.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Memoriais

Monumentos aos Combatentes, Memoriais e Campas

 

Monumentos aos Combatentes e Campas

Em memória daqueles que tombaram em defesa de

Portugal na Guerra do Ultramar

 

Póvoa do Varzim

 

Para visualização dos conteúdos clique em cada um dos sublinhados

 

Listagem dos mortos naturais do concelho do Póvoa do Varzim

 

 

 

 

Beiriz

 

 

Homenagem de Beiriz aos Combatentes do Ultramar


Inaugurado no dia 10 de Dezembro de 2020

 

Fonte:

A Voz da Póvoa

 

O dia de Santa Eulália de Beiriz, assim se chamava a freguesia, que se festeja a 10 de Dezembro, serviu para descerrar um monumento em honra dos antigos combatentes do Ultramar. A cerimónia contou, entre outros, com a presença de Luís Diamantino, Vice-presidente da Câmara e Vereador da Cultura, Ricardo Silva, Presidente da União de Freguesias da Póvoa de Varzim, Beiriz e Argivai, Tenente Coronel Coelho dos Santos, actual comandante da Escola dos Serviços, Sargente Chefe Veiga Veríssimo, adjunto do comandante, Delfim Afonso, pároco de Beiriz, e os membros da junta, Amadeu Matias de Beiriz e Augusto Moreira de Argivai. Estiveram também presentes cerca de duas dezenas de ex-combatentes.


O memorial em granito cinzento, com o brasão da freguesia, está localizado no largo da igreja, antigo quintal da escola onde Firmino Torres aprendeu a ler: “O local é muito simbólico para nós, porque havia aqui uma escola, este local era o quintal e ao lado ficava o recreio. É para mim uma satisfação muito grande inaugurar este monumento porque marca a nossa presença pelas terras do ultramar e é também para perpetuar a memoria dos combatentes e amigos. Eu e tantos outros tivemos a sorte de regressar sãos e salvos. Esta era uma aspiração antiga, ainda antes da União de Freguesias. Espero que, acabada esta pandemia, possamos reunir os antigos combatentes, numa missa na igreja, com uma romagem ao cemitério e ao monumento, terminando o dia num convívio entre todos”.


Para Ricardo Silva está a cumprir-se um desejo da população: “Um momento dramático que faz parte da história de Portugal e que teve um impacto muito grande, que foi a Guerra do Ultramar. Era muito importante fazer justiça aos filhos de Beiriz, uns ainda são vivos e outros nunca voltaram, criar um lugar de memória e imortalizar tudo o que aconteceu para que não haja uma negação do que existiu em relação à Guerra Colonial”. E acrescenta: “Desde que assumi a presidência da União de Freguesias, sempre escolhemos o dia de Beiriz e o dia de Argivai, como forma de se comemorar a freguesia, para que continue a existir aquele sentido de pertença, aquele orgulho de pertencer à freguesia de Beiriz ou de Argivai. Hoje é o dia de Santa Eulália, e o dia de Beiriz. Por isso, a 10 de Dezembro, fazemos sempre uma homenagem. Esta estava em falta há 46 anos e partiu de uma proposta de antigos combatentes, que achavam que devia haver este marco em Beiriz. Inclusivamente o objecto em si, o brasão de Beiriz, foi feito pelos irmãos Torres que são escultores desta terra”.


O Monumento tem gravado os nomes de Acácio Dias, José Bento Fernandes e José Costa Silva, os três combatentes naturais de Beiriz, que perderam a vida em Angola e Moçambique.

 

 

Clique na imagem para ampliação


 

 

Os nomes dos Militares gravados no Monumento:

 

 

 

Acácio Moreira Dias

 

Acácio Moreira Dias, Soldado Explorador Observador, n.º 1480/64, natural do lugar de Outeiro, da freguesia de Beiriz, concelho da Póvoa do Varzim, filho de António da Silva Dias e de Laurinda da Conceição Moreira, solteiro.

 

Mobilizado pelo Regimento de Infantaria 15 (RI15 - Tomar) para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola, integrado na Companhia de Comando e Serviços (CCS) do Batalhão de Caçadores 725 «LYNCES» - «FORTES E AUDAZES».

 

Faleceu, no dia 6 de Agosto de 1965, na estrada que liga Gombe a Zala, vítima de ferimentos em combate, devido a mina inimiga.

 

Corpo não recuperado.

 

 

José Bento da Silva Fernandes

 

José Bento da Silva Fernandes, 1.º Cabo Enfermeiro, n.º 0602466, natural da freguesia de Beiriz, concelho da Póvoa do Varzim, filho de Manuel Gomes Fernandes e de Albina Ramos da Silva, solteiro.

 

Mobilizado pelo Regimento de Artilharia Ligeira 5 (RAL5 - Penafiel) para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique, integrado na Companhia de Artilharia 2371 do Batalhão de Artilharia 2846.

 

Faleceu, no dia 2 de Fevereiro de 1969, na praia de Mocímboa da Praia, vítima de acidente por afogamento.

 

Está inumado no cemitério de Beiriz (Póvoa do Varzim)

 

  

 

José da Costa Silva

 

José da Costa Silva, Soldado Atirador de Infantaria, n.º 09497365, natural da freguesia de Beiriz, concelho da Póvoa do Varzim, filho de Gaspar Silva e de Alezxandrina Rosa da Costa, solteiro.

 

Mobilizado pelo Regimento de Infantaria 15 (RI15 - Tomar) para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique, integrado na Companhia de Comando e Serviços (CCS) do Batalhão de Caçadores 1890 «OS FRONTEIROS DO ROVUMA».

 

Faleceu, no dia 9 de Março de 1967, em Mocímboa da Praia, vítima do rebentamento de granada.

 

Está inumado na sepultura n.º 3, fileira n.º 1, do talhão n.º 4, do cemitério de Mueda, em Moçambique

 

 

Paz às suas Almas

 

 

 

 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo