.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Abna Na Onça, Capitão de 2.ª Linha

 

HONRA E GLÓRIA

Fontes:

5.º Volume, Tomo IV, págs 364 e 365, da RHMCA / CECA / EME

8.º Volume, Tomo II, pág. 415, da RHMCA / CECA / EME

Jornal do Exército, ed. 93, de Setembro de 1967

Elementos cedidos por um colaborador do portal UTW

 

 

Abna Na Onça

 

Capitão de 2.ª Linha

 

Comandante de uma

Companhia de Polícia Administrativa

 

Regedor do

Posto de Enxalé, Guiné

 

Cruz de Guerra de 1.ª classe

 

Medalha de Promoção por Distinção

 

Prémio Governador da Guiné

 

 

Abna Na Onça, Capitão de 2.ª Linha, nascido em Porto Gole, na Guiné, filho de Bissrana Emasonça, casado com Insinlé Na Ban e Binhere Na Cunha.

 

Serviu Portugal na Província Ultramarina da Guiné, como comandante de uma Companhia de Polícia Administrativa e Regedor do posto de Enxalé.

 

Promoção, por distinção, a Tenente de 2.ª linha

 

Faleceu, no dia 14 de Abril de 1967, vítima de ferimentos em combate, devido a ataque inimigo ao destacamento de Bissá.

 

Está inumado na campa n.º 4, fileira n.º 4, do cemitério de Bissau (Guiné).

 

Paz à sua Alma

 

Louvado e condecorado com a Medalha da Cruz de Guerra de 1.ª classe, a título póstumo, pela Portaria de 23 Maio de 1967, publicado na Ordem do Exército n.º 14 - 2.ª série, de 1967.

 

Agraciado com o Prémio Governador da Guiné, publicado no Jornal do Exército, ed. 93, pág. 26 e 27, de Setembro de 1967.

 

 

 

Cruz de Guerra de 1.ª classe

 

 

Capitão de 2.ª Linha
ABNA NA ONÇA
 

Polícia Administrativa - CTIG

GUINÉ


1.ª CLASSE (Título póstumo)


Transcrição da Portaria publicada na Ordem do Exército n.º 14 - 2.ª série, de 1967.


Por Portaria de 23 de Maio de 1967:


Condecorado com a Cruz de Guerra de 1.ª classe, a título póstumo, ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província da Guiné Portuguesa, o Capitão de 2.ª Linha, Abna Na Onça, do Comando Territorial Independente da Guiné.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Por Portaria da mesma data, publicada naquela Ordem do Exército):


Louvado o Capitão de 2.ª linha, Abna Na Onça, pela bravura, decisão, serena energia e sangue-frio debaixo de fogo e pelas extraordinárias qualidades demonstradas, não só no comando de uma Companhia de Polícia Administrativa, mas também no desempenho fiel das suas funções de regedor.


Tomou parte em grande número de acções militares realizadas na área da sua regedoria, como guia e conselheiro dos chefes militares, e comandou também inúmeras acções isoladas da sua Companhia.


Era grandemente temido pelo inimigo, que procurou sempre aniquilá-lo.


Dos seus feitos militares, destacam-se os seguintes:


Foi gravemente ferido na abertura do itinerário Porto Gole-Enxalé, em Flora.


Tomou parte numa acção policial, por ele planeada e comandada, na região de Dembel, da qual resultou a destruição de um acampamento e em que foram causadas pesadas baixas ao inimigo. No regresso, ao sofrer forte emboscada, agrupou sabiamente os seus homens, debaixo de fogo, mantendo-se sempre de pé, do que resultou ser ferido.


Desta acção resultou a sua promoção, por distinção, a Tenente de 2.ª linha.


Em 30 de Setembro de 1964, quando seguia integrado numa patrulha militar, as balas inimigas concentraram-se na sua figura, de pé, do que resultou ser novamente ferido. No grupo emboscado inimigo pereceu o chefe que dera ordem para o aniquilar.


Regressando do hospital e apesar de ainda sentir dores no pé atingido, assumiu imediatamente o comando da Companhia de Polícia Administrativa, em Porto Gole, continuando a desenvolver actividade incansável, de tal modo que, em 08 de Abril de 1965, com uma patrulha de reconhecimento, capturou pessoal e armamento ao inimigo na área de Sée.


Pelo conjunto destas e de outras acções, foi proposto para a promoção, por distinção, a Capitão de 2.ª linha.


Da sua actividade como regedor, destaca-se o grande prestígio e consideração que lhe eram tributados pela população Balanta da regedoria de Enxalé e pelos militares de todas as patentes que com ele contactavam.


Aconselhava judiciosamente os chefes de tabanca e de morança, respeitava a opinião dos homens grandes e experientes, reprimia com mão de ferro as rebeldias dos mais novos e transmitia fielmente as directivas das autoridades civis e militares.


Junto das mais altas individualidades, expunha francamente a sua opinião e apresentava críticas construtivas e leais.


Na área da sua regedoria é-lhe bem conhecida a frase: "Os régulos Balantas morrem de pé"; e em 14 de Abril de 1967, Abna Na Onça é mortalmente ferido na defesa da tabanca de Bissá, da sua regedoria, em resultado de um ataque inimigo, em que todos os tiros se concentraram no local onde se encontrava.


Ferido por três vezes em combate, merecedor de duas promoções por distinção e de um Prémio Governador da Guiné, morto ao serviço da Pátria, à qual jurou fidelidade, o Capitão de 2.ª Linha e regedor Abna Na Onça merece ser considerado um herói da mais fina têmpera.

 

----------------------------------------------------------------
 

Prémio Governador da Guiné

 

Abna Na Onça, Capitão de 2.ª linha

 

Comandante de uma Companhia de Polícia Administrativa e Regedor do posto de Enxalé, na Guiné

 

Companhia de Artilharia 1661

 

"O Capitão de 2.ª linha Abna na Onça, promovido por distinção, como já o tinha sido a Tenente, pelos seus feitos em combate, constituiu um exemplo de bravura e de fidelidade à Pátria, morrendo a lutar, no passado dia 14 de Abril [1967], em defesa da tabanca de Biná.

 

Comandava uma Companhia de Polícia Administrativa e era regedor do posto de Enxalé. Foi ferido três vezes em combate e em circunstâncias que se revestiram sempre de grande mérito: na abertura do itinerário Porto Gole - Enxalé; na destruição de um acampamento na região de Dembel, capturando diverso material e infligindo pesadas baixas ao inimigo; e na reacção a uma emboscada, em 30 de Setembro de 1964, de que resultou ter sido abatido o chefe do bando inimigo.

 

É ainda de salientar a acção em 8 de Abril de 1965, na região de Sée, através da qual logrou capturar pessoal e armamento inimigo.

 

Prémio «Governador da Guiné, visitou a Metrópole em Julho do ano transacto."

 

 

 

 

 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo