.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Manuel Marques Sardão, Soldado Maqueiro, da CCS/BCac554

 

  "Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

Elementos cedidos por um colaborador do portal UTW

5.º Volume, Tomo I, pág.s 102 e 103, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo I, pág.s 176 e 177, da RHMCA / CECA / EME

8.º Volume, Tomo I, Livro 1, pág. 425, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 101, pág.s 12 e 13, de Maio de 1968

Revista "Combatente", ed. 250, de Dezembro de 1992

Imagens dos distintivos cedidas por Carlos Coutinho

RTP Arquivos

 

HERÓI NACIONAL

 

Manuel Marques Sardão

 

Soldado Maqueiro, n.º 1898/63

 

Companhia de Comando e Serviços (CCS)

 

Batalhão de Caçadores 554 (BCac554)

 

«NON NOBIS»

 

Angola: 14Dez1963 a 25Mar1966

 

Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, grau Cavaleiro, com palma

(Título Póstumo)

 

 

Soldado Maqueiro, n.º 1898/63

Manuel Marques Sardão

 

CCS/BCac554 - RI15

Angola

 

Grau: Cavaleiro, com palma (Título póstumo)

 

Transcrição do Alvará publicado na Ordem do Exército n.° 20 - 3.ª série, de 1966
 

Presidência da República

Chancelaria das Ordens Portuguesas

Alvará de 27 de Maio de 1966
 

Considerando que o comportamento do Soldado maqueiro, Manuel Marques Sardão, debaixo de fogo, quando a coluna de reabastecimento em que seguia integrado sofreu uma emboscada que, de modo fulminante, reduziu o pessoal a cinco homens, foi altamente meritório;

Considerando que, apesar de mortalmente ferido pelas primeiras rajadas, teve ainda forças para usar a sua arma e dar aos camaradas sobreviventes a sua colaboração, contribuindo assim para que o inimigo fosse posto em fuga e abandonasse material de grande importância;
 

Considerando que, alheio ao seu estado, em seguida, no local de combate e no exercício da função da sua especialidade, abnegadamente socorreu os camaradas feridos, até que a morte o surpreendeu no desempenho da sua nobre missão;

Considerando esta atitude heróica, nobre e corajosa de excepcional abnegação e sacrifício pela Pátria e pela Humanidade;

Américo Deus Rodrigues Thomaz, Presidente da República e Grão-Mestre das Ordens Honoríficas Portuguesas, faz saber que, nos termos do Decreto-Lei n.º 44 721, de 24 de Novembro de 1962, confere ao Soldado Maqueiro Manuel Marques Sardão, da Companhia de Comando e Serviços do Batalhão de Caçadores n.º 554, do Regimento de Infantaria n.º 15, a título póstumo, sob proposta do Presidente do Conselho, o grau de Cavaleiro, com palma, da Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.

Por firmeza do que se lavrou o presente Alvará, que vai ser devidamente assinado.

(Publicado no Diário do Governo n.° 145 - II série, de 25 de Junho de 1966).
 

------------------------------------------------
 

Promovido por distinção a Furriel, a titulo póstumo, conforme Ordem do Exército n.° 16 - 3.ª série, de 1966:

Promovido por distinção a Furriel (Serviço de Saúde), a titulo póstumo, por despacho de Sua Excelência o Ministro do Exército de 4/ 5/966, o Soldado Maqueiro n.º 1898/63, Manuel Marques Sardão, do Batalhão de Caçadores n.º 554 - Regimento de infantaria n.° 15. Conta a antiguidade do novo posto desde 22 de Outubro de 1965.

 

 

 

 

Batalhão de Caçadores N.º 554
 

Identificação:
BCac554
 

Unidade Mobilizadora:
Regimento de Infantaria 15 (RI15 – Tomar)
 

Comandante:
Tenente-Coronel de Infantaria Joaquim de Melo Duarte Silva
 

2.º Comandantes:
Major de Infantaria Vasco Artur Mariano Martins
 

Oficial de Informações e Operações:
Capitão de Infantaria Luís dos Santos Rafael
 

Comandantes de Companhia:
 

Companhia de Comando e Serviços (CCS):
Capitão do Serviço Geral do Exército Olegário Mendes Patrício
 

Companhia de Caçadores 551 (CCac551):
Capitão de Infantaria Artur da Fonseca de Mota Freitas
 

Companhia de Caçadores 552 (CCac552):
Capitão de Infantaria António José Santiago Maia
 

Companhia de Caçadores 553 (CCac553):
Capitão de Infantaria Manuel Ramalho Salvado Pires
 

Divisa:
"Non Nobis"
 

Partida:
Embarque no NTT «Vera Cruz», no dia 5 de Dezembro de 1963; desembarque em Cabinda, no dia 14 de Dezembro de 1963
 

Regresso:
Embarque no NTT «Niassa», no dia 25 de Março de 1966;
 

Síntese da Actividade Operacional
O Batalhão [BCac554] foi colocado no subsector de Cabinda, onde rendeu o Batalhão de Caçadores 321 (BCac321) em 16 de Dezembro de 1963.


O dispositivo então adoptado foi o seguinte:


Comando, Companhia de Comando e Serviços (CCS) e Companhia de Caçadores 553 (CCac553), em Cabinda, a
Companhia de Caçadores 551 (CCac551) em Prata, e pelotões em Zenze e Tando Zinze, a
Companhia de Caçadores 552 (CCac552) em Chapa, com um pelotão, em Malembo e, em reforço, a
2.ª Companhia do Batalhão de Caçadores 248 (2ª/BCac248), da Guarnição Normal, em Lândana e a
Companhia de Artilharia 491 (CArt491) em Dinge, esta com um pelotão em Massábi.
Em 6 de Outubro de 1964, a sede do Batalhão [BCac554] foi transferida para Belize, no Alto Maiombe, após ter sido colocado na cidade de Cabinda o Batalhão de Caçadores 248 (BCac248), da Guarnição Normal.


As suas subunidades mantiveram-se sempre na dependência do Batalhão [BCac554], tendo depois sido colocadas sucessivamente: a


Companhia de Caçadores 551 (CCac551) em Malembo em Junho de 1964, em Batassano em Novembro de 1964 e em Caio Guembo em Julho de 1965; a
Companhia de Caçadores 552 (CCac552) em Cabinda em Julho de 1964, em Caio Euembo em Outubro de 1964, em Pangamongo em Janeiro de 1965, em Sanga em Agosto de 1965 e em Tando Zinze em Outubro de 1965; a
Companhia de Caçadores 553 (CCac553) em Prata em Julho de 1964, em Pangamongo em Outubro de 1964, em Caio Guembo em Janeiro de 1965, em Malembo em Julho de 1965 e em Prata em Outubro de 1965.


O Batalhão [BCac554] foi reforçado, em várias fases, pela
Companhia de Caçadores 1431 (CCac1431),
Companhia de Cavalaria 679 (CCav679),
Pelotão de Caçadores 964 (PelCac964) e
Pelotão de Caçadores 965 (PelCac965) e ainda pelas
2.ª Companhia do Batalhão de Caçadores 248 (2ª/BCac248), da Guarnição Normal, e
3.ª Companhia do Batalhão de Caçadores 248 (3ª/BCac248), da Guarnição Normal.


Para além de notáveis obras de construção - pistas, pontes e abertura de picadas - as subunidades actuaram em muito difíceis regiões do Alto Maiombe, contra um inimido activo e agressivo, com fuga fácil para o Congo.


Da constante actividade operacional, sempre extremamente prejudicada pela densidade da floresta, ausência de picadas e rigor do clima, destacam-se as operações "Vassourada Mestra", "Caça Grossa", "Serra Dentes" e "Sempre em Festa".

 
Em 14 de Fevereiro de 1966, foi substituído no subsector de Belize pelo Batalhão de Caçadores 1874 (BCac1874).
 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo