.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

António Pires Carrilho, Soldado de Infantaria, n.º 71/63, da CCac448/BCac451

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA  

 

CG-1classe-350Ant-nio-Pires-Carrilho-350

 

António Pires Carrilho

 

Soldado de Infantaria, n.º 71/63

 

Companhia de Caçadores 448

«DRÁCULAS»

«SEMPRE MAIS ALTO»

 

Batalhão de Caçadores 451

«ARMAS E BARÕES ASSINALADOS»

 

Angola: 29Jul1963 a 31Ago1965

 

Cruz de Guerra de 1.ª classe

 

Louvor Individual

 

António Pires Carrilho, Soldado de Infantaria, n.º 71/63;


BC5Mobilizado pelo Batalhão de Caçadores 5 (BC5 - Campolide) «MAIS ALTO E MAIS ALÉM» para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola;


No dia 20 de Julho de 1963, na Gare Marítima da Rocha CCac448-280do Conde de Óbidos, em Lisboa, embarcou no NTT ‘Vera Cruz’, integrado na Companhia de Caçadores 448 (CCac448) «DRÁCULAS» - «SEMPRE MAIS ALTO», do Batalhão de Caçadores 451 BCac451-280(BCac451) «ARMAS E BARÕES ASSINALADOS», rumo ao porto de Luanda, onde desembarcou no dia 29 de BCac451Julho de 1963;


Em 20 de Agosto de 1963, a sua subunidade de infantaria seguiu para Zala; em Dezembro de 1963 e Março de 1964, aquartelou, respectivamente, em Bela Vista e Portugália; em Setembro de 1964, foi transferida para Zemba;


Em 21 de Fevereiro de 1965, o seu Grupo de Combate foi emboscado pelo inimigo e tendo logo no início da acção sido atingido por uma granada de mão defensiva, que praticamente lhe destroçou uma perna abaixo do joelho,
CG-1classe-350continuou a fazer fogo, sem se queixar e dizendo aos seus camaradas para não se preocuparem com o seu estado.


Louvado e agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 1.ª classe, pela Portaria de 20 de Julho de 1965, publicada na Ordem do Exército n.º 24 – 3.ª série de 1965;


Em 31 de Agosto de 1965, a sua subunidade de infantaria embarcou no NTT ‘Vera Cruz’ de regresso à Metrópole, onde desembarcou no dia 9 de Setembro de 1965;


No dia 10 de Junho de 1966, perante as Forças Armadas Portuguesas reunidas em parada no Terreiro do Paço, em Lisboa, foi-lhe imposta a condecoração (Diário de Lisboa n.º 15618, pág. 7, de 11 de Junho de 1966)

 

 

 Lisboa-10-Jun1966-Terreiro-do-Pa-o

1 - Manuel Maria Sardão, pai do malogrado militar Manuel Marques Sardão, Soldado Maqueiro, da CCS/BCac554 - Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito, grau Cavaleiro, com palma

 

2 - António Pires Carrilho, Soldado de Infantaria, n.º 71/63, da CCac448/BCac451 - Cruz de Guerra de 1.ª classe

--------------

 

Cruz de Guerra de 1.ª classe

 

CG-1classe-600Soldado de Infantaria, n.º 71/63
ANTÓNIO PIRES CARRILHO
 

CCac448/BCac451 - BC5
ANGOLA


1.ª CLASSE


Transcrição da Portaria publicada na Ordem do Exército n.º 24 – 3.ª série de 1965.


Por Portaria de 20 de Julho de 1965:


Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro do Exército, condecorar com a Cruz de Guerra de 1.ª classe, ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província de Angola, o Soldado n.º 71/63, António Pires Carrilho, da Companhia de Caçadores n.º 448 do Batalhão de Caçadores n.º 451 - Batalhão de Caçadores n.º 5.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Por Portaria da mesma data publicada naquela 0rdem do Exército):


Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Ministro do Exército, louvar o Soldado n.º 71/63, António Pires Carrilho, da Companhia de Caçadores n.º 448 do Batalhão de Caçadores n.º 451 - Batalhão de Caçadores n.º 5, por, no dia 21 de Fevereiro de 1965, sendo o seu Grupo de Combate emboscado pelo inimigo e tendo logo no início da acção sido atingido por uma granada de mão defensiva, que praticamente lhe destroçou uma perna abaixo do joelho, continuou a fazer fogo, sem se queixar e dizendo aos seus camaradas para não se preocuparem com o seu estado.


Durante a sua evacuação para a Unidade e tratamento, manteve sempre grande presença de espirito e domínio de si próprio, apesar da gravidade do seu estado, constituindo um grande exemplo para todos os seus camaradas e superiores e honrando o seu Batalhão.

 

Ministério do Exército, 20 de Julho de 1965.
O Ministro do Exército, Joaquim da Luz Cunha.

--------------

Embarque da Companhia de Caçadores 448, no NTT 'Vera Cruz'

 

 DL14582-pag1-2-20-Jul1963

--------------

Desembarque (regresso) na Metrópole da Companhia de Caçadores 448, no NTT 'Vera Cruz'

 

 DL15350-pag13-09-Set1965

--------------


 Ant-nio-Pires-Carrilho-920

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo