.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Livros / Textos

Faleceu, no dia 06Mar2017, o General Adelino Rodrigues Coelho

 

Elementos cedidos por um colaborador do portal UTW

Nota de óbito:

 

Faleceu, no dia 6 de Março de 2017, o veterano

 

 

Adelino Rodrigues Coelho

General do Exército (na situação de reforma)

 

Para visualização dos conteúdos clique em cada um dos sublinhados que se seguem:

 

 

Resumo biográfico

 

Nascido a 23Jun1933 em Travassós de Baixo (Viseu).

- em Nov1952 ingressa na Escola do Exército;


- em Jul1955 conclui o Curso de Infantaria;


- em 04Jun1961 tenente na EPI-Mafra, mobilizado para servir na RMA;


- em 15Jun1961 embarca em Lisboa no NTT 'Moçambique' rumo a Luanda, integrado no BCac141/RI7-Leiria;


- em 30Jun1961 promovido a capitão, posteriormente comandante da CCS/BCac141, instalada no Negaje, Mavoio (20Ago61) e Damba (01Out61);


- em 26Jun1962 agraciado com a Medalha Naval, de Prata, Comemorativa do 5º centenário da morte do Infante Dom Henrique;


- em 30Set1963 regressa à Metrópole e fica colocado na EPI;


- em 28Jul1964 agraciado com a Medalha de Mérito Militar de 3ª classe;


- em 14Out1964 transferido para o EME;


- em 31Jul1965 conclui no IAEM-Pedrouços o curso geral de estado-maior e transita para o curso complementar, que conclui em 1967 com a classificação de distinto;


- em 01Ago1968 considerado oficial do QP com o curso complementar de estado-maior;


- em 10Nov1968 major CEM nomeado para servir na 4ªRep/QG-RMM;


- em 19Dez1970 regressa à Metrópole e fica colocado no IAEM, como professor interino do 2º grupo de matérias do curso de estado-maior;


- em 13Jul1971 cessa a interinidade de funções exercidas no IAEM;

- em 04Ago1971 agraciado com a Medalha de Prata de Serviços Distintos...


... «pela forma muito distinta como desempenhou, durante dois anos, as funções de adjunto da 4ª Repartição do Quartel-General da Região Militar de Moçambique.
Oficial de elevada craveira técnica e profissional, votou ao serviço grande dedicação, tendo realizado estudos e conduzido trabalhos da maior relevância para a actividade logística daquela Região Militar. O seu espírito metódico, a sua sensatez e a sua esclarecida inteligência, fizeram eivar toda a sua acção de um cunho de eficácia, sendo de assinalar o equilíbrio e ponderação que sempre caracterizaram as análises dos problemas por si tratados e as informações e propostas que apresentou.
De enbre os estudos que realizou merecem especial realce os conducentes à criação do serviço de transportes e aos acordos que a Região Militar de Moçambique
celebrou com os serviços de saúde e assistência da província e com duas importantes empresas de transportes aéreos, uns e outros para prestação de serviços que se estão revelando da maior utilidade, para o apoio logístico das tropas. Além disso promoveu, no âmbito interno da Repartição onde serviu, diversos trabalhos que contribuíram decisivamente para uma melhor regularização da respectiva actividade.
Deslocou-se às unidades estacionadas nas zonas de subversão activa e, no período das grandes operações de Junho e Julho [Nó Górdio], no Norte da província, foi com frequência destacado para esclarecer os inúmeros problemas logísticos que surgiram nas unidades e órgãos de apoio.
Como delegado do Quartel-General daquela Região Militar, a bordo dos navios fretados ao longo da costa de Moçambique, demonstrou excelentes qualidades de oficial de estado-maior, orientador e coordenador das actividades de embarque e desembarque de forças e de materiais, tendo, através dos seus relatórios, sempre cuidados, apresentado relevantes sugestões para melhoria dos sistemas.
De acordo com as instruções do Comando, estudou com cuidado, profundidade e ponderação a estruturação do novo sistema de administração de cargas das unidades da Região Militar de Moçambique, o qual se encontra já em progressiva implantação.
Mercê da notável acção que desenvolveu, foi o major Rodrigues Coelho oficial íntegro, leal e honesto, um preciosíssimo auxiliar da acção do Comando da Região Militar
de Moçambique, pelo que os seus importantes serviços devem ser considerados relevantes, extraordinários e distintos.»

- em 16Jan1973 designado para frequentar no Brasil, o curso de comando e estado-maior do exército daquele país;


- em 04Set1973 regressado ao EME, nomeado para exercer no IAEM as funções de professor efectivo dos cursos de estado-maior;


- no final de Dez1973 manifesta-se, a título muito reservado, simpatizante do "Movimento dos Capitães";


- em 04Nov1974 nomeado, por escolha, para chefe-de-gabinete do novo governador e comandante-chefe da Província Ultramarina de Timor;


- em 14Nov1974 desembarca em Dili como adido ao CTIT;


- em 27Abr1975 chega a Lisboa vindo de Dili, «com a missão específica de dar conta da extensão e natureza das iniciativas da "Comissão de Descolonização de Timor", à "Comissão Nacional de Descolonização"»;


- em 15Mai1975 desembarca no aeroporto de Dili, com o membro do CR e "embaixador itinerante" major Vitor Alves, o qual tem como missão «acompanhar as próximas conversações entre o governo de Timor e os partidos políticos»;


- na madrugada de 27Ago1975 segue com o governador de Timor e demais 'staff', do porto de Dili para a ilha do Ataúro;


- em 24Out1975 sai de Maumeta rumo a Darwin e dali para Camberra;


- em 31Out1975 desembarca no aeroporto de Lisboa.

- até Abr1976 colabora no "Relatório militar sobre a situação de Timor (18Nov1974 -07Dez1975)", e posteriormente no "Relatório da Comissão de Análise do Processo de Descolonização de Timor" (publicado em Fev1977);


- em meados de 1976 regressa ao IAEM;


- em 1978-1980 tenente-coronel Chefe do Estado-Maior da 1ªBMI;


- em Mar1981 promovido a coronel comandante do RIOQ;


- em Ago1982 passa a exercer a chefia do Estado-Maior do Comando Geral da GNR;


- em Ago1985 regressa ao IAEM como professor e chefe da secção de ensino de administração;


- em Ago1987 passa a exercer no IAEM a direcção do departamento de ensino;


- em Jan1991 promovido a general comandante da Região Militar Sul;


- em 30Nov1992 nomeado quartel-mestre-general e director do departamento de finanças;


- em Nov1993 designado Vice-CEME;


- em Jun1995 passa à situação de reserva, sendo nomeado juiz vogal do STM (cargo que em Mar2000 ainda desempenhava);


- em Dez2010 publica "A Logística Terrestre e a Guerra do Ultramar" (ed.2507 da 'Revista Militar')


- em Jul2013 publica "A Guerra do Ultramar - O Mérito do Vector Militar" (ed.2537/8 da 'Revista Militar');

- em Dez2013, a 'Revista Militar' refere-se à sua autobiografia epigrafada "Uma Longa Caminhada - Adelino Coelho, 80 Anos":


– «Mais do que um livro de memórias, é o testemunho de um beirão de boa cepa que atravessa, com muita vontade e assinalável brilho, os desafios que lhe são colocados. Em todo o percurso profissional intensamente vivenciado pelo autor, emerge, como constante, uma forte matriz de valores balizadora dos rumos que a ventura oferece e o esforço traça. Na narrativa que nos é oferecida, esses valores surgem-nos como inculcados pelo chão que o criou, desenvolvidos pela Instituição que o envolveu e caldeados no ambiente de amor e amizade que soube e quis cultivar.
Tão simples e tranquilo quanto é permitido a quem não teme porque nada deve, o Tenente-general Adelino Rodrigues Coelho convida as testemunhas do seu passado a penetrarem na intimidade das suas ricas vivências de experimentado militar e devotado cidadão. Desafia, assim, a, com ele, serem revisitadas situações experimentadas ao longo de todo um muito rico, exigente e diversificado período da nossa História, num trajecto que, passando por Angola, Moçambique e, particularmente, por Timor, traduz bem o esforço de uma geração que serviu, com elevado sentido do dever, tudo quanto a Pátria lhe exigiu.
A leitura do "Longo Caminho de Adelino Coelho" é, pois, muito interessante porque, para além de proporcionar um mais profundo conhecimento do autor, faculta uma muito oportuna reflexão sobre a dura simplicidade da carreira das armas, cuja total disponibilidade constitui a razão de ser da condição militar.»

Faleceu em 6 de Março de 2017

 

Em 08Mar2017 seguiu o préstito fúnebre, da capela da Academia Militar para o cemitério do Alto do Chão Frio (Lourel - Sintra).

Paz à sua Alma.

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo