.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Manuel Bernardino Cotrim Carvalho Miranda, Alferes Mil.º de Infantaria, cmdt. de pelotão da CCac1686

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA  

 

 

CG-2-Classe-700Manuel Bernardino Cotrim Carvalho Miranda

 

Alferes Mil.º de Infantaria

 

Comandante de pelotão da

 

Companhia de Caçadores 1686

«OS FERAS»

 

Batalhão de Caçadores 1912

«VALENTES E DESTEMIDOS»

 

Guiné: 14Abr1967 a 16Mai1969

 

Cruz de Guerra de 2.ª classe

 

Louvor Individual

 

Manuel Bernardino Cotrim Carvalho Miranda, Alferes Mil.º de Infantaria;


RI16-280Mobilizado pelo Regimento de Infantaria 16 (RI16 - Évora) «CONDUTA BRAVA E EM TUDO DISTINTA» para servir Portugal na Província Ultramarina da Guiné;


CCac1686-280No dia 8 de Abril de 1967, na Gare Marítima do Conde de Óbidos, em Lisboa, embarcou no NTT ‘Ana Mafalda’, como comandante de pelotão da Companhia de Caçadores 1686 «OS FERAS» do Batalhão de Caçadores 1912 «VALENTES E DESTEMIDOS», rumo ao BCac1912estuário do Geba (Bissau), onde desembarcou no dia 14 de Abril de 1967;


A sua subunidade de infantaria, comandada pelo Capitão Mil.º de Infantaria José de Matos Correia Barradas, seguiu em 15 de Abril de 1967, para Mansoa, a fim de efectuar a adaptação operacional e integrar o dispositivo e manobra do seu batalhão como subunidade de intervenção e reserva do Sector, tendo realizado diversas operações nas regiões de Locher, Polibaque e Ponta Bará, entre outras; em 25 de Outubro de 1967, por troca com a Companhia de Artilharia 1660
(CArt1660) «SERPENTES DE ÓIO», assumiu a CArt1660responsabilidade do subsector de Mansoa, com efectivos destacados em Cutia, ponte do rio Braia, Jugudul, Uaque e Bindoro; em 21 de Fevereiro de 1968, novamente por troca com a Companhia de Artilharia 1660 (CArt1660) «SERPENTES DE ÓIO», voltou a CCac2405desempenhar a missão de intervenção e reserva do sector de Mansoa, realizando várias operações nas regiões de Enxalé, Mansabá, Bindoro e outras; em 1 de Agosto de 1968, substituída na BCac2852intervenção pela Companhia de Caçadores 2405 (CCac2405) do Batalhão de Caçadores 2852 (BCac2852) «TUDO VALE A PENA», voltou a assumir a CCac2587responsabilidade do subsector de Mansoa, rendendo novamente a Companhia de Artilharia 1660 (CArt1660) «SERPENTES DE ÓIO»; em 14 de maio de 1969, foi rendida no subsector de Mansoa pela Companhia de Caçadores 2587 (CCac2587) do Batalhão de Caçadores 2885 (BCac2885) «NÓS SOMOS CAPAZES» e recolheu seguidamente a Bissau, a fim de efectuar o embarque de BCac2885CG-2-Classe-350regresso;

 
No dia 16 de Maio de 1969, a sua subunidade de infantaria embarcou no NTT ‘Niassa’ de regresso à Metrópole, onde desembarcou no dia 22 de Maio de 1969;


Louvado e agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 2.ª classe por feitos em combate na Província Ultramarina da Guiné, pela Portaria de 2 de Dezembro de 1969, publicada na Ordem do Exército n.º 2 – 2.ª série, de páginas 107 e 108, de 14 de Janeiro de 1970.

 

--------------

 

Cruz de Guerra de 2.ª classe

 

CG-2-Classe-700Alferes Miliciano de Infantaria
MANUEL BERNARDINO COTRIM CARVALHO MIRANDA
 

CCac1686/BCac1912 - RI16
GUINÉ


2.ª CLASSE


Transcrição da Portaria publicada na Ordem do Exército n.º 2 – 2.ª série, páginas 107 e 108, de 14 de Janeiro de 1970.


Por Portaria de 02 de Dezembro de 1969:


Condecorado com a Cruz de Guerra de classe, ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província da Guiné Portuguesa, o Alferes Miliciano de Infantaria, Manuel Bernardino Cotrim Carvalho Miranda, da Companhia de Caçadores n.º 1686 do Batalhão de Caçadores n.º 1912 - Regimento de Infantaria n.º 16.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Por Portaria da mesma data, publicada naquela 0rdem do Exército)


Louvado, o Alferes Miliciano de Infantaria, Manuel Bernardino Cotrim Carvalho Miranda, da Companhia de Caçadores n.º 1686, do Batalhão de Caçadores n.º 1912 - Regimento de Infantaria n.º 16, porque, durante o tempo em que serviu neste Batalhão demonstrou possuir altas qualidades de comando e de combatente, resolvendo sempre e com a maior calma as inúmeras e difíceis situações que teve de enfrentar com o seu Grupo de Combate, em intervenção na região de Oio, onde o inimigo, forte e bem armado, sempre vendeu cara a derrota.


Ocupando sempre lugar entre os primeiros elementos do seu Grupo de Combate e chamando para si as missões mais arriscadas, quer durante o assalto a bases inimigas, quer na reacção a emboscadas, foi ferido gravemente na operação "Frufru", tendo nessa circunstância, e por mais de uma vez, demonstrado possuir altas qualidades de coragem moral, sacrifício e abnegação, pois ainda cobriu um percurso a pé de cerca de 15 km antes de ser evacuado, sempre com palavras de coragem e incitamento aos seus homens.


A sua actuação foi em todas as acções digna de menção, mas especialmente durante as operações "Farpa", "Feitiço" e "Frufru", onde, com total desprezo pela vida e debaixo de um fogo inimigo intensíssimo, galvanizou os seus homens pelo seu exemplo de coragem, audácia, decisão, sangue-frio e serena energia debaixo de fogo, levando-os a pôr sempre o inimigo em debandada. Extraordinariamente leal, modesto, bom colaborador, disciplinado e disciplinador, soube ser digno da estima e consideração dos seus superiores, camaradas e subordinados, tendo em cada um, um amigo e constituindo um exemplo de homem e de militar que muito honra o Exército e a Pátria.
 

 

 Manuel-Bernardino-Cotrim-Carvalho-Miranda-920

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo