.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Carlos Alberto da Silva Figueiredo, Soldado de Cavalaria n.º 02036266, da CCav1602/RC3

 

HONRA E GLÓRIA

 

Carlos Alberto da Silva Figueiredo

 

Soldado de Cavalaria n.º 02036266

 

Companhia de Cavalaria 1602

 

Moçambique:

23Set1966 a 16Ago1968

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

Carlos Alberto da Silva Figueiredo, Soldado de Cavalaria n.º 02036266, natural do Montijo.

 

Mobilizado pelo Regimento de Cavalaria 3 (RC3 - Estremoz) para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique integrado na Companhia de Cavalaria 1602 «NEM NA MORTE PARAMOS!», no período de 23 de Setembro de 1966 a 16 de Agosto de 1968.

 

Cruz de Guerra, de 4.ª classe

 

 

Soldado de Cavalaria, n.º 02036266
CARLOS ALBERTO DA SILVA FIGUEIREDO
 

CCav 1602 — RC 3
MOÇAMBIQUE
 

4.ª CLASSE
 

Transcrição do Despacho publicado na OE n.º 23 — 3.ª série de 1968.
 

Agraciado com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, nos termos do artigo 12.º, do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Moçambique, de 08 de Julho de 1968:
 

O Soldado n.º 02036266, Carlos Alberto da Silva Figueiredo, da Companhia de Cavalaria n.º 1602 - Regimento de Cavalaria n.º 3.
 

Transcrição do louvor que originou a condecoração.
(Publicado na OS n.º 45, de 05 de Junho de 1968, do QG/RMM):
 

Louvo o Soldado n.º 02036266, Carlos Alberto da Silva Figueiredo, da Companhia de Cavalaria n.º 1602, pela sua actuação relevante quando da emboscada que sofreu uma coluna auto daquele Unidade que ia render o pessoal do Posto de Vigilância N.º 11 (Nantoba), na Zona de Intervenção Norte, de Moçambique, em 26Dez67.


Tendo sido atingida por granadas de bazooka a Berliet em que seguia, o que provocou mortos e ferimentos graves em todos os seus ocupantes, o Soldado Figueiredo, com ambas as pernas atingidas por estilhaços, saltou da viatura, e, debaixo de fogo inimigo, procurou ajudar os feridos, recolhendo o armamento espalhado pelo chão, ao mesmo tempo que fazia fogo sobre as posições inimigas, evitando um possível assalto.


Pela sua coragem, sangue frio, decisão, serena energia debaixo de fogo e elevado espírito de camaradagem, honra o Soldado Figueiredo a sua Arma e o Exército português.

 

 

Jornal do Exército, ed. 159, de Março de 1978:

 

CONDECORADO com a medalha de Cruz de Guerra de 4.ª classe, o soldado Carlos Alberto da Silva Figueiredo, natural do Montijo, pela sua actuação relevante quando da emboscada que sofreu uma coluna auto que ia render o pessoal de um Posto de Vigilância no Norte de Moçambique.


Tendo sido atingida por granadas de bazooka, a Berliet em que seguia, o que provocou mortes e ferimentos graves em todos os seus ocupantes, o soldado Figueiredo, com ambas as pernas atingidas por estilhaços, saltou da viatura, e, debaixo de fogo inimigo, procurou ajudar os feridos, recolhendo o armamento espalhado pelo chão, ao mesmo tempo que fazia fogo sobre as posições inimigas, evitando um possível assalto.


Pela sua coragem, sangue-frio, decisão, serena energia debaixo de fogo e elevado espírito de camaradagem, honra o soldado Figueiredo a sua Arma e o Exército Português.

 


 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo