

José Maria de Campos Mendes Sentieiro

 

- em 01 de Outubro de 1963 cadete-aluno da Academia Militar, concluído o curso de Cavalaria, promovido a aspirante-a-oficial e colocado na Escola Prática de Cavalaria (EPC - Santarém);


- em 01 de Novembro de 1964 concluído o tirocínio e promovido a alferes do quadro da arma de cavalaria;


- em 23 de Fevereiro de 1969, com o posto de capitão, tendo sido mobilizado pelo Regimento de Cavalaria 7 (RC7 - Ajuda) para servir na Guiné, embarca em Lisboa no NTT 'Uige' rumo a Bissau, integrado no Batalhão de Cavalaria 2868 (BCav2868) como comandante da Companhia de Cavalaria 2485 (CCav2485);


- em 31de Dezembro de 1970 regressa à Metrópole;


- em Março de 1971, encontrando-se colocado no Regimento de Cavalaria 4 (RC4-Santa Margarida), nomeado para frequentar o curso-geral de estado-maior do IAEM (Instituto de Altos Estudos Militares), no ano lectivo de 1971/72;


- em 20 de Setembro de 1971 agraciado com a Cruz de Guerra de 1ª classe, por distintos feitos em combate no noroeste da Província Ultramarina Portuguesa da Guiné;


- em 19 de Julho de 1972, tendo sido nomeado «por imposição para fazer parte das tropas de reforço à guarnição normal» da Região Militar de Angola (RMA), embarca no Aeródromo Base 1 (AB1-Figo Maduro) em vôo Boeing707-TAM com destino à Base Aérea 9 (BA9-Luanda), a fim de ser integrado no Batalhão de Cavalaria 3882 (BCav3882/RC4);


- em 20 de Outubro de 1974 regressa à Metrópole e fica colocado no Regimento de Lanceiros 2 (RL2-Ajuda);


- em 06 de Fevereiro de 1975 transferido para a Escola Prática de Cavalaria (EPC).

 

 

Companhia de Cavalaria 2485 (CCav2485):

 

A Companhia de Cavalaria 2485 (CCav 2485) seguiu em 30 de Março de 1969 para Cacheu, integrada na manobra e missão do seu batalhão, tendo em 24 de Abril de 1969 substituído na missão de quadrícula a Companhia de Caçadores 2446 (CCaç 2446), até à chegada da Companhia de Caçadores 2367 (CCaç 2367), em 30 de Junho de 1969 e onde se manteve até 22 de Agosto de 1969.


Em 25 de Agosto de 1969, foi colocada em Bula, em reforço do Batalhão de Caçadores 2861 (BCaç 2861) e depois integrada no seu batalhão.


Em 25 de Junho de 1970, por troca com a Companhia de Cavalaria 2487 (CCav 2487), foi transferida para Ponta Augusto Barros e reordenamentos de Mato Dingal e João Landim, voltando a Bula, por troca com a Companhia de Cavalaria 2525 (CCav 2525), em 25 de Julho de 1970.

 
Em 23 de Setembro de 1970, por troca com a Companhia de Cavalaria 2486 (CCav 2486), foi transferida para Pete e reordenamentos de Ponta Consolação e Capunga.


Em 23 de Outubro de 1970, rendida, por troca, pela Companhia de Cavalaria 2369 (CCav 2639), voltou a Bula, onde se manteve até à sua substituição pela Companhia de Caçadores 2789 (CCaç 2789) em 01 de Dezembro de 1970, após o que recolheu a Bissau para embarque.
 

 

Cruz de Guerra, de 1.ª classe

 

 

Capitão de Cavalaria
JOSÉ MARIA DE CAMPOS MENDES SENTIEIRO
 

CCav 2485/BCav 2868 — RC 7
GUINÉ
 

1.ª CLASSE
 

Transcrição da Portaria publicada na OE n.º 19 — 2.ª série, de 1971.
Por Portaria de 20 de Setembro de 1971:
 

Condecorado com a Cruz de Guerra de 1.ª classe, ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província da Guiné Portuguesa, o Capitão de Cavalaria, José Maria de Campos Mendes Sentieiro, da Companhia de Cavalaria n.º 2485/Batalhão de Cavalaria n.º 2868 — Regimento de Cavalaria n.º 7.
 

Transcrição do louvor que originou a condecoração.
(Por Portaria da mesma data, publicada naquela 0E):
 

Louvado o Capitão de Cavalaria, José Maria de Campos Mendes Sentieiro, pela forma altamente eficiente como comandou a Companhia de Cavalaria n.º 2485, na Província da Guiné, desenvolvendo intensa e contínua actividade operacional em zonas particularmente difíceis e evidenciando notáveis qualidades de chefe e de combatente, sabendo incutir nos seus subordinados excepcional determinação, agressividade e espírito de corpo.


No decurso de uma emboscada montada pelo inimigo, em área muito crítica do Sector, o Capitão Sentieiro, sob intenso potencial de fogo inimigo, indiferente ao perigo e sempre nos locais de maior risco, impulsionou de forma dinâmica e agressiva as forças sob o seu comando, infligindo ao adversário apreciáveis baixas e a captura de material diverso, o que teve significativas repercussões na evolução favorável da situação na zona de acção da unidade. Em toda a acção evidenciou elevada coragem, decisão e serena energia debaixo de fogo.


Na operação "Roda grande", progredindo junto dos primeiros homens da coluna que foi emboscada, impulsionou os seus subordinados pelo exemplo da sua conduta, comandando com decisão a reacção, primeiramente à frente, onde o fogo era mais intenso e sempre em evidente risco de vida, e posteriormente, deslocando-se a meio da coluna, a fim de coordenar o envolvimento feito pelos elementos da retaguarda.


Na operação "Ostra amarga", face a uma forte emboscada sofrida pelas nossas forças, expôs-se decididamente ao fogo do inimigo para poder coordenar a acção, galvanizando os seus homens com o seu procedimento e obrigando o adversário a retirar (nota).


Não menos relevante foi a forma enérgica e pronta como fez reagir as suas forças em emboscada levada a efeito por um grupo inimigo na região de Ponta Matar, ordenando o envolvimento do adversário, que bateu em retirada, deixando baixas no terreno.


Pelo conjunto de excepcionais qualidades evidenciadas debaixo de fogo frente ao inimigo, demonstrou o Capitão Sentieiro possuir extraordinários dotes de coragem, decisão, sangue-frio e desprezo pelo perigo, dignificando altamente a Arma de Cavalaria a que pertence e o Exército que tão abnegadamente serve.

 

(nota) - Na fase final da 'Op Ostra Amarga', ao início da manhã um grupo do PAIGC, emboscado nas imediações de um trilho para o Pecure (itinerário Bula>Caboiana), pelas 07:15 do sábado 18Out1969 lança sobre a frente de patrulha apeada das NT (dois pelotões da CCac2487 ao momento sob comando do cap. Sentieiro), um RPG que atinge o soldado clarim Henrique Ferreira da Anunciação Costa (morte instantânea), o soldado atirador António da Silva Capela (após 45' morre no local), e um outro militar (gravemente ferido e pouco depois helievacuado para o hospital militar em Bissau).
 

Henrique Ferreira da Anunciação Costa, Soldado Clarim n.º 03434368, natural da freguesia de Atouguia da Baleia, concelho de Peniche, filho de Francisco Ferreira da Costa. Casado, com Noémia Maria Marques Oliveira. Está sepultado no cemitério Paroquial de Ferrel, da freguesia de Atouguia da Baleia, concelho de Peniche.

 

António da Silva Capela, Soldado Atirador n.º 0721868, natural da freguesia de Cabaços, concelho de Ponte de Lisboa, filho de Gabriel dos Santos Capela e de Rosa Araújo da Silva. Está sepultado no cemitério de Lousa, concelho de Loures.

 

 

 


 

Jornal do Exército, ed. 153, de Setembro de 1972

 

CONDECORADO com a Cruz de Guerra de 1.ª Classe o Capitão de Cavalaria José Maria de Campos Mendes Sentieiro, natural de Torres Novas, mercê da «intensa e contínua actividade operacional que desenvolveu, em zonas particularmente difíceis, evidenciando notáveis qualidades de chefe e de combatente e sabendo incutir nos seus subordinados excepcional determinação, agressividade e espirito de corpo.


«Em diversas ocasiões, durante emboscadas, o Capitão José Maria Sentieiro destacou-se pela sua actuação, debaixo de fogo inimigo e com risco da própria vida, expondo-se corajosamente nos lugares de maior perigo e impulsionando de forma dinâmica e agressiva as Forças sob o seu comando, no que contribuiu grandemente, e por várias vezes, para a evolução favorável dos acontecimentos e para a captura de diverso material inimigo.


«Este oficial demonstrou. assim, possuir extraordinários dotes de coragem, decisão, sangue-frio e desprezo pelo perigo».

 


 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo