.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Angola

Batalhão de Cavalaria 745

 

Batalhão de Cavalaria 745

 

 

«NÓS QUEREMOS»

 

«NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE»

 

Os «ZÉ BRAVO»

 

Angola

 

18Jan1965 a 28Fev1967

 

                                     

 

 

Síntese de Actividade Operacional

 

Fonte: 7.º Volume, Tomo I, da CECA/EME

 

O Batalhão de Cavalaria foi destinado ao subsector de Zala, no Sector D, na Zona de Intervenção do Norte (ZIN), onde rendeu o Batalhão de Artilharia 635, assumindo a responsabilidade da Zona de Acção (ZA) em 05 de Fevereiro de 1965.

 

O dispositivo foi o seguinte: Comando, Companhia de Comando e Serviços (CCS) e Companhia de Cavalaria 744 (CCav 744) em Zala, a Companhia de Cavalaria 743 (CCav 743) em Bela Vista e a Companhia de Cavalaria 742 (CCav 742) em Vila Pimpa; teve como reforço, o Pelotão de Caçadores  958 (PelCac958), o Pelotão de Morteiros 977 (PelMort 977) e o 4.º Pelotão da 4.ª Bateria do Grupo de Artilharia de Campanha de Luanda (4.º Pe1/4.ª Btr/GACL) - Guarnição Normal (GN).

 

Numa Zona de Acção (ZA) de guerrilha pura, o Inimigo (In) atacava violentamente as colunas auto e opunha-se com vigor as penetrações das Nossas Tropas (NT), que sofreram baixas e as causaram, porém sem lograr êxitos imediatamente significativos, não obstante a intensa actividade traduzida em mais de três dezenas de operações de Batalhão e Companhia.

 

Em 14 de Agosto de 1965, foi rendido no subsector pelo Batalhão de Cavalaria 1851 e seguiu para Luanda, onde, juntamente com o Batalhão de Caçadores 670 e Batalhão de Artilharia 701, constituiu reserva de intervenção da Região Militar de Angola (RMA), a partir de 16 de Agosto de 1965.

 

Nesta situação, o Batalhão de Cavalaria interveio em múltiplas operações nos Sectores D, A, I, F e B1, em esgotante actividade, que veio a causar a indisponibilidade física de 40% do efectivo. Citam-se os notáveis resultados obtidos nas operações "Detecção", "Atoleiros D", "Assalto Coordenados D2" e "Salado D", entre outras.

 

Em 09 de Janeiro de 1966, o Batalhão de Cavalaria ficou também ao dispor do Comando de Defesa de Luanda (COMDEL) e, a partir de Maio de 1966, passou a dispor operacionalmente e a controlar a instrução e disciplina das companhias de reserva da RMA:

 

Companhia de Caçadores 671 (CCac671)

Companhia de Caçadores 716 (CCac716)

Companhia de Caçadores 758 (CCac758)

Companhia de Caçadores 793 (CCac793)

Companhia de Caçadores 1425 (CCac1425)

Companhia de Caçadores 1437 (CCac1437)

Companhia de Caçadores 1476 (CCac1476)

Companhia de Artilharia 792 (CArt792).

 

Em 16 de Maio de 1966, as subunidades do Batalhão de Cavalaria foram empenhadas na operação "Quissonde", de grande duração, e durante a qual foram especialmente visados os meios de manutenção e locais de implantação do Inimigo (In).

 

Registam-se os êxitos que constituíram as operações "Festa Brava" e "Determinados", que causaram ao Inimigo (In) baixas sensíveis e destruição de instalações, bem como capturas de armamento, resultados conseguidos com extrema dificuldade, face à grande combatividade do Inimigo (In) na zona, e à sua notável capacidade de reacção pelo fogo e manobra, o que exigiu, com frequência, o máximo empenhamento das Nossas Tropas (NT) e seus meios de apoio de fogo terrestre e aéreo.

 

Em 20 de Fevereiro de 1967, o Batalhão de Cavalaria foi rendido, no Comando de Defesa de Luanda (COMDEL) e na intervenção, pelo Batalhão de Caçadores 1866 (BCac1866), aguardando embarque a partir de 21 de Fevereiro de 1967.

 

Observações:

Tem História da Unidade (Caixa n.º 194 - 2.ª Div/2.ª Sec, do AHM)

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo