.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Mário Ramos da Silva, Soldado de Armas Pesadas - Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo V, da CECA/EME

8.º Volume, Tomo I, Livro 2, da CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 125, de Mai1970

 

 

Mário Ramos da Silva

 

Soldado de Armas Pesadas

 

Companhia de Caçadores 1717

 

Batalhão de Caçadores 1919 «SERVIR»

 

Angola:

 

20Jul1967 a 14Ago1969

 

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

(Título póstumo)

 

Mário Ramos da Silva, Soldado de Armas Pesadas, n.º 02978367, natural do lugar da Lage, da freguesia de Modivas, concelho de Vila do Conde, filho de José Ferreira Silva e de Ana da Costa Ramos.


Incorporado no Regimento de Infantaria 10 (RI10 - Aveiro), em 10 de Janeiro de 1967.


Tirou a especialidade no Regimento de Infantaria 15 (RI15 - Tomar).


Mobilizado pelo Regimento de Infantaria 1 (RI1 - Amadora) para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola integrado na Companhia de Caçadores 1717 (nota) do Batalhão de Caçadores 1919 «SERVIR».


Faleceu, no dia 14 de Março de 1968, no helicóptero que o transportava para o Hospital Militar de Luanda (Angola), vítima de ferimentos em combate, que ocorreu durante o assalto ao quartel inimigo de Quibunda, entre Zala e Bela Vista.


Está sepultado no cemitério da freguesia da sua naturalidade.

 

Paz à sua Alma

 

(nota): Comandantes da Companhia de Caçadores 1717 (CCac1717):

Capitão de Infantaria Pedro Augusto Soeiro Zilhão
Capitão Mil.º de Artilharia Silvino Tomé Paiva Lopes

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

(Título póstumo)

 

 

Soldado de Infantaria, n.º 02978367 - M
MÁRIO RAMOS DA SILVA
 

CCac 1717/BCac 1919 - RI 1
ANGOLA
 

4.ª CLASSE (Título póstumo)
 

Transcrição do Despacho publicado na OE n.º 27 - 3.ª série, de 1968.
 

Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, nos termos do artigo 12.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante Chefe das Forças Armadas de Angola, de 13 de Agosto de 1968:
 

O Soldado n.º 02978367-M, Mário Ramos da Silva, da Companhia de Caçadores n.º 1717/Batalhão de Caçadores n.º 1919 - Regimento de Infantaria n.º 1, a título póstumo.
 

Transcrição do louvor que originou a condecoração.
(Publicado na OS n.º 50, de 21 de Junho de 1968, do QG/RMA):
 

Louvado, a título póstumo, o Soldado n.º 02978367-M, Mário Ramos da Silva, da CCac 1717/BCac 1919, apontador de metralhadora MG-42, por, durante a operação "Lua Cheia" ter demonstrado coragem, decisão e sangue frio debaixo do fogo inimigo, marchando na testa da sua Secção.


Valente e animoso, pedia sempre que o deixassem ir na frente, muito embora soubesse que o inimigo espreitava ao longo da picada.


Surpreendido em várias emboscadas a que a Unidade foi sujeita sobre um estreito trilho na mata cerrada, permaneceu fazendo fogo de pé, até ser abatido sobre a arma que manobrava.


O Soldado Silva, que já anteriormente dera provas de arrojo e excepcional desembaraço, deu exemplo, com a própria vida, da mais alta abnegação e valentia, virtudes que o honraram como Soldado de Portugal.

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo