.

 

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

Share |

Brasões, Guiões e Crachás

Siga-nos

 

Fórum UTW

Pesquisar no portal UTM

Condecorações

José Manuel Júdice Pontes, Alferes Mil.º de Cavalaria, cmdt. do 2.º Pelotão do ECav149

 

"Pouco se fala hoje em dia nestas coisas mas é bom que para preservação do nosso orgulho como Portugueses, elas não se esqueçam"

 

Barata da Silva, Vice-Comodoro

 

HONRA E GLÓRIA

Foto do Alferes Pontes extraída do sítio "Memória 149"

 

 

CG-3-Classe-350

Jos-Manuel-J-dice-Pontes-350José Manuel Júdice Pontes

 

Alferes Mil.º de Cavalaria

 

Comandante do 2.º pelotão do

Esquadrão de Cavalaria 149

«ESQUADRÃO DOS MORCEGOS»

 

Angola: 07Jul1961 a 30Set1963

 

Cruz de Guerra de 3.ª classe

 

Louvor Individual e Colectivo

 

Para visualização dos conteúdos clique em cada um dos sublinhados existentes no texto que se seguem:

 

José Manuel Júdice Pontes, Alferes Mil.º de Cavalaria;


Mobilizado pelo Regimento de Cavalaria 7 (RC7 – Ajuda, Lisboa) «QUO TOTA VOCANT» - «REGIMENTO DO CAIS» para servir Portugal na Província Ultramarina de Angola;


Em 28 de Junho de 1961, na Gare Marítima da Rocha do Conde de Óbidos, em Lisboa, embarcou no NTT ‘Vera Cruz’, como 2.º Comandante do Esquadrão de Cavalaria 149 (ECav149) «ESQUADRÃO DOS MORCEGOS», rumo ao porto de Luanda, onde desembarcou no dia 7 de ECav149-1Julho de 1961;

 

A sua subunidade de cavalaria foi colocada em Ambriz; em Setembro de 1961 foi transferida para Mabubas; depois, sucessivamente, em Novembro de 1961 no Caxito; em 18 de Junho de 1962 em Mucondo, onde reforçou o dispositivo do Batalhão de Caçadores 186 (BCac186) «AÇO» - «DISTINTOS E ADMIRÁVEIS BRIGAREMOS SEM PÃO»; em Dezembro de 1962 em Bolongongo; em Março de 1963 em Viana; em Julho de A-BCA-01861963 regressou a Mabubas; em Setembro de 1963 em Luanda;


Louvor Colectivo - Esquadrão de Cavalaria 149 – por despacho General Comandante da Região Militar de Angola, publicado na Ordem de Serviço n.º 2, do Quartel General da Região Militar de Angola, de 5 de Janeiro de 1962;

 

Louvado por feitos em combate no teatro de operações de Angola, publicado na Ordem de Serviço n.º 72, de 07 de Setembro de 1962, do Quartel-General da Região Militar de Angola;


Agraciado com a Medalha da Cruz de Guerra de 3.ª classe, pela Portaria de 8 de Janeiro de 1963, publicada na Ordem do Exército n.º 2 – 2.ª série, de 1 de Fevereiro de 1963;


Em 30 de Setembro de 1963 embarca no NTT 'Vera Cruz' de regresso à Metrópole, onde desembarcou no dia 10 de Outubro de 1963.

----------------
 

Cruz de Guerra de 3.ª classe

CG-3-Classe-700Alferes Miliciano de Cavalaria
JOSÉ MANUEL JÚDICE PONTES


CCav149 - RC7
ANGOLA


3.ª CLASSE


Transcrição da portada publicada na Ordem do Exército n.º 2 – 2.ª série, de 1 de Fevereiro de 1963.


Por Portada de 08 de Janeiro de 1963:


Condecorado com a medalha da Cruz de Guerra de 3.ª classe, por ter sido considerado ao abrigo dos artigos 9.º e 10.º do Regulamento da Medalha Militar, de 28 de Maio de 1946, por serviços prestados em acções de combate na Província de Angola:


O Alferes Miliciano de Cavalaria, José Manuel Júdice Pontes.


Transcrição do louvor que originou a condecoração.


Alferes-Pontes-ECav149(Publicado na Ordem de Serviço n.º 72, de 07 de Setembro de 1962, do Quartel-General da Região Militar de Angola):


Louva o Alferes Miliciano de Cavalaria, José Manuel Júdice Pontes, Comandante de Pelotão do Esquadrão de Cavalaria 149 porque, nas operações de guerra em que esta Unidade tomou parte, no período que decorreu entre 25 de Julho e 23 de Setembro de 1961, nomeadamente na operação "Viriato", para a abertura do eixo Ambriz – Nambuangongo - Quipedro e na operação "Esmeralda", para a limpeza da região da Pedra Verde, demonstrou, nas inúmeras situações de perigo em que teve de enfrentar o inimigo, grande coragem, decisão, serena energia debaixo de fogo e sangue frio que muito o honram como militar.


É sobretudo notável a acção deste oficial durante a progressão de Ambriz para Zala, em que não obstante as baixas que sofreu, o estado de fadiga do pessoal e as enormes dificuldades a vencer, mormente a resistência oposta por um inimigo numeroso, conseguiu, pelo seu exemplo e sem desfalecimento, imprimir ao pessoal sob as suas ordens a rapidez e tenacidade de progressão tão necessária ao cumprimento da missão.

 
O mesmo espírito e a mesma indiferença ao perigo foram sobejamente confirmados sobre a Pedra Verde, onde, não obstante o reduzido efectivo de que dispunha, não hesitou em atravessar uma zona densamente infestada pelo inimigo, rechaçando com ímpeto e energia todos os ataques que sofreu para atingir nos prazos marcados o objectivo que lhe tinha sido fixado.

 

----------------
 

Notícia: 28 de Junho de 1961 - Partida do ECav149

 

Partida do NTT "Vera Cruz" com destino à Província Ultramarina de Angola e de um outro com destino à Província Ultramarina da Guiné (Diário de Lisboa, n.º 13843, de 28Jun1961):

 

Clique na imagem que se segue para ampliação

DL13843-pag8-28-Jun1961-Partida
 

---------------

 

Notícia: 10 de Outubro de 1963 - Regresso do ECav149

 

Chegada do NTT "Vera Cruz" à Gare Marítima da Rocha do Conde Óbidos

 

Clique na imagem que se segue para ampliação

 DL14663-10-Out1963

 

 Jos-Manuel-J-dice-Pontes-920

 

© UTW online desde 30Mar2006

Traffic Rank

Portal do UTW: Criado e mantido por um grupo de Antigos Combatentes da Guerra do Ultramar

Voltar ao Topo