.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Fernando Martins de Oliveira, Furriel Mil.º de Infantaria, da CCac411

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA  

 

CG-1-Classe

 

Fernando Martins de Oliveira

 

Furriel Mil.º de Infantaria

 

Companhia de Caçadores 411

«OS LINCES»

 

Guiné: 09Abr1963 a 29Abr1965

 

Cruz de Guerra de 1.ª classe

 

Louvor Individual

 

 

Fernando Martins de Oliveira, Furriel Mil.º de Infantaria;


BC10-280Mobilizado pelo Batalhão de Caçadores 10 (BC10 – Chaves) «SEMPRE EXCELENTES E VALOROSOS» para servir Portugal na Província Ultramarina da Guiné;


CCac411-280No dia 3 de Abril de 1963, na Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos, em Lisboa, embarcou no NTT ‘Índia’, integrado na Companhia de Caçadores 411 (CCac411) «OS LINCES», rumo ao estuário do Geba (Bissau), onde desembarcou no dia 9 de Abril de 1963;


CCac152-280A sua subunidade de infantaria, comandada pelo Capitão de Infantaria João BCac237-280Gomes do Amaral, em 30 de Abril de 1963, instalou-se em Buba, onde rendeu a Companhia de Caçadores 152 (CCac152) e destacou um pelotão para Aldeia Formosa até 25 de Setembro de 1963, e ficou integrada no dispositivo e manobra do Batalhão de Caçadores 237 (BCac237) e, após criação de um novo sector na zona de BCac513acção, do Batalhão de Caçadores 513 (BCac513); por BCac356períodos variáveis, foi ainda colocada na dependência operacional do Batalhão de Caçadores 356 (BCac356), com vista à realização de actividade de intervenção, tomando parte em diversas operações realizadas nas regiões do Quinara, de 01 a 27 de Junho de 1963 e de Fulacunda - Buba, de 26 de Julho a 01 de Agosto de 1963, entre outras; em 12 de Janeiro de 1965, foi rendida CCac594pela Companhia de BCac600Caçadores 594 (CCac594), sendo colocada em Bissau na dependência do Batalhão de Caçadores 600 (BCac600), com vista a colaborar na segurança e protecção das instalações e das populações da área, tendo ainda CCac508destacado um pelotão, para Quinhámel, a partir de 08 CCav787de Março de 1965, onde substituiu, temporariamente, um pelotão da Companhia de Caçadores 508 (CCac508) «HONRA E GLÓRIA»; em 28 de Abril de 1965, foi substituída na guarnição de Bissau pela Companhia de Cavalaria 787 (CCav787) do Batalhão de Cavalaria 790 G-BCAV-0790(BCav790) «SINE SANGUINE NON EST VICTORIA», a fim de efectuar o embarque de regresso.


Louvado por feitos em combate na Província CG-1classe-350
Ultramarina da Guiné, publicado na Ordem de Serviço n.º 19/64 de 09 de Dezembro de 1964, do Comando-Chefe das Forças Armadas de Guiné;


No dia 29 de Abril de 1965, embarcou no NTT ‘Uíge’ de regresso à Metrópole, onde desembarcou no dia 6 de maio de 1965.


Agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 1.ª classe, pela Portaria de 3 de Junho de 1965, publicada na Ordem do Exército n.º 24 – 3.ª série, de 1965.

 

--------------

 

Cruz de Guerra de 1.ª classe

 

CG-1classe-600Furriel Miliciano de Infantaria
FERNANDO MARTINS DE OLIVEIRA
 

CCac411/BCac513 – BC10
GUINÉ
 

1.ª CLASSE


Transcrição da Portada publicada na Ordem do Exército n.º 24 – 3.ª série, de 1965.


Por Portaria de 3 de Junho de 1965:


Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro do Exército, condecorar com a Cruz de Guerra de 1.ª classe, ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província da Guiné Portuguesa, o Furriel Miliciano de Infantaria, Fernando Martins de Oliveira, da Companhia de Caçadores n.º 411 adstrita ao Batalhão de Caçadores n.º 513 - Batalhão de Caçadores n.º 10.


Transcrição do louvor que originou a condecoração:


(Por Portaria da mesma data publicada naquela Ordem do Exército):


Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro do Exército, adoptar, para todos os efeitos legais, o seguinte louvor conferido em Ordem de Serviço n.º 19/64 de 09 de Dezembro de 1964, do Comando-Chefe das Forças Armadas de Guiné, ao Furriel Miliciano de Infantaria, Fernando Martins de Oliveira, da Companhia de Caçadores 411 adtrita ao Batalhão de Caçadores 513 - Batalhão de Caçadores n.º 10, pelas excelentes qualidades militares que revelou em todas as acções em que tomou parte, em muitas delas voluntariamente, estando sempre presente nos locais de maior risco, quer integrado no seu pelotão, quer enquadrando Caçadores nativos.


Deu provas de bom-senso, iniciativa, desembaraço e aptidão para o Comando numa operação realizada por 130 Caçadores nativos em que nas muitas emboscadas e ataques que sofreu, em situações de risco de vida, revelou serena energia debaixo de fogo, comportando-se com heroísmo, muita coragem e valentia.


Distinguiu-se ainda noutra operação pela maneira decidida, eficiente e enérgica como dirigiu a exploração de um dos lados da estrada e, especialmente, durante duas emboscadas inimigas, pela forma destemida, ousada e agressiva como a elas reagiu.


Igualmente é de salientar a sua actuação numa terceira operação, pelas suas incursões rápidas e arrojadas na exploração dos caminhos de mato que partiam da estrada, do que lhe valeu a detecção e destruição de uma casa de mato.


É ainda de referir a sua actuação valente, destemida e combativa no dia 08 de Setembro de 1964, quando, integrado num dos 2 grupos de combate que partiram da ponte de um rio em socorro dum pelotão que se encontrava detido na ponte de outro rio, pelo rebentamento de uma mina sob uma auto-metralhadora, ao deparar-se resistência de numeroso grupo inimigo que pretendia impedir a sua progressão, continuou sempre a avançar na frente dos homens que comandava, metido na valeta da estrada, de modo a aproximar-se do grupo inimigo e desalojá-lo das suas posições.


Todos estes factos, aliados à sua natural modéstia, a um inexcedível espírito de sacrifício e vontade de bem servir e a uma forte personalidade, levam a considerá-lo um graduado de muito valor, cuja conduta é digna do maior apreço e de nobre exemplo a seguir.

 

Ministério do Exército, 3 de Junho de 1965.
O Ministro do Exército, Joaquim da Luz Cunha.


 

 Fernando-Martins-de-Oliveira-920

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo