.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Memoriais

Monumentos aos Combatentes, Memoriais e Campas

 

 

Monumentos aos Combatentes e Campas

 

Em memória daqueles que tombaram em defesa de Portugal na Guerra do Ultramar

 

Lisboa

 

Clique no sublinhado para visualização do conteúdo

 

Listagem dos mortos naturais do concelho de Lisboa

 

 

 

Santo Estevão

 
 

Elementos extraídos do facebook do sítio do

veterano Isidro Moreira Esteves


Joaquim Afonso Domingues

 

 

Joaquim Afonso Domingues, Soldado Pára-Quedista n.º 274/RD, titular do brevet n.º 277, nascido no dia 7 de Março de 1936, na freguesia de Santo Estevão, concelho de Lisboa.

 

Mobilizado para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola, onde chegou entre os dias 15 e 16 de Março de 1961 e ficou integrado na 2.ª  Companhia de Caçadores Pára-Quedistas (2.ªCCP) do Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 21 «GENTE OUSADA MAIS QUE QUANTAS»

 

 

Faleceu, no dia 29 de Abril de 1961, na zona do Negage, na estrada Bungo - Mucaba, a 12 Km do Bungo, vítima de ferimentos em combate (nota).

 

Foi o primeiro Pára-Quedista Português a morrer em combate, na Guerra do Ultramar

 

Tinha 25 anos de idade.

 

Foi inumado no cemitério de Negage, em Angola, mais tarde, em Agosto de 1975, os seus restos mortais foram trasladados para o cemitério do Alto de São João, em Lisboa.

 

 

 

Paz à sua Alma

 

 

(nota)

 

«Um soldado pára-quedista, o Quim (a primeira vítima da Força Aérea Portuguesa em solo angolano), é mortalmente atingido e bem assim o condutor civil que era o guia da caravana. Ambos seguiam na viatura da frente. Cai também para sempre um sipaio e ficam feridos outros três soldados indígenas. Mas o tenente pára-quedista Mansilha, revelou excepcionais qualidades de desembaraço, coragem e iniciativa no comando da sua força, durante a cilada que lhe fora forjada, com grande perícia pelos rebeldes que iniciaram o ataque com armas automáticas, a que se seguiu uma acção corpo-a-corpo, em que foram totalmente aniquilados os assaltantes provocando pesadas baixas no inimigo. Assim reza o justo louvor que lhe foi concedido.»

 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo