.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Falecimento

Sigfredo Ventura da Costa Campos, Coronel de Artilharia Pára-Quedista

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

e

nota de óbito

Elementos cedidos por um

colaborador do portal UTW

 

Faleceu, no dia 11 de Maio de 2008, no Hospital Militar Principal (HMP - Lisboa), o veterano

 

Sigfredo Ventura da Costa Campos


Coronel de Artilharia Pára-Quedista na situação de reforma


Angola: 1961 a 1963

 

Oficial de Operações do

 

Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 21
«GENTE OUSADA MAIS QUE QUANTAS»


Guiné: 1966 a 1968
 

Comandante do

Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 12
«UNIDADE E LUTA»
 

 

Moçambique: 1970 a 1973

 

Comandante do

Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 31
«HONRA-SE A PÁTRIA DE TAL GENTE»


Comandante do

Centro de Instrução de Grupos Especiais (CIGE – Dondo)
«VENCEREMOS»


Comandante do

Batalhão de Grupos Especiais de Pára-Quedistas
«VENCEREMOS»
 

 

Medalha de Ouro de Valor Militar com palma

 

Medalha de Prata de Serviços Distintos com palma

 

 

Sigfredo Ventura da Costa Campos, Coronel de Artilharia Pára-Quedista, nasceu no dia 5 de Janeiro de 1930.


Em 15 de Dezembro de 1955, Alferes de Artilharia do Regimento de Artilharia Ligeira 4 (RAL4 – Leiria) «FORTES E LEAIS», viaja para o Brasil a fim de frequentar um curso básico de pára-quedismo militar;


Em 2 de Janeiro de 1956 inicia o curso de pára-quedismo do núcleo divisionário aeroterrestre do 1º exército brasileiro;


Em 25 de Outubro de 1956 conclui o curso de pára-quedismo, incluindo as especialidades de mestre de salto, de precursor aeroterrestre e de dobragem e manutenção de pára-quedas;


Em 29 de Outubro de 1956 regressa a Portugal e fica integrado no quadro orgânico de oficiais pára-quedistas do Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas (BCP – Tancos) «QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM»;

 

Em 27 de Novembro de 1956 promovido a tenente;


Na noite de 16 de Março de 1961, capitão pára-quedista, tendo sido mobilizado pelo Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas (BCP-Tancos) «QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM», para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola, segue aerotransportado para Luanda a fim de assumir o cargo de oficial de operações do futuro Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 21 (BCP21) «GENTE OUSADA MAIS QUE QUANTAS»;


Em 1962 agraciado com a Medalha de Prata de Serviços Distintos com palma;


Em 1 de Dezembro de 1963 promovido a major, regressa à Metrópole e ao Regimento de Caçadores Pára-Quedistas (RCP – Tancos) «QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM»;


No ano lectivo de 1964/65 frequenta no Instituto de Altos Estudos Militares (IAEM – Pedrouços) «NÃO HOUVE FORTE CAPITÃO, QUE NÃO FOSSE TAMBÉM DOUTO E CIENTE» o curso de promoção a oficial superior;


Em 1 de Dezembro de 1965 promovido a tenente-coronel;


Em Abr1966 segue para Bissau a fim de organizar, na Província Ultramarina da Guiné, o novo Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 12 (BCP12) «UNIDADE E LUTA»;


Em 14 de Dezembro de 1966 assume o comando do Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 12 (BCP12-Guiné) «UNIDADE E LUTA»;


Em 1967 agraciado com a Medalha de Ouro de Valor Militar com palma;


Em 3 de Junho de 1968 regressa à Metrópole e ao Regimento de Caçadores Pára-Quedistas (RCP – Tancos) «QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM»;


Em 10 de Junho de 1968, perante tropas em parada no Terreiro do Paço, condecorado com a Medalha de Ouro de Valor Militar com palma;


Em 27 de Outubro de 1970 promovido a coronel e nomeado para servir Portugal na Província Ultramarina de Moçambique, a fim de assumir o comando do Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 31 (BCP31 – Beira) «HONRA-SE A PÁTRIA DE TAL GENTE»;


No início de Maio de 1971 nomeado pelo Comando-Chefe das Forças Armadas de Moçambique (CCFAM) para comandar o novo Centro de Instrução de Grupos Especiais (CIGE – Dondo) e o previsto Batalhão de Grupos Especiais de Pára-Quedistas (B-GEP) «VENCEREMOS»;


Em Junho de 1973 cessa funções no Centro de Instrução de Grupos Especiais (CIGE – Dondo) «VENCEREMOS» e no Batalhão de Grupos Especiais de Pára-Quedistas (BGEP) «VENCEREMOS»;


Em 7 de Julho de 1973 regressa à Metrópole e ao Regimento de Caçadores Pára-Quedistas (RCP – Tancos) «QUE NUNCA POR VENCIDOS SE CONHEÇAM»;


Em Outubro de 1973 passa à situação de reserva.


Faleceu no dia 11 de Maio de 2008, em Lisboa, como Coronel de Artilharia Pára-Quedista na situação de reforma.


A sua Alma repousa em Paz

----------------------------------------------------------------

 

Com a devida vénia, as três fotos que se seguem foram extraídas do blogue:

https://niassa1558.blogspot.com/

 

 

 

 

 

 

----------------------------------------------------------------

 

30 de Junho de 2002

 

O Coronel de Artilharia Pára-Quedista Sigfredo Ventura da Costa Campos, junto ao Monumento aos Combatentes no Cartaxo, numa homenagem do Batalhão de Caçadores Pára-Quedistas 12 (BCP 12 - Guiné):

 

 

 

 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo