.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Nelson Xavier, Furriel Mil.º de Infantaria, da CCac1785/BCac1931: Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo V, pág. 432, da RHMCA / CECA / EME

7.º Volume, Tomo III, Livro 1, págs. 237 e 238, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 116, de Ago1969

 

 

Nelson Xavier

 

Furriel Mil.º de Infantaria

 

Companhia de Caçadores 1785

 

Batalhão de Caçadores 1931

 

«RUMO À PAZ JUNTOS NA GUERRA»

 

Angola: 10Dez1967 a 13Jan1970

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

Prémio 'Governador'

 

Nelson Xavier, Furriel Mil.º de Infantaria

 

Mobilizado pelo Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes) para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola integrado na Companhia de Caçadores 1785 do Batalhão de Caçadores 1931 (nota) «RUMO À PAZ JUNTOS NA GUERRA», no período de 10 de Dezembro de 1967 a 13 de Janeiro de 1970.

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

 

Furriel Miliciano de Infantaria
NELSON XAVIER
 

CCac1785/BCac 1931 - RI 2
ANGOLA
 

4.ª CLASSE
 

Transcrição do Despacho publicado na OE n.º 15 — 3.ª série, de 1969.
 

Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, nos termos do artigo 12.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 01 de Abril de 1969, o Furriel Miliciano de Infantaria, Nelson Xavier, da Companhia de Caçadores n.º 1785/Batalhão de Caçadores n.º 1931 — Regimento de Infantaria n.º 2.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.
(Publicado na OS n.º 13, de 12 de Fevereiro de 1969, do QG/RMA):


Louvado o Furriel Mil.ª de Infantaria, Nelson Xavier, da CCac1785 (Companhia de Caçadores 1785), porque durante a reacção à emboscada feita pelo In (inimigo) a uma coluna auto daquela Companhia, como Comandante de Secção, conseguiu, sob intenso fogo In (inimigo) e dentro da zona de morte, reuni-la e coordená-la.


Vendo que a metralhadora pesada Breda tinha ficado inoperante porque o pessoal da guarnição da mesma havia sido ferido, tentou ocupar o lugar do apontador, no que foi impedido pelo fogo In (inimigo) que o feriu em ambas as mãos.


Depois de ter conseguido a evacuação da zona de morte dos feridos da sua Secção, manobrou até ser obrigado a retirar por falta de munições. Durante a retirada foi novamente atacado e só a sua decisão, calma e coragem, conseguiu evitar que os seus subordinados ficassem caídos no campo de luta.


Toda a sua consciente, valiosa e lúcida acção, merece ser apontada como exemplo, por revelar perfeita noção das responsabilidades inerentes ao seu cargo de chefia.


---------------------------------------------------------------

Jornal do Exército, ed. 116, de Ago1969

 

---------------------------------------------------------------

 

(nota):
 

Batalhão de Caçadores N.º 1931
 

Identificação:

BCac1931
 

Unidade Mobilizadora:

Regimento de Infantaria 2 (RI2 - Abrantes)
 

Comandante:

Tenente-Coronel de Infantaria José Manuel Celestino Soares da Costa Ferreira
 

2.º Comandante:

Major de Infantaria Fernando da Fonseca
 

Oficial de Informações e Operações / Adjunto:

Major de Infantaria Raul Frederico Pello Rato
 

Comandantes de Companhia:
 

Companhia de Comando e Serviços (CCS):

Capitão do Serviço Geral do Exército Adelino Martins Luzia
 

Companhia de Caçadores 1784 (CCac1784):

Capitão Mil.º de Infantaria Victor Manuel dos Santos Bernardo de Almeida
 

Companhia de Caçadores 1785 (CCac1785):

Capitão de Infantaria Manuel Alberto Botelho dos Santos Clara
 

Companhia de Caçadores 1786 (CCac1786):

Capitão de Infantaria José Vicente da Silva Júnior
 

Divisa:

«RUMO Á PAZ JUNTOS NA GUERRA»
 

Partida:

Embarque, no NTT «Niassa», no dia 29 de Novembro de 1967; desembarque no dia 10 de Dezembro de 1967
 

Regresso:

Embarque, no NTT «Uíge», no dia 13 de Janeiro de 1970
 

Síntese da Actividade Operacional:

O BCaç (Batalhão de Caçadores 1931) foi destinado ao subsector de Bessa Monteiro, no Sector A, da ZIN (Zona de Intervenção Norte), rendendo o BCaç 1902 (Batalhão de Caçadores 1902).

 
O dispositivo adoptado foi o seguinte: Comando, CCS (Companhia de Comando e Serviços) e CCaç 1786 (Companhia de Caçadores 1786) em Bessa Monteiro, a CCaç 1784 (Companhia de Caçadores 1784) em Baca, a CCaç 1785 (Companhia de Caçadores 1785) na Quibala. Teve como reforços o PelMort 1061 (Pelotão de Morteiros 1061), depois o 2000 (Pelotão de Morteiros 2000) em Bessa Monteiro, a CCaç 106/RI 20 (Companhia de Caçadores 106 do Regimento de Infantaria 20 - Guarnição Normal) em Quimaria e a CArt 1467 (Companhia de Artilharia 1467), de reforço, temporariamente, em Ambrizete. O BCaç (Batalhão de Caçadores 1931) assumiu a responsabilidade da ZA (Zona de Acção) em 26 de Dezembro de 1967.


Na ZA (Zona de Acção) o In (inimigo) dispunha de alguns refúgios, de dificílimo acesso, mesmo por helicóptero. Grupos organizados de vários "quartéis", numerosos e muito bem armados, desencadeavam ataques, nas vias de comunicação, às colunas das NT (Nossas Tropas), causando, e sofrendo também, pesadas baixas, como em 13 de Maio de 1968. Além da responsabilidade de busca e destruição de instalações, o BCaç (Batalhão de Caçadores 1931) hipotecou durante todo o período de actividade consideráveis efectivos às escoltas e protecção de trabalhos da JAEA (Junta Autónoma das Estradas de Angola).


Em 27 de Agosto de 1969, foi rendido no subsector de Bessa Monteiro pelo BArt 2883 (Batalhão de Artilharia 2883), tendo rodado para o subsector da Damba, no sector de Uíge, na ZMN (Zona Militar Norte); aqui rendeu o BCaç 1921 (Batalhão de Caçadores 1921), assumindo a responsabilidade deste subsector em 2 de Setembro de 1969. O dispositivo foi: o Comando e CCS (Companhia de Comando e Serviços) na Damba, a CCaç 1784 (Companhia de Caçadores 1784) em Mucaba, a CCaç 1785 (Companhia de Caçadores 1785) em Lêmboa e a CCaç 1786 (Companhia de Caçadores 1786) em Chimacongo com 1 pelotão em Pete Cusso. Um pelotão por Companhia reforçou, inicialmente, o BCaç 2873 (Batalhão de Caçadores 2873).


Nesta ZA (Zona de Acção), o BCaç (Batalhão de Caçadores 1921) orientou a sua actividade operacional no sentido de desarticular a organização In (inimiga), na zona sudoeste do subsector e ainda de proteger a considerável população recuperada.


Em 22 de Dezembro de 1969, o BCaç (Batalhão de Caçadores 1921) foi rendido na ZA (Zona de Acção) pelo BCaç 2891 (Batalhão de Caçadores 1921).

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo