Guerra do Ultramar: Angola, Guiné e Moçambique Automobilia Ibérica - Histórico Automóvel Clube de Entre Tejo e Sado (HACETS)

Início O Autor História A Viagem Moçambique Livros Notícias Procura Encontros Imagens Mailing List Ligações Mapa do Site

NOTÍCIA

Enviado por João Bizarro, editor do Jornal Aurinegra (Cantanhede)

   

Ninguém é deixado para trás

 

Para visualização dos conteúdos clique nos sublinhados

 

Infelizmente, o soldado Pára-Quedista José de Jesus Lourenço, (*) com 19 anos de idade, ficou ... para trás!

 

A história (ficheiros na coluna ao lado) do malogrado Pára-Quedista e as diligências que Manuel Godinho Rebocho, Doutorado em Sociologia da Paz e dos Conflitos e Sargento-Mor Pára-Quedista na Reserva, tem feito para o trazer para Portugal e, também, dos seguintes militares:

António das Neves Vitoriano (Castro Verde), soldado pára-quedista (*)

Manuel da Silva Peixoto (Vila do Conde), soldado pára-quedista (*)

Além daqueles 3 pára-quedistas que permanecem no cemitério improvisado em Guidaje (Guiné), também, outros cinco militares do Exército ali se encontram:

Manuel Maria Rodrigues Geraldes (Vimioso) (*)

José Carlos Moreira Machado (Valpaços) (*)

João Nunes Ferreira (Madeira)

Gabriel Ferreira Telo (Madeira) - (*)

António Santos Jerónimo Fernandes (Vimioso)

 

(*) - "Regressou" à sua terra natal

Publicado em 28 de Setembro de 2006, no

 

Jornal

Aurinegra

(Cantanhede)

 

Os ficheiros que se seguem é em formato "pdf", clique nas palavras sublinhadas

 

Capa do jornal "Aurinegra"

"Deixado para trás", pág. 9 do jornal

"Morte heróica" e "Na guerra por opção", pág. 10 do jornal

"As voltas por Guidaje", pág. 11 do jornal

 

Na eventualidade de não possuir o software para leitura dos ficheiros, obtenha aqui

 

Voltar ao topo