.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Encontros

Monumentos aos Combatentes, Memoriais e Campas

 

Monumentos aos Combatentes e Campas

(Listagens e imagens de memoriais e campas de antigos combatentes)

 

Em memória daqueles que tombaram em defesa de Portugal na Guerra do Ultramar

 

Braga

 

Para visualização dos conteúdos clique em cada um dos sublinhados

 

Listagem dos mortos naturais do concelho de Braga

 

 

 

Trandeiras

 

45 anos depois, os seus restos mortais foram trasladados para Portugal

 

José da Silva Ferreira Duarte

 

Natural da freguesia de Trandeiras, concelho de Braga, mobilizado pelo Regimento de Artilharia Pesada 2, para servir no Comando Territorial Independente da Guiné, integrado  na Companhia de Artilharia 640, tombou em combate em 24Mar64. Ficou sepultado no cemitério de Bissau (Guiné), na campa 751.  

 

45 anos depois, os seus restos mortais foram trasladados para Portugal.

 

No dia 29 de Maio de 2009, realizar-se-ão as cerimónias fúnebres e ficará sepultado no cemitério de Trandeiras, concelho de Braga

As notícias:

Regressou 45 anos depois - Comentário de Abreu dos Santos (*)

José Duarte foi um dos bracarenses destacados para a Guerra do Ultramar.

O seu destino foi a Guiné-Bissau onde, em 1964, uma mina anti-carro lhe tirou a vida. Tinha pouco mais de 20 anos.
Um dos irmãos de José, António Duarte, recordou que também esteve em combate na Guiné-Bissau, mas “só fui dois anos depois do meu irmão ter falecido.”

António refere que “já na altura se falava em trazer para cá o corpo, mas era muito caro. Tínhamos de pagar 23 contos, o que era muito dinheiro na altura.”
Uma ideia que foi reafirmada pelo secretário da Associação Portuguesa dos Veteranos de Guerra (APVG), Fernando Silva: “Até 1969, a família tinha de pagar a transladação do corpo para Portugal. Custava cerca de 30 contos, o que na altura dava para construir um apartamento.”

O representante da APVG enalteceu o papel da Junta de Freguesida de Trandeiras no processo de transladação, pelo que foi entregue à autarquia e à família, a Medalha Comemorativa das Campanhas do Ultramar.

O interesse da Junta de Freguesia de Trandeiras em trazer para cá o corpo de José Duarte, começou em 1997, quando o autarca José Cunha se deslocou à Guiné-Bissau: “fui lá e vi que o túmulo estava limpinho e muito asseado. A placa que os pais mandaram estava junto ao túmulo”.
Em 1999, o único militar de Trandeiras falecido no Ultramar foi homenageado com a atribuição do seu nome a uma rua da freguesia.

O restos mortais chegaram ontem a Braga, tendo o funeral custado cerca de 2500 euros.
Presente no funeral esteve, também, o tenente coronel Lapa, em representação do Chefe de Estado Maior do Exército, que explicou as honras militares com o facto de “ter sido um militar que morreu no cumprimento do seu dever”.
Os militares presentes saudaram a urna, que estava coberta pela Bandeira Nacional, com três salvas de tiros.

Miguel Viana

Fonte: http://www.correiodominho.pt/noticias.php?id=8119

 No dia 29 de Maio de 2009

(*) - Comentário de Abreu dos Santos:

 

From: a s

Sent: Monday, June 01, 2009 11:08 AM

To: miguelviana@correiodominho.pt

Cc: ultramar@live.com.pt

Subject: Notícia: «Regressou 45 anos depois»

 

Ao "Correio do Minho",

 

No corpo da epigrafada notícia, estão reproduzidas duas sequenciais informações, as quais, além de entre si contraditórias, não correspondem à realidade factual: «Trazer para cá o corpo [...] era muito caro. Tínhamos [a família de um militar morto-em-campanha no Ultramar] de pagar 23 contos». E logo a seguir, um representante de uma associação de veteranos de guerra, "reafirma" que: «Até 1969, a família tinha de pagar a transladação [sic] do corpo para Portugal. Custava cerca de 30 contos».

 

Não é aqui lugar, nem momento, para reproduzir a específica legislação e procedimentos da época (1961-1974).
 

Adianta-se que, nem "a família tinha de pagar" trasladação alguma, nem o citado ano está correcto, nem o montante de caução era sequer aproximado a algum dos especificados valores.

 

No entanto, e a quem interessar possa, sugere-se consulte adequada bibliografia e/ou o Arquivo Histórico-Militar.
 

Cordialmente,
Abreu dos Santos

-------------------------------------

Tombou em combate há 45 anos na Guiné Bissau

 

Trandeiras acolheu regresso de filho morto na guerra

A freguesia de Trandeiras, em Braga, acolheu ontem em clima de emoção os restos mortais do primeiro cabo José da Silva Ferreira Duarte, um soldado do Exército Português que morreu em combate, na Guiné Bissau, vítima de uma mina anti-carro.

O regresso há muito que era esperado pela família que viu a Junta de Freguesia assumir a missão de trazer de volta o único soldado de Trandeiras morto na Guerra do Ultramar.

 

Fonte: http://www.diariodominho.pt/noticia.php?codigo=34993

-------------------------------------

Imagem cedida por um Veterano

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo