.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

Pedro José Melo Leitão, Furriel Miliciano de Cavalaria (Operações Especiais), da CCav3486/BCav3871

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA  

 

Pedro-Jos-Melo-Leit-o-350Pedro José Melo Leitão

 

Furriel Mil.º de Cavalaria (Operações Especiais)

 

Companhia de Cavalaria 3486

 

Batalhão de Cavalaria 3871

«AD OMNIA APTI»

 

Angola: Mar1972 a Jun1974

 

Cruzes de Guerra de 3.ª e 4.ª classes

 

2 Louvores Individual

 Cruzes-de-Guerra-3-4-classes

 

Pedro José Melo Leitão, Furriel Miliciano de Cavalaria (Operações Especiais);


RC3-2Mobilizado pelo Regimento de Cavalaria 3 (RC3 – Estremoz) «DRAGÕES DE OLIVENÇA» - «…NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE» para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola;


CCav3486-280Em Março de 1972, embarcou em Lisboa, no Aeródromo Base n.º 1 (AB1 – Figo Maduro), em vôo TAM – Boeing-707, rumo à Base Aérea n.º 9 (BA9 – Luanda), BCav3871integrado na Companhia de Cavalaria 3486 (CCav3486) do Batalhão de Cavalaria 3871 (BCav3871) «AD OMNIA APTI»;


A sua subunidade de cavalaria, comandada pelo Capitão Mil.º de Infantaria Jorge Manuel Duarte Vieira, após o desembarque seguiu para Sanga Planície, onde fiou aquartelada; em Maio de 1973, rodou para Belize; e Fevereiro de 1974 foi transferida para N’Tó;


CG-4-Classe-350Louvado e agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 4.ª classe, por feitos em combate no teatro de operações de Angola, por despacho do General Comandante-Chefe, de 13 de Julho de CG-3-Classe-3501973, publicado nas Ordens de Serviço n.º 19, de 20 de Julho de 1973, do Comando-Chefe das Forças Armadas de Angola, n.º 63, de 03 de Agosto do mesmo ano, do Quartel-General da Região Militar de Angola, e na Ordem do Exército n.º 7 – 3.ª série, de 1974;


Novamente, louvado e agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 3.ª classe, por feitos em combate na Província Ultramarina de Angola, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 23 de Janeiro de 1974, publicado Ordem de Serviço n.º 25, de 29 de Março de 1974, do Quartel-General da Região Militar de Angola e na Ordem do Exército n.º 10 – 3.ª série, de 1974;


Em Junho de 1974, regressa à Metrópole por via aérea em vôo TAM Boeing-707.

 

 Imposi-o-da-condecora-o-Pedro-Jos-Melo-Leit-o

Imposição das condecorações

Foto extraída dum vídeo do BCav3871, exposto no youtube

 

---------------

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

CG-4-Classe-700Furriel Miliciano de Cavalaria

(Operações Especiais)
PEDRO JOSÉ MELO LEITÃO
 

CCav3486/BCav3871 - RC3
ANGOLA
 

4.ª CLASSE


Transcrição do Despacho publicado na Ordem do Exército n.º 7 – 3.ª série, de 1974.


Agraciado, com a Cruz de Guerra de 4.ª classe, nos termos do artigo 20.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 566/71, de 20 de Dezembro de 1971, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 13 de Julho de 1973, o Furriel Miliciano de Cavalaria, Pedro José Melo Leitão, da Companhia de Cavalaria n.º 3486 do Batalhão de Cavalaria n.º 3871 - Regimento de Cavalaria n.º 3.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado nas Ordens de Serviço n.º 19, de 20 de Julho de 1973, do Comando-Chefe das Forças Armadas de Angola e n.º 63, de 03 de Agosto do mesmo ano, do Quartel-General da Região Militar de Angola):


Por despacho de 13 de Julho de 1973, o General Comandante-Chefe louvou o Furriel Miliciano de Cavalaria, Pedro José Melo Leitão, da Companhia de Cavalaria n.º 3486 do Batalhão de Cavalaria n.º 3871 - Regimento de Cavalaria n.º 3, porque, quando comandava uma escolta, ao ser estabelecido contacto com um grupo inimigo, apesar de ferido logo no início com estilhaços de granada, se deslocou à picada, debaixo de fogo intenso e numa zona descoberta, para retirar um soldado que se encontrava gravemente ferido e sujeito ao fogo inimigo, incutindo assim ânimo nos seus subordinados que, reagindo prontamente, puseram o inimigo em debandada.


Deste modo deu o Furriel Leitão magnífico exemplo de camaradagem e de abnegação e revelou excepcionais qualidades de coragem, decisão, sangue-frio e serena energia debaixo de fogo, qualidades com que honrou o Exército e constituem motivo de orgulho para o seu Batalhão.

 

---------------

 

Cruz de Guerra de 3.ª classe

 

CG-3-Classe-700Furriel Miliciano de Cavalaria

(Operações Especiais)
PEDRO JOSÉ MELO LEITÃO
 

CCav3486/BCav3871 - RC3
ANGOLA


3.ª CLASSE


Transcrição do Despacho publicado na Ordem do Exército n.º 10 – 3.ª série, de 1974.


Agraciado, com a Cruz de Guerra de 3.ª classe, nos termos do artigo 20.º do Regulamento da Medalha Militar, promulgado pelo Decreto n.º 566/71, de 20 de Dezembro de 1971, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 23 de Janeiro de 1974, o Furriel Miliciano de Cavalaria (Operações Especiais), Pedro José Melo Leitão, da Companhia de Cavalaria n.º 3486 do Batalhão de Cavalaria n.º 3871 - Regimento de Cavalaria n.º 3.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado na Ordem de Serviço n.º 25, de 29 de Março de 1974, do Quartel-General da Região Militar de Angola):


Por seu despacho de 23 de Janeiro de 1974, o General Comandante-Chefe louvou o Furriel Miliciano de Cavalaria (Operações Especiais), Pedro José Melo Leitão, da Companhia de Cavalaria n.º 3486 do Batalhão de Cavalaria n.º 3871 – Regimento de Cavalaria n.º 3, porque, seguindo na última viatura duma coluna que foi emboscada por numeroso grupo inimigo, instalado a poucos metros da picada, dispondo de forte potencial e que montara mais de 30 fornilhos ao longo do itinerário, reagiu de imediato, apesar de ferido, logo aos primeiros tiros, revelando, uma vez mais, calma e serena energia debaixo de fogo, orientando a reacção do pessoal, na maioria também ferido.


Integrado posteriormente na coluna que evacuava os feridos e que sofreu outra emboscada inimiga, o Furriel Leitão, apercebendo-se da necessidade de obter ligação rádio e verificando estar o aparelho fora do alcance do comandante da força, foi, debaixo de fogo, ligar o rádio e passar-lhe o microfone, possibilitando assim, o pedido de reforços.


Demonstrou o Furriel Leitão, coragem, sangue-frio e decisão que, a par de assinaláveis qualidades de chefia e espírito de missão, muito o honram como militar e o tomaram digno de ser apontado entre os que mais abnegadamente serviram a Pátria.

 

 Pedro-Jos-Melo-Leit-o-920

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo