Mealhada: Memoriais - Monumentos aos Combatentes - Por concelhos Automobilia Ibérica - Histórico Automóvel Clube de Entre Tejo e Sado (HACETS)

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Memoriais - Monumentos aos Combatentes

 

Monumentos aos Combatentes

Em memória daqueles que tombaram em defesa de

Portugal na Guerra do Ultramar

 

Mealhada

 

Para visualização dos conteúdos clique nos sublinhados

 

Listagem dos mortos naturais do concelho de Mealhada

 

 
Antes

 

Homenagem aos Combatentes da Guerra Colonial

Antes
3050 Antes, Mealhada

Fonte: http://www.igogo.pt/homenagem-aos-combatentes-da-guerra-colonial/

 
 
-------------------------------------------------------------
 
Luso
 
Inaugurado no dia 1 de Maio de 2009
(Se houver algum veterano que nos possa ceder a imagem deste importante monumento, ficamos agradecidos e será exposta neste sítio, com o nome do cedente. A equipa do UTW)
 
Inaugurado, no Lago, monumento de homenagem aos mortos do Ultramar
 
O terceiro convívio dos militares do concelho da Mealhada, que estiveram em comissão na Guiné na Guerra Colonial, realizou-se na sexta-feira, 1 de Maio. Organizado por ex-militares da freguesia de Luso, com a colaboração dos representantes das restantes freguesias, o encontro ficou marcado pela inauguração de um monumento de homenagem aos militares do Ultramar, no complexo do Lago desta vila. “Aos nossos que deram a vida em missão no Ultramar” é a mensagem escrita neste monumento, onde se podem ler também os nomes do Cabo António de Melo Laranjeira, da Lameira de Santa Eufémia, e do Tenente António Seabra Dias, do Luso.

“Estou satisfeito com o número de participantes neste convívio, que ronda as cem pessoas. No ano passado, o convívio foi em Barcouço, este ano é aqui no Luso e para o ano tencionamos realizá-lo na Pampilhosa”, declarou Homero Serra, presidente da Junta de Freguesia do Luso, ex-militar e um dos organizadores deste terceiro encontro.

Antes da inauguração do monumento, realizado pelo escultor Laureano Ribatua, o Coronel Fernando Mira, natural do Luso, solicitou um minuto de silêncio “em honra de todos aqueles que já faleceram”. “Vamos dar graças a Deus por aqueles que partiram nesta Guerra do Ultramar e que colocaram as suas vidas ao serviço da Nação. A história é pró-activa e faz-nos olhar para o futuro. É uma bênção inaugurarmos aqui este monumento!”, disse o padre Carlos Godinho.

No final da cerimónia, Antero João Santos e Francisco Simões, organizadores do convívio, falaram à repórter do Jornal da Mealhada: “Este ano o número de participantes excedeu as nossas expectativas, contudo, há muitos mais antigos militares do nosso concelho. Uns estão fora da Mealhada e outros estão mesmo no estrangeiro”, afirmou Antero Santos.

Acerca deste encontro, que juntou os militares dos três ramos das Forças Armadas – Força Aérea, Exército e Marinha -, Francisco Simões declarou: “Neste encontro falamos de alguns momentos periódicos em que estivemos juntos, não só de episódios passados na guerra, mas também de encontros que tínhamos aos fins-de-semana”.

E que importância tem este monumento para a freguesia do Luso? “Para nós para além de ser um estímulo é uma honra! O Luso é a sala de visitas do concelho da Mealhada, por isso, fizemos força para que esta homenagem fosse feita neste local!”, concluiu Antero Santos.

Mónica Sofia Lopes
 
in: http://www.jornaldamealhada.com/index.php?tipo=3&link=116&id_conteudo=1090

 

Voltar ao topo