.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Manuel Fernando da Silva Neto, 1.º Cabo de Infantaria, da CCac2604: Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

  "Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo VI, pág. 415, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo I, pág.s 275 e 276, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 138, pág. 24, de Junho de 1971

Imagens dos distintivos cedidas por Carlos Coutinho

 

 

 

Manuel Fernando da Silva Neto

 

1.º Cabo de Infantaria, n.º 10985169

 

Companhia de Caçadores 2604

 

Batalhão de Caçadores 2888

 

«FORTES, JUSTOS, SIMPLES, VERDADEIROS»

 

Angola:

01Nov1969 a 28Nov1971

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

Prémio Governador-Geral de Angola

 

 

Manuel Fernando da Silva Neto, 1.º Cabo de Infantaria, n.º 10985169, natural da freguesia de São Tomé de Negreiros, concelho de Santo Tirso, distrito do Porto.


Mobilizado pelo Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes) para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola integrado na Companhia de Caçadores 2604 (CCac2604) do Batalhão de Caçadores 2888 (BCac2888) «FORTES, JUSTOS, SIMPLES, VERDADEIROS», no período de 1 de Novembro de 1969 a 28 de Novembro de 1971.


Agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 4.ª classe, publicado na Ordem de Serviço n.º 94, de 20 de Novembro de 1970, do Quartel General da Região Militar de Angola, e na Ordem do Exército n.º 9 - 3.ª série, de 1971.


Distinguido com o Prémio Governador-Geral de Angola, publicado no Jornal do Exército, edição n.º 138, pág. 24, de Junho de 1971.
 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

 

1.° Cabo de Infantaria, n.º 10985169
MANUEL FERNANDO DA SILVA NETO
 

CCac2604/BCac2888 — RI2
ANGOLA
 

4.ª CLASSE


Transcrição do Despacho publicado na OE n.º 9 — 3.ª série, de 1971.


Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, nos termos do artigo 12.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 31 de Janeiro último:


O 1.º Cabo n.º 10985169, Manuel Fernando da Silva Neto, da Companhia de Caçadores n.º 2604 do Batalhão de Caçadores n.º 2888 — Regimento de Infantaria n.º 2.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado na OS n.º 94, de 20 de Novembro de 1970, do Quartel General da Região Militar de Angola (QG/RMA):


Louvado o 1.º Cabo n.º 10985169, Manuel Fernando da Silva Neto, da Companhia de Caçadores n.º 2604 do Batalhão de Caçadores n.º 2888, pelas excepcionais qualidades militares que vem evidenciando em todas as operações em que tomou parte, sendo de referir que se oferece sempre para ocupar os lugares de maior risco do dispositivo, tendo, por mais de uma vez, posto à prova a sua notável coragem, decisão e desprezo pelo perigo em frente do inimigo.


Foi digna de particular realce a sua actuação em determinada operação na qual, à frente de uma pequena força em patrulhamento de um trilho, com fortes indícios de presença do inimigo, ao detectar um grupo progredindo cautelosamente em sentido oposto, alertou os seus camaradas e, calmamente, aguardou que o adversário se aproximasse até à distância de escassos metros e só então abriu fogo, abatendo dois elementos armados e ferindo um outro. Seguidamente, já sem munições no seu carregador, lançou-se decididamente sobre os feridos, embora desconhecendo se estavam mortos e apoderou-se das suas armas.


O 1.º Cabo Neto com esta actuação destemida confirmou o elevado conceito em que já era tido e impôs-se à consideração dos seus camaradas, justificando-se, assim, o especial destaque pelos serviços prestados.

 

------------------------------------------------------------------

 

Jornal do Exército, ed. 138, pág. 24, de Junho de 1971

 

Prémio Governador-Geral de Angola

 

1.º CABO MANUEL FERNANDO DA SILVA NETO

«Louvado pelas excepcionais qualidades militares que vem evidenciando em todas as operações em que tomou parte, sendo de referir que se oferece sempre para ocupar os lugares de maior risco no dispositivo, tendo, por mais de uma vez, posto à prova a sua notável coragem, decisão e desprezo pelo perigo em frente do inimigo.


Foi digna de particular realce em determinada operação, na qual à frente de uma pequena força em patrulhamento de um trilho com fortes indícios de presença do inimigo, detectando um grupo progredindo cautelosamente em sentido oposto, alertou os seus camaradas e, calmamente, aguardou que o adversário se aproximasse até à distância de escassos metros, e só então abriu fogo, abatendo dois elementos armados e ferindo outro.


Seguidamente, já sem munições no seu carregador, lançou-se decididamente sobre os feridos, embora desconhecendo se estavam mortos e apoderou-se das suas armas.


O 1.º Cabo Neto, com este actuação destemida confirmou o elevado conceito em que já era tido e impôs-se à consideração dos seus camaradas, justificando-se que se atribui especial recompensa.
»
 

------------------------------------------------------------------

 

Batalhão de Caçadores N.º 2888
 

Identificação:
BCac2888


Unidade Mobilizadora:
Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes)


Comandante:
Tenente-Coronel de Infantaria Domingos André


2.º Comandante
Major de Infantaria Carlos Alberto Simões Ramalheira
Major de Infantaria Manuel da Silva São Martinho Júnior


Oficial de Informações e Operações / Adjunto:
Major de Infantaria Pedro Pereira do Rosário Santos


Comandantes de Companhia


Companhia de Comando e Serviços (CCS):
Capitão de Infantaria António Salgadinho São Braz
Capitão Mil.º de Cavalaria Domingos Martins Alfacinha Mendonça
Outro oficial n/identificado


Companhia de Caçadores 2602 (CCac2602):
Capitão Mil.º de Infantaria José Carvalho Antunes
Capitão de Infantaria José dos Santos Roque


Companhia de Caçadores 2603 (CCac2603):

Capitão Mil.º de Infantaria António João Cabaceira Raposo
Capitão Mil.º de Cavalaria Domingos Martins Alfacinha Mendonça
Tenente do Quadro Especial de Oficiais Joaquim Sabino Reino


Companhia de Caçadores 2604 (CCac2604):
Alferes Mil.º de Infantaria Fernando António Ramos Torres Martins
Capitão Mil.º de Artilharia Carlos Alberto de Almeida Santos Paiva
Capitão de Infantaria Daniel Andrade de Carvalho
Capitão Mil.º de Artilharia Francisco Olavo João Rodrigues


Divisa:
«FORTES, JUSTOS, SIMPLES, VERDADEIROS»


Partida:
Embarque no dia 20 de Outubro de 1969, no NTT «Niassa»; desembarque em Luanda, no dia 1 de Novembro de 1969.


Regresso:
Embarque no dia 28 de Novembro de 1971, no NTT «Vera Cruz»; desembarque em Lisboa, no dia 8 de Dezembro de 1971.


Síntese da Actividade Operacional
O Batalhão de Caçadores 2888 (BCac2888) foi destinado ao subsector de Zala, no Sector Meridional da Área Militar 1 (AM1), da Zona Militar Norte (ZMN), onde rendeu o Batalhão de Cavalaria 2854 (BCav2854).


O dispositivo adoptado foi:
Comando e Companhia d Comando e Serviços (CCS), em Zala, a
Companhia de Caçadores 2602 (CCac2602) em Bela Vista, as
Companhias de Caçadores 2603 (CCac2603) e 2604 (CCac2604) em Zala;


Como reforços, dispôs do
Pelotão de Morteiros 2137 (PelMort2137), com uma esquadra em Bela Vista e outra na Fazenda Madureira, onde estava instalada a Companhia de Caçadores 2534 (CCac2534) e depois Companhia de Caçadores 2537 (CCac2537).


Assumiu a responsabilidade da zona de acção em 17 de Novembro de 1969.


Na zona de acção, o inimigo implantava frequentes minas ACar (anti-carro) e APes (anti-pessoal), muitas levantadas pelas Nossas Tropas, outras deflagrando e causando fortes baixas.

 
Verificaram-se também, várias emboscadas de reacção às penetrações e a colunas auto; de referir ainda três flagelações a Zala.


Da constante actividade das Nossas Tropas, destacam-se pelas baixas causadas e armamento apreendido, as operações
"Safari 6, 46, 63, 64, 83, 84, 85",
"B22 e B23",
"Caçador",
"Insistência 2",
"Broca",
"Cartucho",
"Picada",
"Agora Bebes",
"Biscato",
"Rusga 1 e III".


Em 2 de Fevereiro de 1971, o Batalhão de Caçadores 2888 (BCac2888) foi rendido pelo Batalhão de Cavalaria 3836 (BCav3836), sendo-lhe fixada nova missão no subsector de Maquela do Zombo, na Zona Militar Norte (ZMN), onde substituiu o Batalhão de Artilharia 2864 (BArt2864).


O dispositivo foi o seguinte:
Comando e Companhia de Comando e Serviços (CCS) em Maquela do Zombo, a
Companhia de Caçadores 2602 (CCac2602) em Ponte do Zádi, a
Companhia de Caçadores 2603 (CCac2603) em Béu Comercial, a
Companhia de Caçadores 2604 (CCac2604) em Fazenda Costa,

 

Tendo como reforços o
Pelotão de Morteiros 2163 (PelMort2163, o Grupo Especial 211 (GE211) e um grupo de Tropas Especiais (TE) em Mavoio.


O Batalhão de Caçadores 2888 (BCac2888) assumiu a responsabilidade da Zona de Acção, em 8 de Fevereiro de 1971. Nesta Zona de Acção os patrulhamentos, emboscadas e de forma geral a vigilância da fronteira integraram a actuação operacional.


Refira-se a intensa actividade social, sanitária e educacional dirigida às populações, que granjearam a sua gratidão manifestada com frequência.


Em 22 de Novembro de 1971, o Batalhão de Caçadores 2888 (BCac2888) foi rendido pelo Batalhão de Caçadores 2926 (BCac2926).
 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo