.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

João Manuel Ferreira de Sá, 1.º Cabo de Cavalaria, da CCav1402/BCav1851

 

  "Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

HONRA E GLÓRIA  

 

 

Jo-o-Manuel-Ferreira-de-S-350CG-4-Classe-350João Manuel Ferreira de Sá

 

1.º Cabo de Cavalaria, n.º 1824/64

 

Companhia de Cavalaria 1402

 

Batalhão de Cavalaria 1851

«...NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE»

 

Angola: 02Ago1965 a 22Ago1967

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

Louvor Individual

 

João Manuel Ferreira de Sá, 1.º Cabo de Cavalaria, n.º 1824/64;


RC3-2Mobilizado pelo Regimento de Cavalaria 3 (RC3 – Estremoz) «DRAGÕES DE OLIVENÇA» - «…NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE» para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola;


No dia 24 de Julho de 1965, na Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos, em Lisboa, embarcou no NTT 'Vera Cruz', integrado na Companhia de Cavalaria 1402 (CCav1402) do Batalhão de Cavalaria 1851 (BCav1851) «...NA GUERRA CONDUTA MAIS BRILHANTE», rumo ao porto de Luanda, onde desembarcou no dia 2 de Agosto de 1965;


A sua subunidade de cavalaria, comandada pelo Capitão de Cavalaria Rui Manuel Bruno Machado Pessoa de Amorim, foi colocada em Bela Vista; em 23 de Setembro de 1966, rodou para Cassinguidi, onde se manteve até final da comissão;


CG-4-Classe-350Louvado por feitos em combate no teatro de operações na província Ultramarina de Angola, publicado na Ordem de Serviço n.º 46, de 08 de Junho de 1966, do Quartel-General da Região Militar de Angola, e na Revista da Cavalaria do ano de 1966, página 118;


Agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 4.ª classe, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 14 de Julho de 1966, publicado na Ordem do Exército n.º 23 – 3.ª série, de 20 de Agosto de 1966;


Em 22 de Agosto de 1967, no porto de Luanda, embarcou no NTT ‘Uíge’ de regresso à Metrópole, onde desembarcou no dia 3 de Setembro de 1967

 

 

Cruz de Guerra de 4.ª classe

 

 

CG-4-Classe-7001.º Cabo de Cavalaria, n.º 1824/64
JOÃO MANUEL FERREIRA DE SÁ
 

CCav1402/BCav1851 - RC3
ANGOLA


4.ª CLASSE


Transcrição do Despacho publicado na Ordem do Exército n.º 23 – 3.ª série, de 20 de Agosto de 1966.


Agraciado com a Cruz de Guerra de 4 classe, nos termos do artigo 12.º do Regulamento da Medalha Militar, aprovado pelo Decreto n.º 35 667, de 28 de Maio de 1946, por despacho do Comandante-Chefe das Forças Armadas de Angola, de 14 de Julho de 1966, o 1.º Cabo n.º 1824/64, João Manuel Ferreira de Sá, da Companhia de Cavalaria n.º 1402 do Batalhão de Cavalaria n.º 1851 - Regimento de Cavalaria n.º 3.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


(Publicado na Ordem de Serviço n.º 46, de 08 de Junho de 1966, do Quartel-General da Região Militar de Angola):


Louvado o 1.º Cabo n.º 1824/64, João Manuel Ferreira de Sá, da Companhia de Cavalaria n.º 1402 do Batalhão de Cavalaria n.º 1851, porque, quando fazia parte duma coluna que se deslocava ao Ambriz, ter prontamente acorrido, sob intenso fogo do inimigo, a prestar socorros a um camarada seu, ferido pelo rebentamento duma mina que, entretanto, deflagrara, atingindo a coluna.


Quando assistia ao ferido, sempre debaixo de fogo, foi igualmente atingido no braço direito por uma bala do inimigo, o que não o impediu de continuar a sua tarefa até terminar o tratamento ao seu camarada ferido.


Só então se dispôs a receber assistência e a que lhe fosse extraído o projéctil, dando assim provas iniludíveis do seu espírito de humanidade, de camaradagem e forte determinação no cumprimento do seu dever.
 

-------------------------

 

Diário de Lisboa, ed. 15303, de 24 de Julho de 1965
 
A partida
 
 

Jo-o-Manuel-Ferreira-de-S-920
 

 

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo